Emigrar e deixar dívidas | Page 2 | A Nossa Vida
34 entradas / 0 new
Última entrada
Retrato de Mr.V
Dom, 09/12/2012 - 00:25
Mr.V:
Membro desde: 05.09.2008

Vamos lá a ver no que é que posso ajudar...

1.º Ponto: Dívidas cíveis não te dão a hipótese de prisão, nem de cumprires pena, nem de seres presa, nem sequer da policia andar à tua procura...

2.º Ponto: Dívidas cíveis dão-te penhoras, de vencimentos, subsídios, irs, créditos, quotas em sociedades, penhoras de bens móveis, veículos, imóveis, etc, e apenas em Portugal.

3.º Ponto: Não resolves a situação e emigras, tudo bem. Um dia que voltes para Portugal, podes ter o problema à vossa espera, existem prazos de prescrição mas são compridos...

4.º e último ponto: Agora não podem pagar, emigrem, mas resolvam o quanto antes...

Qualquer dúvida dispõe...

Retrato de bcc
Dom, 09/12/2012 - 01:53
bcc:
Membro desde: 31.10.2012

Muito obrigado pelas informações. Estou bem mais esclarecido e descansado!
Por agora não temos alternativa. Mas claro que tendo a situação estável lá, faço intenções de quando vier cá me informar do ponto de situação e tentar resolver este problema de modo a não se arrastar muito mais tempo e não termos sempre esta nuvem negra a pairar sobre as nossas cabeças.

Retrato de Mr.V
Dom, 09/12/2012 - 12:04
Mr.V:
Membro desde: 05.09.2008

O Lobo esclareceu as minhas respostas de forma clara. Só não tenho a certeza da suspensão dos prazos de prescrição, com a entrada de acções judiciais, por exemplo...

Editei só para acrescentar que, quando me referi a dívidas cíveis queria fazer a distinção quanto a um crime de abuso de confiança fiscal, não pagar ao fisco é crime e ai sim, já pode ser condenado a prisão, era esta a diferença que queria fazer...

Retrato de Cantinho da Corvaxv
Dom, 09/12/2012 - 16:32
Cantinho da Corvaxv:
Membro desde: 04.06.2010

Apenas um á parte, quem tem fome rouba outras coisas que nao chocolate ou artigos de luxo

Retrato de Tequilha
Dom, 26/05/2013 - 08:18
Tequilha:
Membro desde: 26.05.2013

Não sei porquê tanta preocupação com o assunto, pois nunca nenhum juiz irá emitir um mandado de detenção por dividas de créditos, nem a nível Nacional e muito menos a nível Internacional, nem sequer nem colocar-vos com termo de identidade e residência (que é isso que os impediria de sair do pais, logo podes sempre sair do pais independentemente de o processo tiver ou não no tribunal pois tratar-se-á sempre de um processo cível.

Quanto ao regressar ao pais, também pelos pontos acima referidos ninguém vos vai colocar qualquer questão ou sequer chatear no caso de virem de avião, pois de carro como todos sabemos não existem fronteiras na Europa.

No que toca à prescrição das dívidas tenho a dizer que só se for mesmo por um valor muito elevado (quando me refiro a muito elevado falo em valores para cima de 50.000€), ai é que o banco ou financeira, poderão tentar prolongar o prazo dessa mesma prescrição por mais do que os normais 5 anos.

Para terminar sei que quem sai não quer deixar dividas etc, mas a situação em que o nosso pais se encontra leva a que muita gente neste momento esteja a abandonar o pais e tudo o que cá tem, inclusive as dividas sem sequer informar os bancos ou financeiras, é criticável? Sim é, mas só sabe dos problemas quem está neles ou passa por eles.

Como experiência pessoal ao nível deste assunto, enquanto elemento das Forças de Segurança, e cabendo-nos a nós tentar notificar os infractores dos processos executivos por dividas, temos nos deparado com muitas situações em que apuramos que as pessoas efectivamente já não se encontram em Portugal, e ao transmitirmos essa informação aos bancos e financeiras, o que está a acontecer é que estes últimos dão os créditos/dividas como incobravéis, pois a jurisdição quanto a esse assunto restringe-se só e apenas ao território Nacional.

Espero ter esclarecido.

Retrato de businesscoutinho
Dom, 26/05/2013 - 16:09
businesscoutinho:
Membro desde: 17.05.2012

Conheço o caso de uma pessoa amiga que esteve no estrangeiro (ainda por cima, num país da UE!) e por lá comeu o pão que o diabo amassou, com as mais diversas situações difíceis. Essa pessoa não é uma ladra nem uma pessoa sem escrúpulos; queria pagar o que devia (INCLUINDO A CASA) mas não só deixou de poder fazê-lo, como ainda andou em consultas de psicologia, neurologia e ATÉ psiquiatria por causa desse problema! surgiu a oportunidade de a pessoa voltar ao seu país Natal (tb UE) e foi o que essa pessoa fez. Segundo creio, tinha o crédito da casa, cartão de crédito e crédito pessoal para pagar. Tanto quanto sei, a pessoa já voltou ao seu país de origem há cerca de 8 anos e nunca ninguém a incomodou. O banco deve ter ficado com a casa (e com o que já estava pago, claro!), e também teve de «chupar» os créditos contraídos e não pagos. É bonito? Não. Deve fazer-se? Não. Porém, não esqueçamos também que os bancos são os verdadeiros chulos da sociedade, jogam e ganham juros com dinheiro que não é deles; exigem às pessoas que paguem juros sobre o dinheiro que NÃO É DO BANCO mas de quem o lá deposita - e são juros exorbitantes, por comparação com a merda que pagam para a gente lá ter o NOSSO dinheiro; se estão descapitalizados, mais uma vez é o desgraçado do mexilhão que lhes mete aos 4 mil milhões no CU (que é mesmo assim!), depois de estes serem roubados pelos capangas do governo através dos impostos e da Seg. Social. Além disso, meu querido casal de amigos, quando o «banquinho» nos empresta alguma coisa (do dinheiro que NÃO É DELES, REPITO!), não é pelos nossos bonitos olhos, mas porque têm a GULA apontada para os juros que vão cobrar por emprestarem DINHEIRO QUE NÃO É DELES. Trata-se, portanto, de AGIOTAGEM permitida pela lei.

Portanto, se me permitem, o meu conselho é o seguinte: façam as coisas da melhor maneira que acharem possível para a vossa situação pessoal.

Porém, em última análise, se a opção for entre a vossa vida e encher o cu aos bancos, aconselho-vos a que escolham a vossa vida, mandando os bancos todos para o crlh e SEM PROBLEMAS DE CONSCIÊNCIA, porque os maiores PULHAS que existem ao cimo da terra são esses animais que todos os dias nos sugam o sangue! Incutiram-nos a quase todos (exceptuando os banqueiros) que devemos ser honrados e pagar o que devemos, mas nunca ninguém nos preparou para o que temos hoje, para a pulhice e ladroagem que imperam na promiscuidade entre a política e a alta finança. Também não nos disseram que entre encher o cu a estes pulhas e a sobrevivência, primeiro está a sobrevivência, pois essa é a tendência natural! E, repito, em última análise: PUTA QUE PARIU OS BANCOS! QUE SE AFUNDEM TODOS NA SITUAÇÃO QUE ELES PRÓPRIOS CRIARAM POR CAUSA DA SUA GULA E DA SUA AGIOTAGEM! ELES NÃO VOS EMPRESTARAM O DINHEIRO POR TEREM PENA DE VOCÊS - POIS NÃO TÊM PIEDADE DE NINGUÉM NEM HONRA E A SUA ÚNICA PÁTRIA É O DINHEIRO -, MAS PARA VOS EXPLORAREM ATÉ AO TUTANO!

Por isso, amigos, façam o que a vossa situação pessoal exigir. Ainda bem que têm trabalho à espera, desejo-vos toda a sorte do mundo, boa viagem e sejam felizes, SEM PROBLEMAS DE CONSCIÊNCIA, porque quem vos inferniza a vida tb não tem nenhuns e dorme perfeitamente nas suas vivendas de 3 andares em Cascais e andam de Mercedes topo de gama, enquanto vcs e a maioria dos mortais andam na merda.

Abraço amistoso e desculpem a linguagem.

Luís

Retrato de NUNO 32
Dom, 16/06/2013 - 11:19
NUNO 32:
Membro desde: 16.06.2013

Boas, eu estou a 2 anos no estrangeiro, tinha um emprestimo automovevel de 15000 e estava a pagar ate ficar desempregado. fui para Inglaterra e ainda paguei durante 4 meses mas nao consegui mais e liguei para a financiadora GEOMONEY, e tentei fixar uma prestacao mais baixa mas nao aceitaram e ainda aumentaram, ja vai um ano e meio que nao pago, a viatura entretanto avariou e esta aqui na Inglaterra, se eu for a Portugal posso ser Preso no aeroporto? tenho tambem uma divida de 50 euros as financas e 100 a PT? o Meu medo e ser preso no aeroporto? E talvez va de novo para Portugal

Retrato de NUNO 32
Dom, 16/06/2013 - 11:23
NUNO 32:
Membro desde: 16.06.2013

e no meu caso? alguem me disse que tinha sido parado no aeroporto porque tinha dividas a PT. tenho credito automovel que nao pago a mais de 1,5 anos e 100 a PT e 50 as financas de IRS. Posso ser impedido de viajar ou ser preso? obrigado

Retrato de Tequilha
Ter, 18/06/2013 - 12:09
Tequilha:
Membro desde: 26.05.2013

Boas, não ninguém o vai prender nem pode por dividas, quer sejam a instituições de credito quer sejam fiscais, pois trata-se de processos cíveis.

Retrato de Joanninha82
Ter, 23/06/2015 - 11:42
Joanninha82:
Membro desde: 23.06.2015

Bom dia,
Tenho seguido os seus comentários sobre este assunto e tem-me parecido bastante fiável. Daí ter optado por lhe colocar esta questão. Quando emigrei, em 2009, tinha o crédito à habitação ainda por pagar. Nos primeiros meses fiz transferências regulares para o banco. Depois tentei alugar a casa mas nunca me chegaram a pagar. Escrevi uma carta ao banco a por a casa à disposição. Durante uns tempos não me incomodaram. Tiraram o que havia na minha conta PPR e na conta a prazo. Só depois começaram as ameaças. Estava numa altura má da minha vida por isso encerrei a conta de email, "fechei os olhos" e esperei que a tempestade amainasse. Afinal, já estava na fase da amortização. Já estava a pagar a casa há 10 anos e não tinha fiadores.
No ano passado aproveitei uma promoção e fui visitar os meus pais por 300 euros. Só as suas intervenções me deram coragem para tal. Apesar de tudo, até passar o controle de fronteira estava cheia de medo de ser detida. Este ano, gostaria de levar as minhas filhas para os avós as verem. Claro que ainda tenho mais medo. Imagine as meninas a verem a mãe ser detida ...por não ter cancelado um cartão de crédito que estava pago, foram sendo emitidos novos cartões e agora tenho a dívida das mensalidades acumuladas. Já verifiquei, estou na lista negra do BP. Entretanto, tenho todas as dívidas ao fisco pagas. Pago religiosamente o IMI da casa que entreguei ao banco todos os anos...
É seguro deslocar-me a Portugal com as minhas filhas? Ou corro o risco, por mínimo que seja, de ser detida? E quando tiver possibilidades de pagar, como devo fazer? Dirigir-me ao banco?

Muito Obrigada,

Joana