Como viver o primeiro ano de casados

Casal na praia

Apenas são necessários 6 simples ingredientes:

  • empenho
  • tolerância
  • respeito
  • lealdade
  • sentido de humor
  • tempo de qualidade juntos

Casaram, e agora como recém-casados têm a missão de viverem uma vida a dois, algo que nem sempre é fácil. Embora a lua-de-mel tenha sido uma delícia agora está na hora de voltar à realidade. Porém, esta realidade apenas depende do esforço de ambos para conseguirem ultrapassar o primeiro ano com sucesso.

O primeiro ano é o ano onde se limam arestas: ambos se ajustam um ao outro, aprendem a conviver, descobrem características que desconheciam um no outro, mas acima de tudo é um ano de aprendizagem emocional onde cimentarão as forças necessárias para construírem uma vida de casados longa e saudável. Existem algumas dicas que poderão ajudar no primeiro ano do casamento: assimilem-nas!

Não fujam dos conflitos

Antes de decidirem que no vosso casamento não existirá lugar para conflitos, discussões ou situações do género, aceitem que essas situações são comuns e que todos os casais discutem, mesmo que sejam concordantes na maioria dos assuntos. Vocês são seres humanos individuais - cada um com mais ou menos características distintas do outro -, logo os conflitos serão naturalmente uma realidade. Nesta situação o que realmente interessa é como se lida com o conflito, e não como se evita! A forma como lidarem com os conflitos será determinante para a consistência da relação. A solução nem sempre passa por resolverem o problema na hora; devem dar um ao outro o tempo suficiente para reflectirem sobre o problema e para compreenderem a perspectiva de ambos. Entretanto, mantenham uma atitude positiva face à relação, e quando estiverem preparados conversem, pois desta forma certamente chegarão a um compromisso coerente e satisfatório.

Dêem tempo ao tempo

Habituarem-se a viver juntos: o facto de sentirem que estão casados, realmente, demora cerca de 1 ano; até lá deixem o tempo auxiliar a habituarem-se ao facto de estarem casados. O primeiro ano de casamento é um ano de ajustes e, como tal, por vezes, mais complicado. Aceitem este facto e sejam tolerantes, pois os conflitos e as discussões que existirem não vão ser resolvidos apenas num ano, por vezes prolongam-se pela vida toda, pois discordar nem sempre é mau. O importante é não se sentirem frustrados pelo facto de ainda estarem a tentar limar as arestas na vida a dois: por vezes têm mesmo de concordar em discordar.

Aceitem as diferenças

As diferenças entre ambos podem ser fontes de conflito. Contudo as diferenças que ambos trazem para o casamento podem ser algo de positivo na relação: podem trazer interesse, aprendizagem, excitação... por exemplo se um gosta de ir dançar e o outro não, talvez em vez de negar o interesse em dançar, possa acompanhar o parceiro às aulas de dança e aprender com ele uma nova forma de fazerem em conjunto algo novo. Na realidade, é mais fácil tornar uma diferença em algo positivo do que imaginam. As diferenças podem ajudar a evitar a rotina e tornar a relação mais vibrante. Abracem as diferenças de ambos e transformem-nas em algo positivo para a relação.

Criem laços de confiança

A confiança é o maior laço que podem ter a cimentar a relação. Para existir confiança é apenas necessário algo: ambos fazerem o que dizem e o que prometem. Nunca façam promessas que não pretendem cumprir. Por exemplo, se um de vocês não pretende de facto deixar de sair mais cedo do trabalho para ajudar em casa, então não diga que o vai fazer.

Preparem-se para apimentar as coisas

Com a rotina, o romance tende a esfriar e se não se prepararem para fazerem algo para manter o romance vivo, a falta dele poderá ter um impacto negativo na vossa vida conjugal. Na realidade é impossível manterem a paixão inicial acesa a todo o momento, senão corria-se o risco de terem um ataque cardíaco em poucos anos. O stress, o trabalho, as contas por pagar, o chegarem a casa cansados e sem paciência, são factores que usualmente tendem a dar origem à falta de entusiasmo na vida íntima. Então o que fazer? Removam a TV do quarto, e dêem ênfase aos detalhes e à magia que faz acender a paixão de novo. Continuem a marcar jantares românticos e a terem momentos especiais - vocês são especiais! - e nunca, mas mesmo, NUNCA! deixem o romance deixar de ser uma prioridade.

Sejam família das famílias

Nenhum de vocês pode mudar de família. Quer queiram, quer não, estão ligados a uma determinada família e com a junção das vossas vidas também se junta a família. Por isso, mesmo que alguma das famílias - incluíndo as sogras – seja mais complicada, deverão saber lidar com esses comportamentos, mesmo que os considerem menos apropriados. Coloquem os vossos sentimentos pessoais de parte e pensem que ninguém é feliz pela metade, e na vida tudo faz falta, inclusive a família. Exigirem que a pessoa com quem casaram tenha de escolher entre um de vocês e a família, é exigir que neguem uma parte da sua vida, passando essa pessoa a viver pela metade. Certamente que não é isto que desejam para a vossa vida. Permitam que cada um de vocês continue a conviver com a família mesmo que estejam desprovidos da companhia um do outro. Vocês não têm de amar a família um do outro, apenas têm de a tolerar, a partir daí se se desenvolverem laços mais profundos melhor, senão convivam e sejam sempre educados e tolerantes; com o tempo tudo se ajusta e tomar decisões com base na emoção e não na razão pode ser desastroso, pois nunca perdoariam a ninguém que vos obrigue a privarem-se de conviver com quem amam.

Brinquem um com o outro e riam muito

Todos temos uma criança dentro de nós que sempre que é despertada pela positiva, torna-nos seres dóceis e adoráveis. Brinquem um com o outro, nunca esqueçam o humor e as partidas infantis que levam a bons momentos e que criam intimidade. Não têm de ser sérios apenas porque estão casados! Mantenham a chama que há dentro de vocês, acesa, especialmente quando alguns desentendimentos a parecem apagar; às vezes não há nada tão simples como um sorriso para transformar um momento mau num momento bom.

Abracem a realidade

Aceitem que uns dias são melhores que outros; aceitem as diferenças e os dias menos bons um do outro. Viverem juntos é isso mesmo: é perceber que a relação tem um futuro promissor mesmo que durante um dia ela pareça estar condenada. Somos humanos e a expressão “E viveram felizes para sempre...” apenas se aplica aos contos infantis pois pode-se viver feliz para sempre, mas existirão dias que são menos bons que outros e o lema deveria ser “E viveram com tolerância e amor para sempre, apesar de todas as dificuldades.” E mentalizem-se que amanhã acordarão felizes, mesmo que hoje tenha sido menos feliz!

O primeiro ano de casamento é de facto um tempo muito especial, cheio de peculiaridades. Sejam confiantes, inteligentes emocionalmente e acima de tudo sejam vocês mesmos num só.

Média: 4.6 (92 votos)

Artigos relacionados

Olá meninas! Bemmmm isto de aos poucos ir compondo a nossa casinha tem que se lhe diga! Falta sempre alguma coisa!!! Vocês não têm o mesmo problema?...
Olá a todos. Apesar de ser seguidora do site e do forum é a minha primeira vez aqui, a escrever alguma coisa, em jeito de desabafo. Moro com o meu...
Numa perspetiva decorativa de “façam vocês mesmos” poderão poupar no custo de um decorador, ou mesmo no custo da mão-de-obra que contratariam para...
Olá Bom é o seguinte eu tenho 22 anos sou bastante inocente, sou de uma familia humilde a minha mãe sempre trabalhou com costura e o meu pai com...
Tenho 31 anos, sou licenciada e pós graduada em tecnologias da comunicação e marketing. Trabalho há cerca de 7 anos na mesma empresa. Vim para cá...