viver com depressão "and deal with it" | A Nossa Vida

viver com depressão "and deal with it"

Retrato de sibilla
24.05.2011 | 12:19
sibilla:
Membro desde: 03.11.2010

Olá Smile

Ora bem, este deve ser o enésimo tópico sobre depressão aqui no fórum, mas não quero fazê-lo como muro das lamentações.

Gostava de partilhar ideias, sentimentos e opiniões de quem vive(u) com depressão e lida com isso. Ou seja, não é um tópico para choninhas, nem para nos virmos aqui lamentar da doença, mas sim para que, quem tem ou teve, possa dizer como superou, quais os sintomas, o que é que foi mais difícil mas como acordar todos os dias e sorrir Smile

Eu sou sempre bem disposta mas estou a ficar deprimida, que é coisa que não quero. Os meus primeiros sintomas são o cansaço extremo, desânimo, ataques de pânico e sobretudo uma espécie de "lado negro" que me quer a toda a força afastar-me de tudo de que gosto e me faz feliz Sad é uma tristeza. Lado chunga. Vou agora ao psiquiatra tratar disto, que tenho uma vida linda e ando "a ver mal" Smile

E convosco?


Retrato de Mónica e rafael
Ter, 24/05/2011 - 12:31
Mónica e rafael:
Membro desde: 06.01.2010

Olá!!
Porque não vais antes a um psocologo primeiro?
Pode te ensinar formas naturais, para controlares esses ataques de pânico sem que tenhas de recorrer a medicamentos...
É só uma opinião...
Sou um pouco contra comprimidos, calmantes, antidepressivos... Acho que isso só em ultimo recurso...

Não será só ansiedade?

Tenta resolver da melhor maneira...
Força....

Boa sorte e tudo de bom Wink

Retrato de sibilla
Ter, 24/05/2011 - 12:43
sibilla:
Membro desde: 03.11.2010

Bem, eu acho que é depressão porque já tive uma aos 16 anos e os sintomas são parecidos, sobretudo a irracionalidade e o "lado negro da força" a ganhar terreno. Mas veremos o que o médico diz.

Não vou a psicólogos porque, sinceramente, acabo por dissecar mais o que eles estão a querer fazer do que outra coisa, e não gosto. Tendo a lidar com isto como quem lida com uma dor de dentes, ou afins. Racionalmente sei como o fazer, simplesmente o corpo não responde. É uma reacção química muito violenta que me atira ao chão Sad

Dá-me ideia (não é para te criticar) que muitas vezes se levam as doenças mentais pouco a sério. A psicologia serve mais para controlar, mas para tratar é um médico. Como quando partimos uma perna e vamos ao ortopedista e depois até podemos acabar a fazer fisioterapia ou a receber massagens, percebes? Mas não é com a perna partida que as massagens vão fazer alguma coisa.

Só espero ficar boa depressa, odeio isto :'(

If you don't like my peaches, baby, why do you shake my tree?

Retrato de Anirac Nikon
Ter, 24/05/2011 - 12:47
Anirac Nikon:
Membro desde: 15.04.2011

Este comentário não é para ninguem em especifico mas mais para toda a gente que se sente assim.

Eu so vim aqui para dizer que... conhecendo os casos de depressão grave que conheço... que por vezes é mesmo uma alteração quimica no cerebro e por isso é necessario medicaçao.

Pode parecer que é tudo por motivo x - "insira aqui situaçao dramática", mas por exemplo no caso de uma colega minha que teve sintomas de depressao grave e afinal a depressao era um sintoma de LUPUS. E tal como a Lupus existem centenas de doenças que causam um desbalanço e pode causar o descontrolo quimico e os "sentimentos" de depressão.

Por isso, por favor. Médico.

Retrato de Mónica e rafael
Ter, 24/05/2011 - 12:49
Mónica e rafael:
Membro desde: 06.01.2010

Pois eu também concordo que se deve tratar...
E entendi que estava no inicio da depressão... Que ainda estavas a começar a sentir alguns sintomas e pensei que era uma pequena depressão...
Não sei...

Se já te estas a sentir assim, fazes bem...

Beijinhos e força para a frente Wink

Retrato de Catarina Neves
Ter, 24/05/2011 - 13:32
Catarina Neves:
Membro desde: 06.05.2008
sibilla wrote:

Olá Smile

Ora bem, este deve ser o enésimo tópico sobre depressão aqui no fórum, mas não quero fazê-lo como muro das lamentações.

Gostava de partilhar ideias, sentimentos e opiniões de quem vive(u) com depressão e lida com isso. Ou seja, não é um tópico para choninhas, nem para nos virmos aqui lamentar da doença, mas sim para que, quem tem ou teve, possa dizer como superou, quais os sintomas, o que é que foi mais difícil mas como acordar todos os dias e sorrir Smile

Eu sou sempre bem disposta mas estou a ficar deprimida, que é coisa que não quero. Os meus primeiros sintomas são o cansaço extremo, desânimo, ataques de pânico e sobretudo uma espécie de "lado negro" que me quer a toda a força afastar-me de tudo de que gosto e me faz feliz Sad é uma tristeza. Lado chunga. Vou agora ao psiquiatra tratar disto, que tenho uma vida linda e ando "a ver mal" Smile

E convosco?

Não é fácil, mas também não é o fim do mundo Wink

É importante distinguir estado depressivo (temporário) e depressão crónica Wink Também é fundamental conhecer a origem do problema (no meu caso, hiperactividade) Wink Só desta forma se pode ter consciência do profissional que precisamos de procurar. Wink

Como consegui reagir?

Com a ajuda de:

* psiquiatra (e SIM, MUITA MEDICAÇÃO INICIAL, que me salvou a vida e me permitiu estar a enfrentar (de há 4 anos para cá), talvez as situações mais complicadas da minha vida, sem IR ABAIXO ;); CONFIAR no profissional que escolhemos e seguir à risca as indicações, são meio caminho andado!

* terapias complementares (em conjunto e com a aprovação do médico): Reiki, Shiatsu, Florais (os mais conhecidos são os de Bach), aromaterapia, etc;

* família/amigos ;)))

* objectivos concretos Wink (adoptei duas cadelas, abri uma loja, voltei a aprender e a receber formações sobre uma série de coisas diferentes, etc);

* E UMA OPÇÃO que faz toda a diferença: não passar a vida a falar da doença, a comparar terapias e medicação, não procurar na internet informação sobre o que tomamos, quais os efeitos secundários, etc etc etc;

Se não querem ser discriminados, não se discriminem! Se não vão para a mesa de café falar da medicação que tomam para Diabetes, Colesterol, etc, por que raio hão-de falar sobre a medicação para a depressão. Nunca entendi.

Enfrentem as pessoas que tecem comentários sobre a vossa situação Wink Uma das minhas frases é: Ainda bem que procurei um profissional Wink Pelo menos estou mais lúcida do que tu Wink

Fixem-se em situações positivas e afastem-se de ambientes onde apenas se fala do estado do País, da vizinha que é invejosa, do dinheiro que não chega para tudo Wink Por outro lado, procurem ambientes boa onda, de gente divertida Wink SORRIAMMMMM Wink

Retrato de fatima silva
Ter, 24/05/2011 - 13:52
fatima silva:
Membro desde: 01.05.2007

Eu vou hoje outra vez ao psiquiatra....
Quero ver-me livre disto.

Retrato de sibilla
Ter, 24/05/2011 - 14:43
sibilla:
Membro desde: 03.11.2010
Catarina Neves wrote:

Fixem-se em situações positivas e afastem-se de ambientes onde apenas se fala do estado do País, da vizinha que é invejosa, do dinheiro que não chega para tudo Wink Por outro lado, procurem ambientes boa onda, de gente divertida Wink SORRIAMMMMM ;)

Acho isto muito importante. O estado de crise do país ainda nos atira mais para baixo.

No meu caso é a ansiedade extrema e o pânico perante o inesperado. Isso e aquela vozinha/diabinho mau ao ouvido a deitar-me sempre abaixo (note-se, a "voz" é a minha consciência, não me parece que seja uma coisa esquizofrénica).
Bandida! Vou dar cabo de ti! tara-tatatata!

Eu sei que o importante não é estar sempre a falar nisso, mas criei este tópico precisamente para isso. Para que quem não quiser massacrar mais ninguém, olha, ao menos massacrar a net. E há tanto tópico para "vamos emagrecer juntas", porque não um para "vamos dar cabo da depressão juntas"?

O que quero (queremos) é ser felizes Smile

If you don't like my peaches, baby, why do you shake my tree?

Retrato de fatima silva
Ter, 24/05/2011 - 14:59
fatima silva:
Membro desde: 01.05.2007
sibilla wrote:
Catarina Neves wrote:

Fixem-se em situações positivas e afastem-se de ambientes onde apenas se fala do estado do País, da vizinha que é invejosa, do dinheiro que não chega para tudo Wink Por outro lado, procurem ambientes boa onda, de gente divertida Wink SORRIAMMMMM ;)

Acho isto muito importante. O estado de crise do país ainda nos atira mais para baixo.

No meu caso é a ansiedade extrema e o pânico perante o inesperado. Isso e aquela vozinha/diabinho mau ao ouvido a deitar-me sempre abaixo (note-se, a "voz" é a minha consciência, não me parece que seja uma coisa esquizofrénica).
Bandida! Vou dar cabo de ti! tara-tatatata!

Eu sei que o importante não é estar sempre a falar nisso, mas criei este tópico precisamente para isso. Para que quem não quiser massacrar mais ninguém, olha, ao menos massacrar a net. E há tanto tópico para "vamos emagrecer juntas", porque não um para "vamos dar cabo da depressão juntas"?

O que quero (queremos) é ser felizes :)

Pois, o pior é mesmo esta vozinha dentro de nós ( de nome consciencia) que não pára de fazer-nos pensar no que não devemos e que não nos deixa seguir para a frente e sermos felizes...
Eu dem manha nunca consigo acordar feliz, com vontade viver.... Por mim não saia de casa e ficava no sofá ou na cama á espera não sei de quê...
Porra, uma pessoa só quer ser feliz e fazer feliz, valorizar a vida e sorrir com antes, um sorriso de felicidade...
Maldita doença que não nos larga...

Retrato de Lili_Sunset
Ter, 24/05/2011 - 15:05
Lili_Sunset:
Membro desde: 31.08.2008

Antes de mais, agradeço a criação deste tópico, sempre fui muito a favor de grupos de auto-ajuda Wink

Portanto, acho que na troca de ideias e partilhas, podemos conseguir ultrapassar alguns problemas, tirar dúvidas ou pelo menos vermos que não somos "bichos estranhos", que há mais pessoas a sofrer com os mesmos sintomas que nós.

Na minha família temos algum historial de depressões e outros tipos de perturbações, eu desde que me lembro, sempre tive alguma "tendência" para ser depressiva, mas sempre fui ignorando o problema.

Senti-me muito pior depois da minha filha nascer, ao fim de 6 meses fui ao médico de família que me receitou um anti-depressivo e um calmante para dormir.

Quase um ano depois, apesar de estar a tomar medicação, tenho muitas alterações de humor, tanto estou bem, como de repente sinto-me a pior pessoa do mundo. O facto é, que não sou feliz, tudo parece "negro" e faço os outros sofrer. Não gosto de viver assim, mas não conheço nenhum profissional que soubesse que podia ajudar-me, mas mais que tudo, alguém que sentisse que me apoiava e me compreendia.

Há uns anos fiz psicoterapia, mas não tenho vontade nenhuma de voltar a fazer, talvez não houvesse muita empatia com a psicóloga, senão já teria voltado a pedir-lhe ajuda.

Vou seguir este tópico, vai com certeza me ajudar.

Beijinhos Kiss Kiss Kiss

Retrato de Catarina Neves
Ter, 24/05/2011 - 15:13
Catarina Neves:
Membro desde: 06.05.2008
sibilla wrote:
Catarina Neves wrote:

Fixem-se em situações positivas e afastem-se de ambientes onde apenas se fala do estado do País, da vizinha que é invejosa, do dinheiro que não chega para tudo Wink Por outro lado, procurem ambientes boa onda, de gente divertida Wink SORRIAMMMMM ;)

Acho isto muito importante. O estado de crise do país ainda nos atira mais para baixo.

No meu caso é a ansiedade extrema e o pânico perante o inesperado. Isso e aquela vozinha/diabinho mau ao ouvido a deitar-me sempre abaixo (note-se, a "voz" é a minha consciência, não me parece que seja uma coisa esquizofrénica).
Bandida! Vou dar cabo de ti! tara-tatatata!

Eu sei que o importante não é estar sempre a falar nisso, mas criei este tópico precisamente para isso. Para que quem não quiser massacrar mais ninguém, olha, ao menos massacrar a net. E há tanto tópico para "vamos emagrecer juntas", porque não um para "vamos dar cabo da depressão juntas"?

O que quero (queremos) é ser felizes :)

Não me estava a referir a este tópico (até porque, logo de início, explicaste muito bem o propósito) Wink Estava a referir-me à maioria que ainda anda e que procura dissecar a depressão, em vez de lançar dicas para que se lide com ela Wink

Wink

Retrato de Catarina Neves
Ter, 24/05/2011 - 15:15
Catarina Neves:
Membro desde: 06.05.2008
Lili_Sunset wrote:

Quase um ano depois, apesar de estar a tomar medicação, tenho muitas alterações de humor, tanto estou bem, como de repente sinto-me a pior pessoa do mundo. O facto é, que não sou feliz, tudo parece "negro" e faço os outros sofrer. Não gosto de viver assim, mas não conheço nenhum profissional que soubesse que podia ajudar-me, mas mais que tudo, alguém que sentisse que me apoiava e me compreendia.

O que te tornaria mais feliz? Consegues identificar?

Retrato de Lili_Sunset
Ter, 24/05/2011 - 15:25
Lili_Sunset:
Membro desde: 31.08.2008

Confesso que tenho algumas dificuldades em responder à tua pergunta...
É que às tantas já nem sei... queria sentir a alegria e felicidade que senti quando a minha filha nasceu Daydream

Penso muito nisso, o que me faria realmente feliz, mas tenho dúvidas entre o que realmente me faria feliz e o que é sintoma de depressão, ou seja, vou dar um exemplo concreto: ultimamente não suporto a presença do meu marido, não sei se é sintoma de depressão ou se simplesmente deixei de gostar dele Worried a minha cabeça está um nó...

Não quero maçar-te com a minha cabeça confusa.

Obrigada pela preocupação.

Beijinhos

Retrato de sibilla
Ter, 24/05/2011 - 15:40
sibilla:
Membro desde: 03.11.2010

Eu criei isto porque estou um bocado farta de tópicos lamuriosos sobre depressão. Sim, é uma doença chata, mas caramba, se não saimos de casa e nos andamos sempre a queixar fica tudo ainda pior.

No meu caso acho que vem de uma situação traumática, um complexo de culpa muito grande e medo de voltar a sofrer.

Lili, eu entendo essa sensação, é horrível. As pessoas com depressão tendem a não saber avaliar os sentimentos, ou então quererem estar sempre no estado de "felicidade extrema", o que nem é natural nem é saudável. Acho que em parte passa por aprendermos a lidar com o facto de a vida não ser nem só altos, nem só baixos mas sim um ponto de equilíbrio. A ideia é "quebrar" o círculo vicioso que nos faz ora estar muito contentes, ora em caso de contrariedade ir totalmente abaixo e achar que não somos felizes porque não estamos no estado de auge anterior.

Quanto ao teu marido, não tomes decisões com a cabeça desarrumada. A depressão pode levar-nos a fazer tolices, eu digo que é uma espécie de doença auto-imune: a nossa consciência vira-se contra nós e destrói-nos em vez de nos proteger. Repara, tenho um caso na minha família em que a consciência dizia à mãe para matar a filha!!!!

Não te deixes levar já por ela. Primeiro resolve a tua doença, porque tomares decisões doente faz com que não tomes a decisão lúcida. A mim, diz-me que não amo o meu namorado e que não o mereço, ou que ele me está a enganar... mesmo quando eu sei que ele está em casa com a mãe! Tolices, vês?

O ideal é confrontar o lado negro com lógica. O lado negro só dá más ideias irracionais. Por exemplo, não gostares do teu marido. Porquê? O que é que ele te fez? O que é que ele deixou de ter? Comigo tem resultado, o lado negro acaba por desistir e calar-se, mas com o stress dos últimos tempos tem sido difícil. Assim sendo, venham as drogas Grin

If you don't like my peaches, baby, why do you shake my tree?

Retrato de fatima silva
Ter, 24/05/2011 - 15:42
fatima silva:
Membro desde: 01.05.2007
Lili_Sunset wrote:

Antes de mais, agradeço a criação deste tópico, sempre fui muito a favor de grupos de auto-ajuda Wink

Portanto, acho que na troca de ideias e partilhas, podemos conseguir ultrapassar alguns problemas, tirar dúvidas ou pelo menos vermos que não somos "bichos estranhos", que há mais pessoas a sofrer com os mesmos sintomas que nós.

Na minha família temos algum historial de depressões e outros tipos de perturbações, eu desde que me lembro, sempre tive alguma "tendência" para ser depressiva, mas sempre fui ignorando o problema.

Senti-me muito pior depois da minha filha nascer, ao fim de 6 meses fui ao médico de família que me receitou um anti-depressivo e um calmante para dormir.

Quase um ano depois, apesar de estar a tomar medicação, tenho muitas alterações de humor, tanto estou bem, como de repente sinto-me a pior pessoa do mundo. O facto é, que não sou feliz, tudo parece "negro" e faço os outros sofrer. Não gosto de viver assim, mas não conheço nenhum profissional que soubesse que podia ajudar-me, mas mais que tudo, alguém que sentisse que me apoiava e me compreendia.

Há uns anos fiz psicoterapia, mas não tenho vontade nenhuma de voltar a fazer, talvez não houvesse muita empatia com a psicóloga, senão já teria voltado a pedir-lhe ajuda.

Vou seguir este tópico, vai com certeza me ajudar.

Beijinhos Kiss Kiss :*

Identifico-me muita com a tua situação ( além de ainda não ter filhos). Eu ás vezes tb me sinto bem ( é como não tivesses depressão) mas a maioria das vezes dou por mim triste, sem nenhuma razão para viver, e com pensamentos sem lógica nehuma... E sinto-me como tu, a pior pessoa do mundo que só está a por os outros a baixo... Eu já estou medicada mas hoje vou ao psiquiatra pois não me sinto melhor... Já tentei voltar ao trabalho mas não consegui, de manha sinto-me sempre pior e mesmo durante o dia sinto-me sempre cansada, sem vontade de nada, como se a vida não tivesse valor nenhum para mim....
Além do psiquiatra tb tou a ir ai uma psicologa pois quero mesmo ultrapassar isto...
Bjs

Retrato de Catarina Neves
Ter, 24/05/2011 - 15:44
Catarina Neves:
Membro desde: 06.05.2008

Lili_Sunset wrote: Confesso que tenho algumas dificuldades em responder à tua pergunta...
É que às tantas já nem sei... queria sentir a alegria e felicidade que senti quando a minha filha nasceu

Penso muito nisso, o que me faria realmente feliz, mas tenho dúvidas entre o que realmente me faria feliz e o que é sintoma de depressão, ou seja, vou dar um exemplo concreto: ultimamente não suporto a presença do meu marido, não sei se é sintoma de depressão ou se simplesmente deixei de gostar dele a minha cabeça está um nó...

Não quero maçar-te com a minha cabeça confusa.

Obrigada pela preocupação.

Beijinhos

Mas esta é uma pergunta muito importante e que deves fazer a ti própria

Pega num papel e escreve o que achas que poderia contribuir para a tua felicidade

No entanto, creio que será importante a visita a um médico Psicólogo, por muito que saiba (e às vezes sabe mais do que os senhores doutores, não é médico)

E.. se me permites... não procures um profissional que te passe a mão pela cabeça, mas sim alguém que se preocupe em falar contigo de forma sincera Os abanões constumam dar muito mais resultado, do que a história do "coitadinha, anda cá" (não estou a dizer que é o teu caso)

Retrato de Lili_Sunset
Ter, 24/05/2011 - 16:10
Lili_Sunset:
Membro desde: 31.08.2008

Já foram tantas as vezes que pensei em procurar ajuda, mas depois acabo por desistir...

Já agora, recomendam alguém em Lisboa?

Bjs

Retrato de inezitah
Ter, 24/05/2011 - 16:12
inezitah:
Membro desde: 22.11.2009

Olá meninas,

Sinto muito que estejam a passar por situações menos boas Sad Espero que consigam ultrapassar e ser FELIZES! Hug

Vou seguir o tópico pois identifico-me com várias coisas e, quem sabe, um dia tenha coragem de expressar o que me vai na alma...

Beijinhos e abraços, e FORÇA Hug Hug

Retrato de angel.espiritualidade
Ter, 24/05/2011 - 16:22
angel.espiritualidade:
Membro desde: 14.04.2011
Mónica e rafael wrote:

Sou um pouco contra comprimidos, calmantes, antidepressivos... Acho que isso só em ultimo recurso...

Concordo. Eu também recomendo muita, muita prudência no recurso à medicação. Os antidepressivos são uma droga que pode dar dependência. Para não falar na auto-medicação, que é um erro flagrante ...

Retrato de angel.espiritualidade
Ter, 24/05/2011 - 16:36
angel.espiritualidade:
Membro desde: 14.04.2011
Lili_Sunset wrote:

Já foram tantas as vezes que pensei em procurar ajuda, mas depois acabo por desistir...

Já agora, recomendam alguém em Lisboa?

Conheço um professor da Faculdade de Psicologia que dá consultas em Lisboa, se quiser posso fornecer-lhe o contacto. Não me parece apropriado colocar o nome e contacto dele directamente no fórum.

Retrato de Catarina Neves
Ter, 24/05/2011 - 16:43
Catarina Neves:
Membro desde: 06.05.2008
angel.espiritualidade wrote:
Mónica e rafael wrote:

Sou um pouco contra comprimidos, calmantes, antidepressivos... Acho que isso só em ultimo recurso...

Concordo. Eu também recomendo muita, muita prudência no recurso à medicação. Os antidepressivos são uma droga que pode dar dependência. Para não falar na auto-medicação, que é um erro flagrante ...

.. sensível, deverias informar-te sobre a medicação que, actualmente, é recomendada aos pacientes com depressão Wink

A dependência dos novos fármacos é quase, exclusivamente, psicológica Wink

Já agora, gostava que me dissesses o que recomendarias a um diabético insulino-dependente. Deve deixar a medicação? Wink

Retrato de MeVi
Ter, 24/05/2011 - 16:50
MeVi:
Membro desde: 18.02.2010

Aqui aproveito p'ra deixar uma forçazinha a todas as meninas que estão a passar mal por causa de uma depressão. Aconteça o que acontecer não se deixem ir abaixo. Vocês têm muito mais força do que pensam Smile

Beijoquinhas grandeeees Smile FELICIDADEEES e muita FORÇA!

Retrato de rosa_choke
Ter, 24/05/2011 - 18:03
rosa_choke:
Membro desde: 21.02.2011

tao pequena que infelizmente ainda causa tanto estigma na nossa sociedade,talvez por falta de informaçao da doença ou simplesmente por ainda ser tabu para muitas pessoas...eu vivo com depressao cronica a dez anos,estou a ser acompanhada por um excelente psiquiatra que tem sido juntamente com o meu marido e filhota o meu braço direito nesta minha luta,ao longo destes anos ja sofri muito,ja lutei muito contra esta doença que teima em me consumir e vou continuar a lutar sempre...deixo aqui uma palavra de força e coragem a todas as meninas...

Retrato de MiniLuZ
Ter, 24/05/2011 - 20:27
MiniLuZ:
Membro desde: 25.05.2010

Eu não passei por uma depressão, mas a minha mãe passou... aliás, foi considerada como uma doente crónica, basta-lhe falhar a medicação um ou dois dias e começa a ficar doente, começa a tremer, fica sem força, fica irritada e implica com tudo e com todos, tem pesadelos... a causa da depressão foi o antigo emprego, e, para ter uma ideia, ainda à bem pouco tempo ela passou no antigo local de trabalho, de carro, e até se sentiu mal...
Na altura foi muito complicado, principalmente para o meu pai, eu era pequena e não me lembro de muito... ela andava mal e um dia chegou a casa, a tremer e a chorar, estava mesmo muito mal, e disse que nunca mais punha os pés na fábrica, o meu pai levou-a ao hospital e já saiu de lá medicada, andou a ser seguida pela médica imenso tempo...
Agora está bem, recuperou e arranjou logo um emprego novo, e fez-lhe bem... mas, lá está, não pode falhar a medicação!

Retrato de ana.loira
Ter, 24/05/2011 - 22:21
ana.loira:
Membro desde: 24.05.2011

Olá já vos acompanho há alguns meses,já segui algumas dicas e conselhos,este tema diz-me muito por isso pensei é hoje que eu vou participar, mas tive de esperar que a minha filha chegasse a casa para me inscrever, porque sou um pouco lerda nisto da net.Mas voltando á vaca fria, eu tenho uma depressão crónica, diagnosticada,há uns 18 anos por um neurologista, já tinha ido a psiquiatras,psicologos,mas o que eu gostei mais e vi mais resultados, foi o neurologista.Não faço drama da minnha doença,já sei que nas meias estações fico pior,nesses meses reforço a sertalina, sou bem disposta mas preciso das minhas rotinas,refeições a horas,respeitar o meu sono,quando estou depre,deixem-me sossegada.Não faço drama do facto de ser medicada até ao fim da vida, como costumo dizer,já vivemos tão pouco quero é estar bem.Peço desculpa pelo testamento.

Retrato de _Marta_
Qua, 25/05/2011 - 08:57
_Marta_:
Membro desde: 08.12.2008

sibilla wrote: Dá-me ideia (não é para te criticar) que muitas vezes se levam as doenças mentais pouco a sério. A psicologia serve mais para controlar, mas para tratar é um médico.

Não é bem assim!
Tudo depende da origem da depressão...
Uma coisa é uma alteração meramente neuroquímica: aí sim, apenas a medicação resolve o problema. Ajuste daqui, ajuste dali, e resolve-se. Outra coisa, é a origem da depressão ser um acontecimento (ou conjunto de acontecimentos) na vida de uma pessoa, num contexto espacio-temporal definido. Aí, venha quanta medicação vier, o problema continuará lá. Uma pessoa até vai fazendo a vidinha direitinha porque a medicação está lá a dar o suporte, mas o problema em si não é tratado. E não se trata de controlar, mas sim de tratar mesmo. Normalmente, o que está por detrás de uma depressão, é quase sempre uma situação de foro emocional ou uma crença/esquema mental disfuncional (ou que se percepciona como disfuncional). Nesse caso, é necessário fazer todo um trabalho a nível psicológico que a medicação, por si só, não resolve. Mas é um apoio, evidentemente.
Normalmente, as pessoas têm ideia que tomam os comprimidos milagrosos e tudo volta a ser como era. E não é verdade...

Eu já tive depressão. Feliz ou infelizmente, sou psicóloga e portanto sei perfeitamente onde e quando começou a minha depressão. Não foi nenhum desequilíbrio neuroquímico e, portanto, soube (porque, afinal, também estudei Psicologia para alguma coisa!!) como retroceder nessa situação. Sei quais são as situações que me deixam mais vulnerável e contorno-as.
A minha mãe está a passar por uma depressão com alguma gravidade. Embora não tenha a menor dúvida que está com uma situação neuroquímica por resolver (ainda está em ajuste de medicação), vai precisar de psicoterapia (já a avisei que à primeira sessão vai, nem que seja à força, e depois decide se quer ou não continuar) precisamente porque a base está numa questão emocional e de personalidade...

Cada caso é um caso! Acho que é demasiado redutor dizer que o médico é que trata, ou que o psicólogo é que trata... muitas vezes, só se trata mesmo com uma multidisciplinariedade entre ambos!

PS - Esqueci-me de dizer que a força de vontade é o passo n.º 1 para o tratamento. Se ficamos o dia inteiro em casa, de pijama, a olhar para as quatro paredes e aproveitamos cada oportunidade para nos lamuriamos a quem passa, então não se vai mesmo a lado nenhum... Às vezes, é preciso contrariar a vontade de ficar a fazer nenhum ou a vontade de nos queixarmos dos pedacinhos todos da vida... E nisto, um psicólogo pode ajudar e de que maneira!

Retrato de fatima silva
Qua, 25/05/2011 - 10:12
fatima silva:
Membro desde: 01.05.2007

Como acordam de manha? Como conseguem ir para o trabalho?
Para mim é a pior fase do dia... Eu acordo sempre muito em baixo e começo logo a ter aquela senação de panico ou medo? o que fazem para ultrapassar isto?

Retrato de Lili_Sunset
Qua, 25/05/2011 - 10:31
Lili_Sunset:
Membro desde: 31.08.2008

Ultimamente, eu simplesmente arrasto-me para o trabalho, saio de casa super cansada, aliás levanto-me super cansada e é um martírio vir trabalhar... até já pensei se não devia ficar uns dias em casa, estou quase de férias, mas nas férias também tenho a minha filhota e precisava de estar um pouco sozinha, sossegada... enfim, não é fácil! Só quem passa é que sabe.

Beijinhos

Retrato de ana.loira
Qua, 25/05/2011 - 10:35
ana.loira:
Membro desde: 24.05.2011

Se não estiver ainda a tomar medicação,é esse o sentimento, caso contrário eu acordo bem, e gosto de me levantar cedo,não ficar em pijama com aquele ar de cama despenteado,tomar duche vestir-se e maquilhar-se,arranjar o cabelo as unhas e sair,com medicação ou não devemos mimar-nos, para levantar o astral.A minha médica de familia não dá baixa para a depressão, costuma dizer não a quero em casa.Ir às compras também é óptimo,não é ir à praça ou ao super é comprar coisas para nós.

Retrato de ana.loira
Qua, 25/05/2011 - 10:53
ana.loira:
Membro desde: 24.05.2011

Lili, não quero armar-me em médica,mas não será cansaço,um bébé é desgastante,não dá para deixa-lo com a avó um fim de semana,e dedicar esse tempo só a si,como já sugeri mimar-se,vá ao cab. e mude de visual.Mas o melhor será consultar o médico de familia,se for mesmo o verdadeiro"médico de familia" já tem o seu histórico e é capaz de resolver o problema,aconteceu o mesmo com minha filha,que devido a um desgosto amoroso está com uma depressão e a nossa médica de familia deu conta do recado,conhece-a de criança conhece-me a mim à minha mãe que também tem depressão.E hoje a minha filha está completamente difrente,feliz,amorosa,divertida com gosto de viver,e até já encara o problema sem se culpar.

Retrato de Lili_Sunset
Qua, 25/05/2011 - 11:14
Lili_Sunset:
Membro desde: 31.08.2008

Obrigada pelos conselhos Smile

Sim, é muito cansaço, mas eu não tenho ninguém, sou da Madeira e vivo em Lisboa, bem que a minha mãe queria ficar com a neta, mas está muito longe, aqui em Lisboa só tenho a minha sogra, que já foi operada 2x ao coração e nem consegue tomar conta dela própria Worried

O meu médico de família, não, não é o "médico de família", sempre que tento falar com ele sobre alguma coisa, manda-me fazer ginástica, quando comecei a fazer ginástica, disse-me que o problema era o tabaco, eu fumo 2 cigarros por dia Worried enfim... já desisti de falar com ele.

Em relação a cuidar de mim, sim tenho feito, há duas semanas mudei de visual, tenho cuidado com a aparência, mas não me sinto bem, talvez seja só cansaço, mas não me parece.

Beijinhos