O pai da minha namorada não me aceita... Ajuda | A Nossa Vida

O pai da minha namorada não me aceita... Ajuda

Retrato de João Oliveira1
16.08.2019 | 19:00
João Oliveira1:
Membro desde: 16.08.2019

Ora boas a todos aqui no fórum. Sou novo aqui, mas queria expor o meu problema , que é algo que me está a afligir imenso nos últimos quatro meses.

Antes de mais sou o João e tenho 27 anos. Namoro há 11 meses com uma rapariga, após um longo sofrimento numa relação abusiva de dois anos e meio. Ela é 3 anos mais nova que eu e já tivemos um interregno de cerca de dois meses, tendo voltado em Março deste ano e desde então temos decidido investir na relação.

Nos finais de abril, a minha namorada decidiu apresentar-me aos pais, cuja aceitação foi muito boa. Durante a estadia em sua casa, em Lisboa (vivo em Santa Maria da Feira), tratei ambos com grande respeito e honestidade, e o feedback deles pareceu-me bastante positivo. Depois, ambos seguimos para Braga, para celebrar os 9 meses de relacionamento. Até que no último dia em que ela pretendia ficar em minha casa, recebe uma chamada do pai em tom muito ameaçador, cheio de ataques, críticas e exigindo-lhe o fim do namoro caso não quisesse ser posta fora de casa. Ela apesar de ter tremido não cedeu. Segundo ela, o pai dela esperava que ela tivesse um homem rico e com alto nível de estudos para a filha, que tem apenas o 12º ano. Além disso, criticou o facto de eu ser filho de dois parentes (algo muito normal na minha zona) e tentou alegar que eu teria uma deficiência genética pelo simples facto dos meus pais serem parentes. Toda esta atitude fê-la criar uma atitude de medo constante para com os pais, fazendo-a viver uma vida dupla, vindo varias vezes ao norte por umas horas para poder estar comigo.

Entretanto fiquei desempregado, e em Junho, ela decide vir ao Norte , novamente á revelia dos pais. Incentivada pela minha família e por mim, decidiu contar aos pais que tinha vindo ter comigo. Fizeram uma cena de filme tal que recebeu mimos tais como: "dentro de um ano vamos ouvir falar em mortes", "vocês são totalmente opostos", "se decidires ter filhos com esse deficiente, faz um exame específico para não teres desilusões", "és a vergonha da família", "vais viver as custas deles"... E ainda foi esbofeteada pela mãe. Tudo isto fê-la vir viver comigo durante um mês e meio.

Neste mês e meio, tornou-se uma pessoa diferente: mais forte, mais próxima, mais feliz, foi acolhida e aceite por toda a minha familia, e tornou-se uma de nós. Até que decidiu voltar, com saudades de casa a Lisboa. Neste momento, a mãe já passou a aceitar a relação, dizendo que o que pretende é nós ver felizes. No entanto o pai, endureceu ainda mais o discurso, juntando ao "deficiente", o termo "chulo"... E disse que exigia o corte completo e imediato comigo , sem quaisquer contemplações, dizendo que p lugar dela não era com saloios do norte (o mais estúpido nisto, é que ele também é do norte!), Além disso, desvaloriza as competências profissionais da filha, e os seus sonhos, exigindo que ela ingresse na faculdade, seja de que forma for. Acontece que toda esta pressao, esmagou por completo toda a força que ganhou num mês e meio juntos, voltando a dizer que se sente fraca, tornando-se mais fria, e segundo ela, com medo de ser forçada a escolher entre mim ou eles.

Neste momento encontro-me em Lisboa em férias, mas impedido de entrar em casa dela, devido á casmurrice do pai. Estou a concorrer a dois empregos que ambos me irão trazer muito melhores condições de vida, e podem me fazer pensar seriamente num futuro com ela.

Admito que está situação me aborrece muito, e que me faz temer pelo futuro da relação com ela, pois o meu futuro sogro não grama comigo, mesmo já eu tendo oferecido a oportunidade dele conhecer a minha família e as condições em que a filha viveu durante um mês e meio, preferindo manter as ideias fixas e falsas acerca de mim. Preciso de ajuda , pois temos vindo a criar alguns atritos dos quais temo que possa vir no limite a anteceder um novo fim de relação.

Obrigado a quem responder!


Retrato de Tony Chopper
Sáb, 17/08/2019 - 04:10
Tony Chopper:
Membro desde: 28.08.2017

E eu que pensava que em Portugal já não havia labregos com estes preconceitos como o teu "sogro"!

Para mim tens três alternativas:

- Uma vais ter com o pai dela, confrontas o gajo e se for preciso apertas-lhe o pescoço ou dás-lhe uma cabeçada na cana do nariz;

- Vais ter com ele, berras com ele se for preciso para ele aprender a baixar a bolinha e respeitar-te como homem;

- Terminas com a tua namorada e evitas ter que lidar com uma família de malucos e ignorantes.

Para mim a melhor alternativa é a segunda: se tens intenção de casar com ela, tens que confrontar o teu sogro e mostrar-lhe que vais ser o próximo macho alpha da família, vais ser o macho que vai mandar na tua família, nos teus pais e nos teus sogros.´

Não sejas um conas, mostra-lhes que és um homem com H grande e o próximo chefe das duas famílias!

Retrato de MOPA
Seg, 19/08/2019 - 12:24
MOPA:
Membro desde: 23.06.2015

Olá João!
Situação bicuda…
Aquilo que pudeste fazer pela relação já fizeste. Ajudaste a tua namorada, apoiaste-a em tudo o que conseguiste.
Falar com o pai da tua namorada… não sei ser será boa ideia, poderá dar-se o caso da coisa dar para o torto e a conversa descambar. Também já falaste com ele anteriormente, explicaste as coisas. Ele não entendeu porque não quis. Provavelmente está tão obcecado em ter o "genro ideal" sob o seu ponto de vista, que se esquece que esse tal "genro ideal" não existe.
Tenho uma amiga minha que viveu uma situação semelhante. A solução que arranjou foi sair de casa. Foi morar junta com o namorado e depois passados uns anos casaram-se. Os pais para manterem a aparência de família feliz foram ao casamento e deram uma de "pais", hoje não se falam. Ela continua casada, com filhos e super feliz com a vida.
Quanto a tua namorada, o que ela tem que entender (e com a tua ajuda conseguirá) é que o pai escolheu a vida dele e ela vai escolher a vida dela. A questão que lhe tens que colocar é: ela vai viver a vida dela por forma a ser feliz, ou vai viver a vida dela de forma que os pais querem?
Se ela escolher ficar contigo ótimo! se escolher ficar com os pais, paciência. Por mais que gostes dela, gostas mais de ti. Fazes o teu "luto" da relação e partes para outra…
Acrescento apenas que é muito triste ainda haver pessoas que pensam que a felicidade é baseada no dinheiro… tantas pessoas podres de ricas que se suicidam porque se sentem sozinhas… enfim… mentes pequeninas…
Boa sorte! Acho que vais precisar…
Tudo a correr bem!
Mopa

Post