Os problemas decorrentes da má alimentação de um cão | A Nossa Vida

Os problemas decorrentes da má alimentação de um cão

Os cães, assim como os seres humanos, precisam de uma alimentação variada e equilibrada para crescerem mais fortes e saudáveis. Eles não devem comer os restos da comida do almoço ou do jantar dos seus donos, uma vez que estes são muito gordurosos e condimentados e isso é-lhes prejudicial ao palato e sistema digestivo. É fundamental que os animais sigam uma dieta nutritiva e reforçada em termos energéticos para uma maior longevidade. Conheça os problemas decorrentes da má alimentação de um cão e garanta uma maior esperança média de vida ao seu amigo de quatro patas.

A má alimentação de um cão

A má alimentação de um cão reflete-se nas atitudes e nos comportamentos do animal no desempenho das suas funções diárias. Se o seu pet não tiver uma boa alimentação e se esta não for suficientemente equilibrada e nutritiva, ele não terá muita energia, vontade de brincar e de estar junto dos seus donos. Além disso, também poderá desenvolver vários problemas de saúde que o impedem de ser um animal verdadeiramente feliz.
Para que o seu cão seja um animal saudável, é fundamental que a sua ração seja de qualidade e rica em proteínas e nutrientes. Nesse sentido, é aconselhável que os donos optem pelas rações premium ou super premium existentes no mercado, nomeadamente nas lojas especializadas de animais ou nas clínicas veterinárias, uma vez que estas são as mais completas e nutritivas para as exigências alimentares do seu animal de estimação.

Os problemas decorrentes da má alimentação canina

Quando um cão é alimentado exclusivamente com os restos das refeições dos donos ou rações pouco nutritivas, é natural que ele se sinta fragilizado e desenvolva alguns problemas de saúde. Dos mais importantes, destacam-se os seguintes:

Falta de energia e de vitalidade

Os cães sentem muito na pele a falta de nutrientes e de proteínas necessárias para a realização das tarefas mais básicas do dia-a-dia, daí a importância de uma ração rica em nutrientes e carnes frescas inteiras. Se as suas necessidades nutricionais não forem saciadas, é comum que os animais se sintam sem vitalidade e energia para a realização das suas atividades mais rotineiras. No entanto, também é de realçar que há cães que são mais pachorrentos por eles próprios e isso em nada tem a ver com a sua alimentação.

Comportamento agressivo

Os cães, à semelhança dos seres humanos, têm necessidades dietéticas específicas e quando não se alimentam corretamente sentem-se mais frustrados e insaciados, o que altera os seus comportamentos e forma de estar. Um animal mal nutrido pode ter uma atitude e comportamento mais agressivo para com aqueles que estão ao seu redor e fá-lo de forma instintiva e inconsciente, daí a importância de ter sempre uma boa alimentação.

Obesidade ou excesso de peso

Quando um animal não tem uma alimentação correta e equilibrada, ele come em excesso para saciar a sua fome de nutrientes e de proteínas e isso pode conduzir à obesidade ou a um excesso de peso. Para contrariar esta tendência, é necessário respeitar a qualidade da ração que serve ao animal, assim como a quantidade de vezes ele come ao dia (um cão adulto precisa de comer uma ou duas vezes ao dia, mas isso também depende da raça e do porte do animal).
O excesso de peso pode provocar bastantes complicações a um cão, como por exemplo problemas cardiorrespiratórios, artrite, rotura de ligamentos, diabetes (e cegueira) e todos eles são nocivos à saúde do animal, diminuindo a sua esperança média de vida.
Os donos devem controlar sempre a dieta dos seus animais de estimação consoante aquilo que eles precisam para o desempenho das suas rotinas diárias. A obesidade ou o excesso de peso de um cão torna-se evidente quando a energia consumida através dos alimentos é superior às exigências do seu organismo. Um cão que faz muito exercício físico precisa de muita mais energia que um cão que, por exemplo, passa todo o dia em cima do sofá. Os donos devem sempre incentivar os animais a fazerem exercício e, como tal, devem treiná-los, fazer jogos, caminhadas e brincadeiras com eles, uma vez que isso é fundamental para a saúde e qualidade de vida dos companheiros de quatro patas.

Leia também...