Procuro uma "namorada" para um Bulldog francês... | A Nossa Vida

Procuro uma "namorada" para um Bulldog francês...

Retrato de kayapu
07.10.2011 | 16:35
kayapu:
Membro desde: 22.12.2010

Boa tarde,

Procuro uma cadelinha da mesma raça (bulldog francês)
de cor preto e branco, para acasalar com o meu cachorro.
Cãozinho com um ano e meio, super meigo e super saudável.


Retrato de Panther
Dom, 09/10/2011 - 11:36
Panther:
Membro desde: 24.12.2010

Bom dia,
O seu cão tem LOP? Despistes feitos? Já participou em exposições? Que resultados teve?

Deve ter muito cuidado ao disponibilizar o seu cão para cruzar e não o deve fazer através desta forma. O melhor é ter tantos cuidados como se fosse comprar um cachorro. Ou seja, pedir a lista de criadores ao CPC, ir visitá-los, ver as condições em que criam os cachorros, etc etc.

Não se esqueça que a criação é muito mais do que juntar-se um cão com uma cadela, é preciso ter-se noções de genética e pensar-se na raça. Dá muitas despesas e pode sempre correr mal, especialmente quando falamos numa raça que acaba muitas vezes a ter as ninhadas por cesariana.

Retrato de kayapu
Seg, 10/10/2011 - 10:12
kayapu:
Membro desde: 22.12.2010

Bom dia,

O meu cão não tem lop... mas n procuro um cão com tal.
Não tenho qualquer experiência nesta are de "reprodução". E não quero mesmo ganhar dinheiro com isso.
Informei com o veterinário do cachorro que me informou que ele andaria mais calmo depois disso... e seria bom ele conviver com algum da raça dele.
O cão foi comprar numa loja com muitas boas referencias (a pessoa que me fornece a ração dele, é vendedor para a mesma loja a imensos anos).
O Fred é saudável e tem as vacinas e desparatizações em dia e isso não quer dizer que as crias não tenho problemas. Pode se minimizar o risco mas nunca acabar com ele.

Tem algumas sugestões que me possa dar?

Obrigado

Retrato de Panther
Seg, 10/10/2011 - 14:03
Panther:
Membro desde: 24.12.2010

A sugestão melhor que lhe dou é... não crie
Qualquer criação com animais de raça deve ter como principal objectivo contribuir para a raça em questão, uma vez que se não o estiver a fazer, então estará a fazer criação tipo "totoloto" ou como se fosse com rafeiros, o que tendo em conta o panorama actual não faz muito sentido.
O que um criador digno desse nome faz, é ter amor a uma determinada raça e tentar que essa raça continue o mais possível do estalão, da forma mais saudável possível e com mais uma série de pormenores.
Para um cão ser considerado de uma raça, tem que ter LOP. É o único documento que prova que efectivamente um cão pertence a uma raça, porque através dele podemos ter conhecimento de toda a família do cão. Se não tiver LOP, não podemos saber se por exemplo já houve um rafeiro num avô ou algo do género. Um cão pode sair igual a uma raça e ter genes de um rafeiro e depois na próxima geração sair cães com misturas. Entende?
Daí eu também ter dito que é preciso perceber-se de genética e ainda mais por tantos outros pormenores para além dos que referi.

Através do LOP, pode também ter acesso a eventuais doenças que os familiares do seu cão tenham tido, o que convém ter conhecimento, pois numa criação responsável não se reproduz cães que possam ter "nos genes" doenças transmissíveis dessa forma, pois o objectivo é também tentar-se afastar essas doenças.

Um criador responsável não deixa de registar as suas ninhadas no CPC, pois como disse anteriormente, se não o está a fazer é porque não lhe interessa contribuir para a raça. E, muito menos mete as suas ninhadas em lojas de animais.
Os criadores responsáveis não colocam as suas ninhadas em lojas, pois não é dos ambientes melhores para estarem. É preferível um ambiente familiar, com a devida atenção, cuidados, espaço e tempo para explorarem e serem incentivados. Um cachorro precisa de ser educado, precisa de conhecer sons diferentes, precisa de lidar com diferentes objectos, etc, e estar num cubículo constantemente com os mesmos ruídos, sem interacção mesmo familiar, não é desejável.
Depois, é o pormenor das doenças. É muito comum (infelizmente) cães comprados em lojas de animais acabarem com parvovirose ou situações parecidas, devido à falta de vacinação ou por estar incompleta.
Não sei se já viu também o tópico que aqui anda sobre as pappy mills. Espero que não seja o caso dessa loja, mas a maior parte das lojas fornecem-se dessa forma.

Sobre o que o seu veterinário referiu, de ele ficar mais calmo depois de ser cruzado, lamento mas tal não é verdade. Percebo que tenha acreditado por ter sido uma informação dada por um profissional, mas também conheço vários que desmentem. Até porque, vejamos, se o mete a cruzar, e há aquele alvoroço das hormonas, acha mesmo que depois as hormonas dele nunca mais vão estar alvoroçadas de novo? Até lhe digo mais, basta ele sentir uma cadela qualquer com o cio que as hormonas vão disparar novamente
Elas não funcionam por uso, do estilo de "já fomos úteis uma vez não vale a pena o sermos novamente"... senão por exemplo os cães de criadores que cruzam uma vez nunca mais iriam cruzar novamente e não é isso que se sucede

O que faz parar a produção de hormonas sexuais e o pode acalmar nesse aspecto é a castração (e não, não é uma coisa horrível de se fazer, ele não se vai sentir gay, porque lá está, quem manda na vontade dele são as hormonas e deixando de ser produzidas o "desejo" acalma e ele não se vai sentir deprimido por isso já que é apenas controlado por elas).
O que pode acontecer em certos casos, é a parte comportamental persistir na mesma, por exemplo, estarem habituados a marcar e continuarem-no a fazer pelo hábito e por ter passado a ser algo comportamental e não apenas feito pelas hormonas.
Ou seja, se o cruzar, mesmo que depois o castre, ele já sabe que deve ficar empolgado na presença de uma cadela e pode voltar a fazê-lo apenas por uma questão comportamental (ou até por gostar de se dar com outros cães independentemente do sexo deles, mas pronto, penso que perceberá o que quero dizer, estava mais a referir-me a querer montá-la e coisas assim).

É mesmo por dizer que pode-se sempre tentar minimizar os riscos mas nunca acabar com eles, que lhe digo para não cruzar o seu cão. Se numa criação responsável, como lhe disse com despistes de doenças, acompanhamento veterinário, pesquisa genética e não só, podem surgir complicações, podem surgir cachorros com problemas, agora imagine quando nem sequer pode consultar a família do seu cão e lhe falta esses pormenores todos.

Queria também acrescentar que as raças foram produzidas pelo homem, o que quer dizer que a sua continuação é da responsabilidade do homem. Aquilo que eu tentei explicar da importância do LOP, não é nada mais do que colocar a questão assim: se não houvessem criadores responsáveis a tentar manter a raça em questão, nunca poderia ter o seu cão (mesmo o seu cão tendo vindo de um mau criador, não teria conseguido arranjar a raça se não houvessem os tais outros que fazem as coisas como deve ser).

Quero também salientar que não sou criadora, para mim nem sequer importava que não houvessem raças, mas compreendo que haja quem prefira ter um cachorro e saber se se adaptará a si e à sua vida segundo as características que é suposto vir a ter, pelo que pelo menos tento ajudar nestas questões para se evitar que as pessoas continuem a optar por pappy mills e outros vigaristas, se é para se ter e/ou continuar-se a raça, que seja da forma "correcta"

Retrato de Fjord
Seg, 10/10/2011 - 15:23
Fjord:
Membro desde: 06.10.2011

Faço minhas as palavras da Panther. Não cruze o seu cão, não está a contribuir em nada para a raça. Se o seu objectivo é, também, ficar com um cachorrinho, vá poupando dinheiro todos os meses e peça a lista de criadores do CPC. Atenção que isto é só um começo, cabe-lhe depois a si visitar os criadores e fazer a sua própria avaliação.

O seu cão não vai acalmar depois de cruzar, só vai piorar a sua ânsia por acasalar.

Faça as suas opções com responsabilidade e boa sorte Wink

Retrato de kayapu
Ter, 11/10/2011 - 09:22
kayapu:
Membro desde: 22.12.2010

Agradeço a enorme e útil informação que me deu.
O Fred foi comprado numa loja em Braga. Foi a minha prenda de anos.
Espero realmente que ele não venha a ter problemas de saudade.
Obrigado mais uma vez pela informação tão pormenorizada e útil.

cumprimentos

Retrato de Panther
Qua, 12/10/2011 - 18:02
Panther:
Membro desde: 24.12.2010

De nada, fico contente é por poder ajudar Smile

E agora, dispõe de informações que pode transmitir a outras pessoas Smile
Imagino que quando anda com ele na rua volta e meia haja gente a colocar questões e a falar em compras... pelo que assim pode logo dizer como é a forma correcta Smile

Também espero que o seu cão não venha a ter nada, mas pesquise sobre a raça, fale com o veterinário (mas eu no seu caso não voltava ao tal veterinário que aconselhou o acasalamento para o acalmar) sobre que despistes de doenças pode fazer, dê-lhe uma boa ração e uma boa vivência e estará a fazer os possíveis (tendo em conta que quanto à proveniência dele já nada pode fazer) para que corra bem Smile

Já agora, como não sei se o fez, coloque chip no seu cão e coleira com chapinha com contactos, evite também passeios em que ele ande solto, para evitar roubos e fugas Smile
É que tratando-se de um cão que aparenta ter raça, todos os cuidados são poucos e há muita gente à espera de um descuido para se aproveitar e depois usá-los para situações como aquelas que lhe falei Sad

Retrato de kayapu
Seg, 17/10/2011 - 18:09
kayapu:
Membro desde: 22.12.2010

Boas!!

Sim o cachorro tem o chip.
Tem vacinas em dia.
Obrigado pelas dicas sobre os cuidados a ter.
Sou eu quem o passeia todos os dias. Sou um rapaz bastante cuidadoso.

Obrigado mais uma vez:D

Post