Emigrar e deixar dívidas | A Nossa Vida

Emigrar e deixar dívidas

Retrato de bcc
08.12.2012 | 19:28
bcc:
Membro desde: 31.10.2012

Eu e a minha namorada vamos emigrar no inicio do ano para França. Tenho lá família e emprego garantido para os dois. Cá tornou-se quase impossível viver...

Acontece que a minha namorada devido à sua situação com ordenados em atraso e consequente desemprego, entrou em incumprimento com um crédito pessoal, a conta bancária associada ao emprego era uma conta ordenado que com os ordenados em atraso ficou bem negativa... Eu também fiquei desempregado, ajudei-a naquilo que pude mas infelizmente não foi possível chegar a nenhum acordo de pagamentos e o caso do credito pessoal já se arrasta desde 2010 qualquer dia sai uma decisão qualquer de penhora (ainda que ela nada tenha em seu nome).

A questão é, pode ela vir comigo, deixando cá as dívidas? O que poderá acontecer quando voltarmos cá de férias? Poderá ser presa ou ter problemas com a justiça? Ser considerada fugida à justiça por estar em parte incerta? Penhorarem o ordenado dela noutro país?

Sei que muita gente vai julgar o caso precipitadamente, mas somos pessoas com valores e a única solução neste momento é mesmo emigrar. De modo algum me agrada a situação e claro que se pudesse íamos sem estes fantasmas das dívidas. Agradeço por isso que quem ler isto que respeite e responda às perguntas. Não pretendo conselhos nem julgamentos, mas sim informações concretas que poderão ser úteis a todos que estão na mesma situação difícil.

Obrigado.


Retrato de ana.loira
Sáb, 08/12/2012 - 20:00
ana.loira:
Membro desde: 24.05.2011

Na minha opinião,e se fosse comigo faria assim,avisava o banco,contava-lhe a história toda,e concerteza que vão lhe fazer as contas e dividir por mensalidades,todos os meses enviam esse dinheiro para o banco de maneira a baixar a divida e por fim eliminá-la.
Porque deixar como está,nunca poderiam ter cá nada em vosso nome ou abrir uma conta bancária,e um casal novo ficar assim com as "pernas cortadas",não é nada bom,até mesmo para o bom nome da pessoa.

Retrato de bcc
Sáb, 08/12/2012 - 20:10
bcc:
Membro desde: 31.10.2012
ana.loira wrote:

Na minha opinião,e se fosse comigo faria assim,avisava o banco,contava-lhe a história toda,e concerteza que vão lhe fazer as contas e dividir por mensalidades,todos os meses enviam esse dinheiro para o banco de maneira a baixar a divida e por fim eliminá-la.
Porque deixar como está,nunca poderiam ter cá nada em vosso nome ou abrir uma conta bancária,e um casal novo ficar assim com as "pernas cortadas",não é nada bom,até mesmo para o bom nome da pessoa.

Ela já foi ao banco e na altura a dívida foi dividida mensalmente... Mas ela não teve direito a subsídio de desemprego e não conseguiu pagar todas as mensalidades e a divida foi vencida. O banco recusa-se a negociar novamente. E o problema não é só o que ela fica a dever ao banco mas tb o crédito pessoal a uma financeira.
Claro que me preocupa o futuro, porque se casar também eu fico com as dividas dela e não poderei ter nada em meu nome cá em Portugal caso um dia pense voltar... Mas a verdade é que não nos resta alternativa em emigrar neste momento.

Retrato de Láu9
Sáb, 08/12/2012 - 20:16
Láu9:
Membro desde: 26.11.2012

Olá.
No teu caso eu ia ao banco explicar as coisas. Já vi que não chegaram a acordo relativamente aos pagamentos mas agora podem explicar que ela vai trabalhar e assim pode amortizar a dívida. Penso que o banco não deve levantar problemas uma vez que o interesse deles é que a pessoa pague a dívida, esteja aqui ou fora daqui. Eu digo isto porque conheço duas situações semelhantes: uma delas já está resolvida e a pessoa em questão emigrou porque pediu um empréstimo e depois quando foi começar a pagar viu-se sem trabalho e então foi ao banco renegociar o pagamento e explicou que ia emigrar e eles não levantaram problemas. A outra pessoa foi um bocadinho diferente e se não conseguirem renegociar a dívida e não for permitido à tua namorada deixar o país, podem também optar por fazer isto: a pessoa em questão tinha empréstimos para pagar mas já era casada e estava em nome dele e da esposa. A esposa ficou cá com a filha e o senhor foi para a Suíça com o filho trabalharem para pagar as dívidas. Eu não sei qual é o valor do crédito da tua namorada mas em último caso, vais tu primeiro e podes ajudá-la até ela ter tudo pago e depois ela vai ter contigo. E não sei mais que te diga...
Desejo-te muito boa sorte, com o crédito e espero que a "aventura" corra bem e sejam ambos bem sucedidos. Vai dando notícias e algo que precises, diz! Smile

Retrato de bcc
Sáb, 08/12/2012 - 20:29
bcc:
Membro desde: 31.10.2012

Obrigado Láu9.
Ela tb já tem o emprego à espera dela... é aquela situação do "agora ou nunca". Além de que ela cá não tem como viver sozinha sem emprego. Os pais dela infelizmente não podem ajudar pois recebem reformas miseráveis.
O meu medo mesmo é que ela tenha problemas com a polícia numa visita cá ao país. Já sei que ng vai pagar a dividas por ela, e que ir embora não faz com que deixem de existir. Mas tb o facto de ela cá ficar não vai resolver o assunto se não tem emprego nem ordenado. Já me disseram que ninguém vai preso por não conseguir pagar empréstimos e créditos se não tiver dinheiro nem bens. Mas no caso de emigrar tenho medo que seja considerado "fuga" e que isso lhe traga problemas com a justiça.

Retrato de miss.jinks
Sáb, 08/12/2012 - 21:22
miss.jinks:
Membro desde: 01.02.2012

So vai ser considerado fuga se estiver 1 processo em tribunal a correr contra ela ou tiver algum mandato, se tal nao é o caso tem liverdade para sair do pais sem problema. Mas... no caso de ter que renovar documentos, BI ou passaporte, tal pode-lhe ser negado, ja aconteceu a outras pessoas.

Era preferivel falar com o banco e explicar a situacao, até porque chegando a França pode começar a pagar no balcao do banco la, ir depositando todos os meses algum dinheiro para abater a divida.

Relativamente ao casamento, Separação total de bens - não há compartilhamento de bens passados e futuros, sendo cada um dos nubentes titular único dos bens colocados em seu nome.

Logo nao tens que pagar pelas dividas, mas atenção, nao podes ter conta no banco com ela.
Caso contrario o banco bloqueia a conta e nao te deixa aceder ao dinheiro.

Boa sorte

"Girls Just Want To Have Fun"

Retrato de Cantinho da Corvaxv
Sáb, 08/12/2012 - 21:23
Cantinho da Corvaxv:
Membro desde: 04.06.2010
bcc wrote:

porque se casar também eu fico com as dividas dela

Não ficas. As dividas ou heranças adquiridas antes do casamento são individuais e não agregadas a ti.
Só dividas posteriores ao casamento é que são dos dois, mesmo que feitas em nome individual.

Retrato de bcc
Sáb, 08/12/2012 - 21:45
bcc:
Membro desde: 31.10.2012

Obrigado miss.jinks e cantinho da corvaxv. Fico mais esclarecido quanto ao casamento, ainda que na prática o que a afecta a ela também me afecta a mim. Mas ao menos já sei que eu não tenho qualquer problema em ter cá qualquer coisa em meu nome em caso de casamento.

Quanto à parte dos documentos é um grande problema... Mas isso só se aplica pq ela vai sair do país? E se mantiver a morada dela cá em casa dos pais dela?

Retrato de danieladom
Sáb, 08/12/2012 - 21:53
danieladom:
Membro desde: 09.07.2008

Concordo com a miss.jinks... a partir do momento que n haja processos a decorrer em tribunal são livres de sair, mas assim que a coisa fique "seria" o consulado faz questão de os avisar e realmete em ultima instancia não conseguem ter acesso a renovação de documentos. Conheço varios casos de portugueses que emigraram para ca (belgica) com situações semelhantes e como tem trabalho vão mandando dinheiro pagando as contas... por outro lado há alguns que devem a todo o mundo, e andam aqui há anos felizes da vida (pelo menos ate agora). SE ambos tem trabalho garantido não vejo problemas, ela pega em parte do ordenado que vai receber mensalmente em frança, envia para a conta em portugal (ou faz transferencia directa, n sei como funciona o sistema de pagamentos) e vai pagando o que deve, ja que esse é o principal interesse do banco. Ninguem os vai prender assim que voltem a portugal sem mais nem menos, mas é importante que vão pagando uma parte todos os meses para que o banco veja que estão a cumprir senão pode tomar medidas. Quanto ao casamento ou te casas em separação total de bens ou comunhão de adquiridos. Assim não és resonsavel pelas dividas dela, mesmo apesar de estares casado.

Retrato de bcc
Sáb, 08/12/2012 - 22:04
bcc:
Membro desde: 31.10.2012

Danieladom,
Sim é minha/nossa intenção depositar cá algum dinheiro nessa conta mensalmente, e o banco que resolva como quiser e que o vá levantando, já que dizem que não podem renegociar porque a divida está vencida e que vão tratar do assunto judicialmente.

Mas quanto ao credito pessoal de uma agência financeira é mais complicado porque já foi entregue a um agente de execução no fim de 2010.

Retrato de ana.loira
Sáb, 08/12/2012 - 22:29
ana.loira:
Membro desde: 24.05.2011

Mas até mesmo a esse agente de execução,podem explicar,mais vale do que não dizer nada,senão parece que não querem saber e combinar uma forma de pagar,de outra forma logo que ela deposite cá algum dinheiro vão buscá-lo,e sim a correspondencia,deve continuar a ir para a casa dos pais e devem abrir,porque haver alguma coisa até do tribunal,e se for para trás pior será.