A minha família convida o meu ex | A Nossa Vida

A minha família convida o meu ex

Retrato de Epic
15.10.2018 | 21:25
Epic:
Membro desde: 15.10.2018

Olá!
Gostava de ouvir uma opinião. Saí de casa pois o casamento já não andava bem há muito tempo. A questão é que a minha família, quando há algum evento familiar, convida o meu ex. Eu já tenho um relacionamento, e eles continuam a convidá-lo e deixaram de me convidar a mim, por "respeito" a ele. O que faziam? Obrigada.


Retrato de Konigvs
Seg, 15/10/2018 - 23:03
Konigvs:
Membro desde: 21.10.2011

É sempre complicado quem está de fora avaliar não conhecendo bem as circunstâncias... Claro que soa um bocado estranho a tua própria família acarinhá-lo a ele, e excluir-te a ti dos eventos sociais da tua própria família...
Mas eu não sei o que é que aconteceu. Se foste tu a abandonar o casamento isso parece que são eles a acarinhá-lo como que querendo desculpar-se do que tu lhe fizeste (isto pode ser uma interpretação muito abusiva da minha parte)... Porque de outra forma não faz muito sentido.
Tomasses a decisão que tomasses, a tua família, como é tua e não dele, deveria era apoiar-te a ti, mas, volto a dizer, não conhecendo todos os detalhes é complicado opinar.

Retrato de Tony Chopper
Ter, 16/10/2018 - 05:44
Tony Chopper:
Membro desde: 28.08.2017

Fizeste algo de errado que ditasse o fim da relação?

Retrato de Epic
Ter, 16/10/2018 - 11:11
Epic:
Membro desde: 15.10.2018

Olá e obrigada pelas respostas. Não sei o que é fazer algo de errado quando se termina um casamento. Chegou uma altura em que não dava mais e saí. Entendo que se tenham criado amizades e devem manter-se. Mas nos eventos da minha família ir ele, e mais os meus filhos. Se não houvesse filhos, ignorava e mandava para trás das costas. Mas o que hão de pensar os filhos? Que a própria família da mãe prefere o pai. Logo eu sou o quê? Totalmente dispensável. Os meus filhos começam a agir da mesma forma...

Retrato de Ricardo_A
Qua, 17/10/2018 - 11:01
Ricardo_A:
Membro desde: 29.12.2014

Sim, mas saíste para onde em concreto? Ele ficou com os vossos filhos na casa onde vocês moravam e tu foste para um outro apartamento morar sozinha? Deves ganhar bem...
Não há aí outro homem na jogada?

Muito estranho a tua família estar do lado dele...

Retrato de Epic
Qua, 17/10/2018 - 20:06
Epic:
Membro desde: 15.10.2018

Pois, estranho é e não posso fazer nada. Quando digo que saí de casa quero dizer que tomei a iniciativa de pedir o divórcio. Fui eu que quis, a outra pessoa nao queria. Mas uma relação só funciona quando os dois querem. No entanto a minha família nunca concordou. Mas a família não tem de concordar, mas sim respeitar a minha decisão. Não tinha outra pessoa. A pessoa com quem estou agora apareceu muito depois. Já lhes falei sobre isto, que não acho lógico, que estão a influenciar os miúdos.... A realidade é que quando estao com o pai a minha família mais próxima (excluindo os meus pais) convidam-no para os eventos familiares, e a mim não. Acreditem que não sei mais que fazer. Mas nos dias em que estão com o pai eu não posso interferir como é óbvio. Isto só aconteceu porque me divorciei, antes eram todos muito meus amigos. Ou pensava eu.

Retrato de Konigvs
Qua, 17/10/2018 - 21:05
Konigvs:
Membro desde: 21.10.2011

Eu conheço um caso na família, em que uma prima disse à mãe que estava a pensar divorciar-se, e a mão lhe disse "se te divorciares trago-o cá para casa", isto como forma a pressionar para ela não se divorciar. Noutro caso que conheci, apesar dela já ter inclusive sido agredida, há sempre muita pressão para aguentar, porque lá está, "o que é que os outros vão pensar" e porque ainda há em Portugal uma mentalidade por vezes muito antiquada, ligada à religião que diz que "não separe o homem o que deus uniu" o que é completamente estúpido.

Que a tua família o acarinhe, é positivo. Mas que te exclua a ti já me parece estúpido. Mas lá está, pode muito bem ter que ver com o facto de teres sido tu a pedir o divórcio, e te verem com a culpada de ter desfeito o lar.

Retrato de Epic
Qua, 17/10/2018 - 23:22
Epic:
Membro desde: 15.10.2018

Obrigada pelas respostas. Realmente parece estúpido pela falta de lógica que até entendo que possam pensar que eu possa ter feito algo de muito assustador. Mas acreditem, foi apenas por me ter divorciado. Já lá vão quase 5 anos. Às vezes pergunto-me: e quando ele arranjar alguém? Continua ir aos eventos da minha família? Com a nova pessoa? E por que razão continua a ir passado este tempo? Vingançazinha? Não devia ser o primeiro a afastar-se? Gostava de saber como agir.... Mas já não sei como.

Retrato de Epic
Qua, 17/10/2018 - 23:22
Epic:
Membro desde: 15.10.2018

Obrigada pelas respostas. Realmente parece estúpido pela falta de lógica que até entendo que possam pensar que eu possa ter feito algo de muito assustador. Mas acreditem, foi apenas por me ter divorciado. Já lá vão quase 5 anos. Às vezes pergunto-me: e quando ele arranjar alguém? Continua ir aos eventos da minha família? Com a nova pessoa? E por que razão continua a ir passado este tempo? Vingançazinha? Não devia ser o primeiro a afastar-se? Gostava de saber como agir.... Mas já não sei como.

Retrato de Tony Chopper
Qui, 18/10/2018 - 12:24
Tony Chopper:
Membro desde: 28.08.2017

É um pouco o problema das relações dos ocidentais: erigem o amor como valor absoluto, viciam-se na paixão e quando isso desaparece divorciam-se ou terminam as relações, não sabem viver sem amor nem paixão... Por estas bandas, do outro lado do mundo, há muitos casamentos sem amor, por um lado é triste, por outro, os casamentos duram e duram e as pessoas sabem cada uma o seu papel no casamento, sabem que o mesmo é um contrato, os seus direitos e deveres... Sinceramente, não me assusta casar com uma mulher se não a amar, há coisas mais importantes como ter bons valores, ter capacidade para ser boa esposa e mãe, equilibrada, responsável e capaz de cumprir o papel de pai e mãe caso um dia eu falte...

Retrato de Epic
Sex, 19/10/2018 - 18:52
Epic:
Membro desde: 15.10.2018

Obrigada pelas opiniões.
Eu pessoalmente prefiro uma relação onde me sinta amada. Era isso que eu não tinha. Não tinha uma relação de amor. Agora sim, amo e sinto-me amada, e tenho "bons valores, sou boa esposa e mãe, equilibrada e responsável e capaz de cumprir o papel de pai e mãe......" Uma coisa não invalida a outra.
Como disse anteriormente quando escrevi aqui o primeiro texto, espanta-me a atitude da minha família mais próxima (excluindo os meus pais que respeitam a minha decisão), mas também sei que não posso fazer nada. Só tenho pena da mensagem que passam aos meus filhos, que ainda não têm maturidade para distinguir "vingançazinhas" e maldade do respeito pelas opções das pessoas. Que para estar junto de alguém é preciso querer. E que se a outra pessoa não quer estar connosco não podemos obrigar. E os que estão de fora nada têm a ver com isso, muito menos julgar, condenar e penalizar, que é o que a minha família tem feito.
Obrigada mais uma vez.

Retrato de Konigvs
Sex, 19/10/2018 - 19:31
Konigvs:
Membro desde: 21.10.2011

Mas ó Tony, mas se não é por amor, então para que é que um homem e uma mulher (heterossexuais) se juntam? Só para dividir as contas e as tarefas? É que por essa perspetiva seria muito melhor aos homens dividirem casa com outros homens, visto que partilham os mesmos interesses como futebol, playstation, ginásio, etc etc e as mulheres juntarem-se com outras mulheres porque também elas têm os mesmos interesses entre si como maquilhagem, cremes, séries, novelas e afins (sem querer generalizar).
Para sexo, combina-se e trata-se do assunto, e assim nunca havia chatices!

Se não é o sentimento que une duas pessoas e a vontade de estar juntas, então, na minha perspetiva, nem vale a pena juntar-se porque se evitavam muitos problemas e divórcios!

Retrato de Tony Chopper
Sáb, 20/10/2018 - 03:18
Tony Chopper:
Membro desde: 28.08.2017

Sim, mas isso somos nós que somos ensinados que amar outra pessoa é condição necessária para ter uma relação, casar, ter filhos, etc., mas isso não é regra... E mesmo em Portugal, sobretudo no seio das famílias com dinheiro, de nome sonante, há muitos casamentos sem amor...

Por outro lado, pelo que vejo aqui dos casamentos arranjados é que a taxa de relações extraconjugais é maior e há muitos casos de "mulheres por conta", aquelas novitas que vivem num apartamento arrendado e pago por um gajo mais velho, passam o dia a passar o caniche e o gajo casado quando vai de viagem de trabalho vai lá dar umas "marteladas"...

Sobre o assunto da autora, talvez a família se tenha apegado ao ex, gosta mais dele do que o actual companheiro e daí que faça algumas birras, alimentadas se calhar por algum comportamento manipular deste também.

Resta apenas bater os pés e dizer à família, que se tem outra pessoa e que é uma falta de respeito convidá-lo para os eventos de família, quando estes não se resumam à estrita ligação com a sua qualidade de pai.

Retrato de Konigvs
Sáb, 20/10/2018 - 06:47
Konigvs:
Membro desde: 21.10.2011

Tony (ainda não sei como citar aqui no fórum) o casamento foi inventado exclusivamente para juntar os bens das famílias, ou para determinado homem garantir o futuro da mulher que antigamente nem sequer trabalhava e ficava em casa para ter filhos, cuidar da casa e a fazer crochet à janela. Daí que a família da jovem casadoira pagava ao homem um dote! O casamento sempre foi unicamente um negócio! Nunca se falou de amor! Casava-se por dinheiro e depois isso do gostar de alguém chamava-se de "amante" que, como a própria palavra significa, gostar de ou amar outrem.

O amor é coisa muito recente, coisa de poetas. Mas casar por amor ainda mais recente é, é coisa de século vinte! Agora, é óbvio que o casamento como contrato para dividir património faliu completamente, basta ver as taxas de divórcio que temos em Portugal e que são de 70%! E a maioria dos portugueses já nem sequer casa e as mulheres já não têm aquele maior sonho de uma vida de casar (virgem?) vestida de branco e entrar igreja adentro! As pessoas sabem hoje que quando assinam um contrato de casamento têm alta probabilidade deste durar menos que o contrato de fidelização de televisão ou internet!

Isto é tema que daria pano para mangas. No entanto, não acho que a solução para ser feliz seja tentar excluir o amor das nossas vidas para manter uma relação de aparências. Para mim certamente não dava!

Retrato de teixeira802
Ter, 23/10/2018 - 23:24
teixeira802:
Membro desde: 12.08.2014

ainda me estou a rir com esta !!!!
" As pessoas sabem hoje que quando assinam um contrato de casamento têm alta probabilidade deste durar menos que o contrato de fidelização de televisão ou internet!"
mas atualmente é bem verdade. só não percebo o razão desses 70% derreterem milhares de euros num dia para depois acabar assim

Retrato de Konigvs
Qua, 24/10/2018 - 00:29
Konigvs:
Membro desde: 21.10.2011

Na maioria das vezes são os pais que derretem! E casa-se cada vez menos.
Mais de metade dos bebés que nascem hoje em Portugal são fora do casamento.

Retrato de Tony Chopper
Qua, 24/10/2018 - 02:00
Tony Chopper:
Membro desde: 28.08.2017

Sinceramente para mim gastar dinheiro em carros e festas de casamento é dinheiro mal gasto...

Gastar dinheiro em educação, viagens, comida, gastronomia, arte, livros, etc., para mim é sempre dinheiro bem gasto. Gasto muito dinheiro em livros e em viagens mas considero um bom investimento.

Agora derreter rios de dinheiro num dia, ter que pagar ao chulo de um fotógrafo que leva mil e dois mil euros debaixo da mesa por um simples dia de trabalho, mas o serviço de mesa, etc, não é para mim...

Retrato de Epic
Qui, 01/11/2018 - 10:19
Epic:
Membro desde: 15.10.2018

Obrigas pelas respostas. E sim já lhes disse isso tudo. Mas dizem sempre que eu estou errada, inventam mil uma coisas sem sentido, torna-se impossível dialogar....por isso, não sabendo o que dizer/fazer mais, cortei. Estou de mãos atadas.

Retrato de Tony Chopper
Qui, 01/11/2018 - 10:44
Tony Chopper:
Membro desde: 28.08.2017

De mãos atadas com quem? Cortaste com quem? Com a tua família, não podes. Apesar de não concordares a família de sangue é muito importante. Dá-lhes oportunidade para te respeitarem, ainda que isso demore.

Retrato de Epic
Qui, 01/11/2018 - 17:15
Epic:
Membro desde: 15.10.2018

Cortei com essa parte da família. Aliás eles é que cortaram comigo. Nos primeiros dois anos tentei chama-los à razão, chateei-me, fiz figuras tristes tipo ter dizer que eu é que devia ser convidada. Não adiantou de nada. Decidi cortar, não procurar mais, e eles também não me procuram. Já lá vão mais de 4 anos desde que me separei. Continuam a convidá-lo a ele. E ele continua a ir. Eles deviam ter bom senso, mas ele também, e perceber que isso ia afectar a minha relação com a minha família. No fundo sei que eles têm essa consciência, e que o fizeram de consciência, para me mostrar que eu "não devia ter-me separado". Como se fosse um castigozinho. E ao mesmo tempo influenciar os meus filhos contra mim, de forma a eles tomarem partido. Enfim.....

Retrato de Konigvs
Qui, 01/11/2018 - 18:07
Konigvs:
Membro desde: 21.10.2011

Na última emissão d' "O Amor é", o Júlio Machado Vaz explica muito bem esse tipo de situação. A partir dos 19 minutos:

https://www.rtp.pt/play/p266/o-amor-e-fim-de-semana

Retrato de Epic
Qui, 01/11/2018 - 18:28
Epic:
Membro desde: 15.10.2018

Pois entendo. Também já pensei nisso de poder ser má influência, de pôr as pessoas a pensar, de eu ter tido coragem e eles quererem e não terem...no entanto neste caso acho que ser homem ou mulher seria igual, pois a questão parece focar-se no facto de ter sido eu a sair. Se fosse ele o mais certo era ficarem do meu lado. Ou não....Seja o que for não me parece correcto. E volto a dizer que já fiquei triste com isso, agora não. Só me preocupa a influência irreversível que isso tem nos meus filhos. A tão falada alienação parental....

Retrato de SweetBlonde
Ter, 20/11/2018 - 11:12
SweetBlonde:
Membro desde: 02.08.2012

Quando te referes a família, referes-te a quem uma vez que os teus pais te apoiaram na decisão e pelo que percebi não te excluiram?

Sweet Blonde

Retrato de Grim Reaper
Qui, 22/11/2018 - 21:26
Grim Reaper:
Membro desde: 29.04.2017

Tu é que devias ter bom senso.

Ao contrário de ti que te queres livrar dele como um cão com sarna, a tua família é mais humana que tu.

Aprende com eles. Afinal disseste "amo-te" a essa pessoa e agora queres que ele desapareça como um defunto, só porque tens uma pessoa nova, és mesmo desprezível.

É bem feito que o convidem se gostam dele, para não seres uma caprichosa.

Retrato de Tony Chopper
Sex, 23/11/2018 - 15:16
Tony Chopper:
Membro desde: 28.08.2017

Grim Reaper, também te digo: alguém meter-se com uma pessoa com filhos de outros, só se não tiver mais alternativa ou estiver desesperado. Eu jamais me meteria nessa situação e já cortei quando descobri que a outra pessoa tinha um filho ou filha. Dass, aturar e sustentar os filhos dos outros!

Retrato de Grim Reaper
Seg, 26/11/2018 - 22:42
Grim Reaper:
Membro desde: 29.04.2017

Sim o gajo é um burro do caraças, eu se fosse ele deixava-a e aos filhos emprestados...

Retrato de Tony Chopper
Ter, 27/11/2018 - 11:07
Tony Chopper:
Membro desde: 28.08.2017

Eu também... Andar com uma mulher com dois filhos de outro é como enfiar a carteira numa torradeira... Não compensa por vários motivos: vive demasiado centrada nos filhos; não pode viajar ou se puder vai fazer sempre choradinho que precisa do dinheiro para os filhos; menos disponibilidade para sexo; como já tem um filho ou filhos não sente tanto a vontade de dar um segundo ou terceiro ao parceiro que anseia ser pai de sangue; não há a fase inicial da liberdade do casal como poder dormir fora, ir passear, fazer o que quer porque está sempre atada ao filho, etc, etc.