Traição / Fim de casamento | A Nossa Vida

Traição / Fim de casamento

Retrato de cssp
13.11.2018 | 09:17
cssp:
Membro desde: 01.04.2009

Olá,

Gostava de saber se por aqui há alguém que possa partilhar experiências em que tenham sido traídas/os em casamentos ou relacionamentos sérios ou em que o parceiro/a tenha deixado de amar.
Atravesso um momento muito difícil e preciso de desabafar.
Desde já, obrigada!


Retrato de jonsousa
Ter, 13/11/2018 - 18:21
jonsousa:
Membro desde: 13.11.2018

Olá cssp, lamento que estejas a passar por essa situação. Se foi traição também já passei por isso há alguns anos e felizmente conseguimos recuperar mas ao início não foi fácil e não conseguia sequer ver a posibilidade de continuar mas com o tempo vai-se pensando bem em tudo e em como as coisas chegaram ao ponto a que chegaram e eu decidi dar uma chance, a verdade é que a vida não é fácil e nunca é perfeita e nenhum de nos tinha sido, de uma maneira ou outra.
O importante é perceber os porquês e resolvê-los e sobretudo nunca virar as costas aos problemas e na minha opinião, ultrapassá-los juntos se houver interesse de ambas as partes claro, isso facilita muito e permite perceber o empenho de quem errou na solução do que aconteceu, mesmo que pareça difícil por vezes estar com a pessoa. Vai haver dias melhores e piores, isso é normal.
4 anos depois tudo está estável e posso com confiança dizer que muitissimo melhor, voltei a confiar e sinto amor como acho que nunca tinha sentido antes de tudo isto ter acontecido.
No teu caso, foi traição ou abandono, a pessoa mostra interesse em recuperar-te ou afastastou-se de vez?

Retrato de Konigvs
Ter, 13/11/2018 - 20:26
Konigvs:
Membro desde: 21.10.2011

Uma traição é algo muito grave não tem desculpa. Quem não está bem chega e diz que não está bem numa relação de exclusividade e que precisa ter sexo com outras pessoas. Tolerar uma traição é estar a pedi-las para que volte a acontecer de novo. Ainda por estes dias me contaram no trabalho um caso em que, a quinze dias do casamento o homem foi para a cama com outra. A mulher perdoou e casou-se. Depois do casamento foi de novo apanhado com outras. No fundo ela não quis ver a verdade, preferiu enterrar a cabeça na areia, casou-se com um traste, perdeu tempo da sua vida e agora está divorciada.

Dependendo dos acontecimentos, e quando penso em traição penso em sexo, o que eu acho é que as pessoas têm uma só oportunidade de mostrar que são dignas de confiança. Posto isto quem é que vai confiar em quem não tem respeito por nós?

Retrato de jonsousa
Ter, 13/11/2018 - 22:51
jonsousa:
Membro desde: 13.11.2018

Lamento que tenhas essa visao amarga da vida, nem sempre é assim. Somos todos humanos e por vezes ha coisas que acontecem e que nos relembram isso.
Compreendo o ponto de vista e compreendo as pessoas que nao encontram espaço para dar outra hipotese, compreendo e muito bem, mas ha casos e casos e nao sao todos iguais...

Retrato de Konigvs
Ter, 13/11/2018 - 23:15
Konigvs:
Membro desde: 21.10.2011

Não acho nada que exigir honestidade seja ter uma visão amarga. O que eu acho é que (e não estou livre que me possa acontecer) mas pessoas, toldadas pelo sentimento, põe de lado o lado racional e a razão.
Os meus patrões foram roubados por um sócio, que era amigo pessoal, e que clonou a empresa causando dezenas de milhares de euros de prejuízo. Então, eles deveriam continuar amigos daquela pessoa que os roubou, só porque "devemos dar uma segunda oportunidade às pessoas"?
Um padre viola o teu filho, então, não vais fazer queixa na polícia, "vamos dar uma segunda oportunidade" ao santo padre!

Se somos exigentes com colegas, clientes, fornecedores, com as pessoas com quem lidamos, muito mais exigentes deveremos ser com os amigos, a família e mais ainda, com a pessoa com quem dividimos a cama. Isto é o meu lado racional a falar, porque pelo que vou vendo, não posso afirmar que na mesma situação não cometa eu também o erro de permitir que me traiam uma segunda vez.

Retrato de Tony Chopper
Qua, 14/11/2018 - 03:41
Tony Chopper:
Membro desde: 28.08.2017

Depende do que aconteça. Não considero ir às p+tas traição por exemplo!

Retrato de cssp
Qua, 14/11/2018 - 09:55
cssp:
Membro desde: 01.04.2009

Em traços gerais, a minha história é clássica:
Após 10 anos de vida em comum e uma filha de 7, o meu marido, um homem íntegro, até então, começou a comportar-se de uma forma completamente avessa ao seu normal : mais distante, a implicar por coisas sem sentido, mais vaidoso... Enfim, o clássico. Desconfiei e questionei várias vezes e sempre negou haver uma terceira pessoa, fazendo-me até duvidar de mim mesma. Mas pronto, as suspeitas vieram a confirmar-se e ele confessou haver outra mulher na jogada, uma colega de trabalho. Quando me contou, disse que não houve envolvimento sexual e que "só" tinham trocado uns beijos, iam almoçar muitas vezes, conversavam muito e sentia-se muito bem com ela.
Logo após a confissão, mostrou-se arrependido e com vontade de lutar pelo casamento, enquanto eu não tomava uma posição em relação à nossa situação. A partir do momento, em que me mostrei disposta a tentar lutar pelo casamento e pela família, a postura dele gradualmente foi mudando. Voltou a fechar-se mais e com dúvidas. Começou a dizer que me ama, mas já não sente paixão e envolvimento e blá, blá, blá. Ele disse ter cortado o contacto com a outra pessoa, mas a verdade é que não tenho garantias, só a palavra dele, que nesta altura não vale muito.
E eu dou por mim perdida. Luto por um homem que diz já não sentir paixão por mim? Para quê? Mereço ser amada a 100% e não só pela metade. Ponho os interesses da minha à frente dos meus? Ela é mto agarrada a nós e uma menina frágil, sei que vai sofrer e ressentir-se muito com uma separação. Mando tudo para o alto e recomeço a minha vida com a minha filha? Ele por seu turno, age sem certezas, também vejo que está em conflito: umas vezes nota-se que quer ficar e lutar por nós e pela família, noutras que esta vida já não faz sentido para ele. Eu, estou muito decepcionada e magoada e também já ponho em causa o que sinto. Deixei de o admirar e sem admirar, não consigo amar.

Retrato de Konigvs
Qua, 14/11/2018 - 21:17
Konigvs:
Membro desde: 21.10.2011

Sim, realmente isso do "colega de trabalho" é um clássico. Aliás, sempre fui da opinião que, muito mais que a internet, é o local de trabalho que propicia mais infidelidades, porque o colega de trabalho é real, está ali todos os dias, oito horas por dia.
Quanto a cortar o contacto - como é que se corta o contacto com alguém que é colega de trabalho e com quem se está todos os dias?
A tua filha vai sofrer muito com a separação, como também vai sofrer ao crescer com dois pais que não gostam um do outro... Ainda no fim-de-semana revia o filme "Billy Elliot" e achei piada quando a miúda filha da treinadora, com uns dez anos, falava das frustrações dos pais ao amiguinho da mesma idade que os pais "não têm sexo, porque a mãe apanhou o pai a ter sexo com outra mulher. Eles pensam que eu não sei, mas eu sei".

Não sei que te diga. Essa resposta és tu que tens de encontrar no teu interior. Tanto é legítimo lutar para que fiquem juntos, como decidir recomeçar sozinha. Só saliento recomeçar sozinha, porque a filha é dos dois, não é só tua e o ideal é que a guarda seja partilhada. Às vezes pelo que dizes parece que ambos sabem que já não são felizes, e dificilmente voltarão a ser.... mas resistem a ser mais um casal separado... Mas essa tua última frase diz muito.

Retrato de cssp
Qui, 15/11/2018 - 10:58
cssp:
Membro desde: 01.04.2009

"Às vezes pelo que dizes parece que ambos sabem que já não são felizes, e dificilmente voltarão a ser.... mas resistem a ser mais um casal separado... Mas essa tua última frase diz muito."

Sim...Provavelmente acertaste na mouche!

Retrato de cssp
Qui, 15/11/2018 - 10:58
cssp:
Membro desde: 01.04.2009

"Às vezes pelo que dizes parece que ambos sabem que já não são felizes, e dificilmente voltarão a ser.... mas resistem a ser mais um casal separado... Mas essa tua última frase diz muito."

Sim...Provavelmente acertaste na mouche!

Retrato de Konigvs
Qui, 15/11/2018 - 19:27
Konigvs:
Membro desde: 21.10.2011

"Deixei de o admirar e sem admirar, não consigo amar."
Esta tua frase também é muito reveladora, e vai de encontro ao que o Júlio Machado Vaz já disse num dos seus programas:
"Eu acredito piamente, que uma relação amorosa, para durar, tem de incluir uma dimensão de admiração pelo outro. Cuidado. Não idolatria. Mas nós temos de admirar uma ou outra coisa pelo menos no outro."

Retrato de cssp
Sex, 16/11/2018 - 11:01
cssp:
Membro desde: 01.04.2009

É o que sinto... A admiração puff! E com ela, o amor...

Retrato de MOPA
Sex, 16/11/2018 - 14:49
MOPA:
Membro desde: 23.06.2015

Olá cssp,
Não sou da opinião de que "quem trai uma vez, trai sempre". Perdoava uma vez, mas não perdoava a segunda. Quando existem traições para mim é sinal de que alguma coisa não está bem na relação. Pode-se aproveitar a traição para saber o que está mal e resolver a situação. Tudo isto quando ainda há amor. Quando não há, não vale a pena. Agora é a pergunta para um milhão de dólares. Tu ainda o amas? Ele ainda te ama? se a resposta for não, das duas uma, ou continuam juntos por causa da vossa filha e mantêm o casamento de "fachada" (atenção, não estou a criticar nem a julgar) ou então fazem um favor a vocês próprios e separam-se, dando a oportunidade de serem felizes com outra pessoa. A vossa filha ao início irá estranhar, como é normal, mas como tudo na vida, ela acabar-se-á por habituar. Se a resposta for sim, ainda se amam, então poderão ir exemplo a um conselheiro matrimonial para vos ajudar a superar a crise pela qual estão a passar.
Tudo a correr bem.
Mopa

Retrato de cssp
Ter, 20/11/2018 - 14:18
cssp:
Membro desde: 01.04.2009

Mopa,

Concordo com tudo o que escreve. Opinião sensata e racional...
Obrigada,

CSSP

Retrato de MOPA
Qua, 21/11/2018 - 16:22
MOPA:
Membro desde: 23.06.2015

De nada.

Tudo a correr bem!

Retrato de cssp
Sex, 23/11/2018 - 10:46
cssp:
Membro desde: 01.04.2009

OLá a todos,

Decidimos separarmo-nos no final do ano...

Retrato de Tony Chopper
Sex, 23/11/2018 - 11:02
Tony Chopper:
Membro desde: 28.08.2017

Mais um casamento desfeito, mais um filho que vai sofrer e crescer com os pais separados ou com um estranho qualquer que não lhe é sangue de nada...

Retrato de MOPA
Sex, 23/11/2018 - 12:38
MOPA:
Membro desde: 23.06.2015

Então Tony Chopper, diga lá uma coisa aqui a malta, se já não há amor entre ambos, qual é a alternativa? é que eu não estou a ver muitas.
Antes separados e serem felizes, e ao serem felizes fazem a filha feliz, ou juntos e miseráveis a discutir (e a manter um casamento de fachada) com a filha a ver e a sentir-se infeliz por ver os pais nessa situação?
Qual é que é a sua alternativa? e qual é a sua cena do "não lhe é sangue de nada"? Sabe que andam por aí muitos "pais-de-sangue" que depois do divórcio não querem saber dos filhos para nada? Sabe quantas mães passam dificuldades na vida porque esses "pais-de-sangue" nem sequer se dignam de cumprir com a sua obrigação, que é estar com os filhos, passar tempo com os filhos (como se passar tempo com os filhos fosse alguma obrigação), pagar a pensão de alimentos, escola e saúde? "Pais-de-sangue" que se esqueceram que tinham filhos depois do divórcio? eu conheço pelo menos 2 casos desses… . Se não conhece nenhum caso, e se vive numa família onde todos são felizes e não há um único divórcio na família fico muito feliz por si. Parabéns. A sua família inteira pertence a uma minoria. Conserve-a e estime-a muito! Não se esqueça é que o mundo não é todo assim.
Sabia que há "pais-que-não-são-de-sangue" e gostam mais do filho da companheira do que o "pai-de-sangue"? e não, não são homens "palhaço" ou um tótó qualquer que anda a criar o filho de outro, é um Homem de H bem grande que cria uma criança que ama de coração, e no futuro terá um "filho" que tudo fará por ele. Como diz o ditado pai não é quem faz, é quem cria. Portanto secalhar até é melhor ter um estranho que dá amor e carinho, que um "pai-de-sangue" que se esqueceu que é pai e não quer saber do filho para nada.

Retrato de Konigvs
Sex, 23/11/2018 - 18:52
Konigvs:
Membro desde: 21.10.2011

"um estranho qualquer que não lhe é sangue de nada..."

É curioso que se calhar anda por aí muito macho que dá muito valor ao sangue, mas que depois nem sabe que, , anda a alimentar uma cria de cuco, conhecida ave por colocar os seus ovos nos ninhos das outras espécies para elas os criarem sem saber.

Um em cada 25 pais, cria, sem saber, um filho que não é seu:

https://www.theguardian.com/society/2005/aug/11/childrensservices.uknews

Para mim, por si só, o sangue não significa nada. Não é a imposição que estabelece os afetos. Nós não escolhemos os pais nem família. Foi-nos imposta. Escolhemos sim amigos e companheiros de vida.

Retrato de Konigvs
Sáb, 01/12/2018 - 18:29
Konigvs:
Membro desde: 21.10.2011

"Quem traiu o parceiro anteriormente é três vezes mais propenso a fazê-lo de novo."

https://life.dn.pt/comportamento/uma-vez-traidor-traidor-para-sempre-a-c...

Retrato de cssp
Seg, 10/12/2018 - 13:48
cssp:
Membro desde: 01.04.2009

Olá,

Faz sentido...