Conviver pacificamente com os sogros: os 8 mandamentos

pais do noivo

O casamento traz, inevitavelmente, a junção de duas famílias, e quer queiram, quer não, marido e mulher ganham um novo pai e uma nova mãe. Um dos grandes desafios dos recém-casados é conhecer e aceitar os sogros, situação nem sempre facilitada pelos mesmos que acabaram de “perder” o seu filho ou filha. A longo prazo, conviver pacificamente com os sogros será benéfico para todos. E é possível. Saiba como.

  1. Comunicação. É fundamental que vocês enquanto casal possam falar abertamente sobre as vossas famílias, o que podem esperar delas, qual a melhor forma de lidar com esta ou aquela situação, desabafar quando algo correu menos bem ou a sua sogra disse algo que lhe deixou sentida. Evitem criticar os pais um do outro e fazer comparações entre sogros. Nunca exigem que o vosso marido ou mulher escolha entre você ou os seus pais – não é a solução ideal, nem a mais adequada. Quantos mais problemas existirem entre um casal e os seus sogros, mais problemas vão existir na vossa casa. Não se esqueçam dos votos que fizeram no dia do casamento: para o bem e para o mal. No caso do bem, e contrariando as crenças, existem sogros maravilhosos! No caso do mau, esperemos que rapidamente se transforme em bem.
  2. Respeito. São mais velhos, têm mais experiência de vida, mais sabedoria e são os pais dos vossos respectivos, ou seja, as pessoas responsáveis pela existência do amor da vossa vida. Mesmo que eles dificultam a vossa vida, é importante manter o nível de respeito: nada de discussões acesas, cenas deploráveis, vozes elevadas e palavrões… não lhes querem dar mais motivos para lhes apontarem o dedo, pois não? O respeito é muito bonito e trará os seus frutos.
  3. Flexibilidade. Todas as famílias são diferentes e não podem esperar que a casa dos sogros vai ser um espelho da casa dos vossos pais e vice-versa. A hora do jantar, a forma como celebram o Natal e as reuniões familiares mensais podem ser uma grande novidade para vocês, mas não deverão ser motivo de frustração ou de zanga com o seu marido ou esposa. Abracem a vossa nova família e todas as mudanças que essa possa implicar com uma mente aberta, muita paciência e uma boa dose de flexibilidade – a receita certa para uma excelente relação com os sogros.
  4. Carinho. Não se esqueçam que a felicidade que o vosso casamento trouxe para ambas as famílias e que estão bem visíveis nas fotografias do grande dia, está inevitavelmente salpicada de alguma tristeza. Em muitos casos, os agora sogros vêem-se, de repente, com menos ou nenhum filho(a) em casa, sentem-se muitas vezes “trocados” pelo novo marido ou mulher; e enquanto vocês se dedicam à vossa nova vida e casa, os sogros sentem-se muitas vezes “abandonados” e deprimidos. Façam questão de arranjar tempo para passarem com ambos os pais, principalmente na fase inicial que, embora seja de lua-de-mel para vocês, é particularmente difícil para eles.
  5. Espaço. Todos precisam do seu próprio espaço e no casamento isso é sagrado, tanto até que surgiu o célebre ditado: “quem casa, quer casa”. Ora se quando menos esperam os vossos sogros estão à porta de casa (e isto repetitivamente) ou então exigem que passem fins-de-semana inteiros com eles, a vossa casa quase que deixa de fazer sentido. Estabeleçam regras como “telefonar antes de aparecer” ou “não telefonar antes do meio-dia aos fins-de-semana”; e tenham em mente que passar mais do que uma noite seguida debaixo do tecto dos sogros pode ser de mais… para todos. Quanto mais tempo permitirem que este género de situações aconteçam, mais difícil será alterá-las. O espaço suficiente entre casais e sogros vale ouro.
  6. Não. Como em qualquer aspecto das vossas vidas pessoais e profissionais, há que saber dizer que não… mesmo aos pais, mesmo aos sogros. Se no próximo domingo não lhes apetece ir lá almoçar, porque é que têm de ir? Se a sua sogra insiste em aparecer-lhe em casa todas as semanas com meia dúzia de sacos de compras e não se sente confortável com isso, é importante dizer-lhe. É crucial estabelecer limites e transmiti-los aos sogros, de forma subtil, educada e sincera. Grande parte das vezes, não é o “não” que fere os sentimentos das pessoas, mas sim a forma como é dito.
  7. Silêncio. Não se metam onde não são chamados, ou seja, se há uma discussão acesa sobre um assunto familiar mais pessoal, não dê opiniões a não ser que os vossos sogros lhes peçam. Em alternativa, não vá a correr para os braços do seu marido/mulher cada vez que algo corre menos bem na casa dos sogros – existem coisas às quais não vale a pena dar importância, muito menos fazer “queixinhas”. No entanto, se as situações desagradáveis se tornarem repetitivas, é importante informar o seu parceiro para que, se necessário, ele/ela fale com os seus pais.
  8. Prioritário. O vosso casamento e nova vida enquanto casal deve estar sempre em primeiro lugar, afinal de contas acabaram de constituir a vossa própria família. É perfeitamente natural que sintam uma enorme lealdade para com os vossos pais, estando dispostos a largar tudo para irem ao seu encontro. No entanto, tudo tem o seu limite e nunca deve colocar o seu marido ou mulher em segundo plano. A partir de agora, são vocês quem devem ocupar o primeiro lugar.
Média: 4.4 (62 votos)

Artigos relacionados

Olá a todos, estou neste momento a viver um grande dilema na minha familia que não sei como ultrapassar. Discuto com o meu marido quase diariamente...
Bom dia Pois é, após 4 anos e meio de namoro lá vamos fazer o almoço dedicado ao primeiro encontro entre os meus pais e os pais do meu namorado...
Olá meninas!!! Sou nova nesta parte do forúm porque sou casada de fresco, apenas há 2 semanas... Gostava de receber conselhos...Como a nosso casa não...
Olá meninas, queria apenas desabafar porque ontem tive uma discussão com o marido porque ele insiste em ter uma chave de nossa casa, na casa dos pais...
O casamento traz, inevitavelmente, a junção de duas famílias, e quer queiram, quer não, marido e mulher ganham um novo pai e uma nova mãe. Um dos...
...