Será o final do meu casamento? | A Nossa Vida

Será o final do meu casamento?

Retrato de Sissy78
28.12.2018 | 17:01
Sissy78:
Membro desde: 23.05.2011

Boa tarde! Venho desabafar aqui, porque realmente não sei o que fazer, o que pensar... Em 2004 conheci o meu marido, estávamos distantes um do outro, mas tudo fizémos para ficar juntos e construir uma vida a dois... Agora que penso friamente, tudo fiz, porque eu é que deixei a minha família... os meus amigos... o meu emprego... a minha casa própria... para trás. Como ainda não tinha vendido a minha casa.. fomos morar com os meus sogros. Tudo correu muito bem, até ao casamento em 2007. Nessa altura descobri a minha verdadeira sogra que tudo fez para destruir o dia, incluindo dizer na cara do filho que não estava a gostar do casamento... puxar-me o braço porque não fui de imediato entregar as lembranças aos familiares dela... enfim. No dia a seguir, uma briga enorme entre nós e só não desisti de tudo porque ele me apoiou.
Os anos passaram, comprámos casa e fui mãe em 2009, e a minha sogra sempre a intrometer-se... de repente, eu sentia que nem tinha voz, nem poder de decisão, mesmo na minha casa, pois ele perguntava a opinião de tudo o que ia fazer à mãe.
Com o passar do tempo, deixámos ter fazer amor tão frequentemente... e com isto digo passarem-se 2 a 3 meses entre cada vez. Continuava a gostar dele e em 2017 fomos pais novamente - vespera de ter o menino diz-me que não ia estar comigo na maternidade e a mãe apoiou-o... só respondi - "Eu ainda não os faço sozinha...". Acabou por ir, mas assim que nasceu e apesar de eu ainda estar acamada foi-se embora, deixando-me sozinha com o bebé, que se engasgou e eu rasguei os pontos para conseguir tocar na campainha e virá-lo minimamente. Não me chegou a tirar uma única foto com o nosso segundo filho na maternidade.
Não me faz elogios... antes pelo contrário, quando pode destrata-me; não há carinhos... so há quando lhos peço. Não faz surpresas, não me dá um beijo assim do nada. Estou doente e não me pergunta se já marquei os exames sequer...
Passei +/- 10 anos da minha vida a pedir carinho, atenção... a brigar por isso... e quando pedia lá me dava qualquer coisa. depois pára. Neste momento estamos há 3 meses sem fazer amor.
De um momento para o outro, olho para ele e sinto amizade e carinho por ser pai dos meus filhos...
Acho que não sou capaz de viver uma vida inteira assim... já lho disse inclusivé que só sinto uma amizade por ele e isso só não chega... ele respondeu que me ama e que não o deixe, porque se mata... agora tem andado de volta de mim, a dar carinhos e a ajudar em casa (mas já antes o fez e voltámos ao mesmo). Ainda não cedi, nem vou ceder tão cedo, pois já não sinto amor.

Estarei a ser insensível ao querer ser feliz? Estarei a ser má mãe (um menino tem 9 anos e o outro 1 ano e meio)? Gostava de lhe dar mais estabilidade do que um divórcio... mas daí a não ser feliz...
Sinceramente, não sei mesmo o que fazer...


Retrato de Konigvs
Sáb, 29/12/2018 - 08:10
Konigvs:
Membro desde: 21.10.2011

A minha primeira pergunta é: se as coisas já não andavam nada bem, se sentias que esse é um casamento sem futuro, por que é que decidiste ter outro filho?
Isso são coisas que me fazem imensa confusão.

Depois quem me lê sabe que sou da opinião que não se deve desistir de uma relação à mínima contrariedade, mas, se em dez aos as coisas não mudaram, se não há afetos muito menos sexo, se não te sentes feliz... E para os filhos, pior que um divórcio, é crescer num lar onde os pais não gostam um do outro e passam a vida a chatear-se.

Retrato de Sissy78
Seg, 31/12/2018 - 09:37
Sissy78:
Membro desde: 23.05.2011

Sim, tens toda a razão; a questão é que andámos a tentar imensos anos, sem nunca conseguir ter o segundo filho, e apesar de toda esta situação, eu acomodei-me e deixei andar porque ainda o amava... e quando já não acreditava mais que fosse possível engravidar (depois de tratamentos falhados inclusivé), aconteceu...
Enfim, é como dizes, vou tentar fazer com que isto funcione - não sei se o vou amar novamente, mas vou tentar com todas as minhas forças. Falei com ele e ele tem tentado mudar... já é ponto assente para ele que a tentativa de mudança tem mesmo que ser real e não apenas intenção de uns dias.
Vamos ver... Lá está não quero desistir, principalmente com 2 crianças pequenas pois é importante que tenham alguma estabilidade e referência familiar.

Obrigada pela opinião.

Retrato de Konigvs
Seg, 31/12/2018 - 13:59
Konigvs:
Membro desde: 21.10.2011

Eu acho que , chegados ao ponto do desencantamento, dificilmente as pessoas se voltam a encantar e as coisas voltam a ser como eram. Acho que se podem entender, dar-se bem, respeitar-se, ser amigas, mas voltar ao que era nos tempos de encantamento, tenho para mim que não...
Por mais que se mude o óleo e faça as manutenções a tempo e horas, um motor com 400 mil Km nunca voltará a ser 0 Km.

(é verdade, acabei de comparar uma relação ao motor de um carro!)

Retrato de MOPA
Qua, 02/01/2019 - 11:42
MOPA:
Membro desde: 23.06.2015

Olá!
Queres dar uma oportunidade ao casamento pelos filhos. Ok. Compreendo a situação porque os filhos mudam tudo. Tenta. Se voltar tudo ao mesmo o melhor mesmo é dar a oportunidade um ao outro de serem felizes…
Se te divorciares não estás a ser egoísta. Estás a pensar na felicidade. É melhor estar separada e ser feliz, e ao seres feliz fazes os teus filhos felizes, do que estar casada e sentires-te miserável todos os dias. Que felicidade é que podes dar as teus filhos se não és feliz? Quer dizer, podes tentar disfarçar a tristeza, mas disfarçar todos os dias e fingires que és feliz para os teus filhos verem não é fácil. Há-de haver o dia em que rebentas porque não aguentas mais.
Quanto à sogra, tens que a meter na linha, com respeito claro. Tens que colocar limites. Tu mandas na tua casa não é ela. Fala com o teu marido. Ele até pode contar as coisas à mãe, a última palavra é sempre vossa. Tens que o fazer ver que a vida é vossa e não vossa e da mãe dele. Tens que meter travões a sogra. Claro que ela não vai gostar e vai fazer birras pois tem o controlo do filho, vai fazer-se de vitima, mas com esperteza e classe da tua parte vais conseguir coloca-la no devido lugar. Nos meus primeiros tempos de casada tive que meter os sogros no devido lugar (sempre com respeito e classe), porque se não o fizesse tinha todos os fins de semana os sogros a mostrar a nossa casa como se fosse a casa deles à respetiva família e amigos (deles claro) … eliminei logo o mal pela raiz logo na primeira tentativa (e já vinham a caminho da nossa casa).
Tudo a correr bem!

Retrato de lisa santos
Dom, 06/01/2019 - 00:58
lisa santos:
Membro desde: 04.11.2009

Infelizmente compreendo.te
Quando conheci o meu marido ele parecia apaixonado por mim, no entanto conforme o tempo foi avançando vi que as coisas não eram assim. Nada de beijos ou carinhos sem ele dar autorização. Na parte sexual sinto me aniquilada. Eu chego a implorar.. . nota se a total falta de desejo dele. Sinto que ele me vê de forma fratrnal, enquanto eu o desejo e amo de forma muito intensa. Sinto me de rastos...eEle já me deu a entender que não necessita de fazer amor comigo. Não sei o que fazer para ele me desejar.

Retrato de Konigvs
Dom, 06/01/2019 - 07:47
Konigvs:
Membro desde: 21.10.2011

Estranhamente agora cada vez mais mulheres também se queixam das "dores de cabeça" dos homens....

Post