A forma como lida com dinheiro e partilha ... relação | A Nossa Vida

A forma como lida com dinheiro e partilha ... relação

Retrato de alexandraalegre
03.12.2019 | 11:32
alexandraalegre:
Membro desde: 04.11.2019

Olá a todos, estou há alguns anos numa relação (namoro) e pensando agora num futuro juntos, existem algumas questões que me têm feito refletir.
Quando falamos em relações, normalmente falamos de sentimentos, emoções, adaptações, altos e baixos ... o assunto que aqui trago é relacionado com o dinheiro e partilha, em geral, e talvez a forma como isso poderá desgastar a relação.
Desde que estou com esta pessoa sempre senti que lhe "custava" gastar dinheiro. Não falo em esbanjar, mas sim gastar, com situações normais, como um jantar, um café, etc. Mas ultimamente as coisas têm piorado. Sempre adotamos a política de "cada um paga o seu" na maioria das situações, mas recentemente existem momentos em que tudo fica desagradável:
P.ex.: Vamos uma noite ao cinema, eu digo que posso comprar os bilhetes com um cartão, porque tenho descontos e ambos ficam mais baratos. No entanto, ele aproveita esse facto para que eu compre os dois e depois não paga o dele, como seria o suposto. Ou digo que me apetece pipocas e se ele gostaria de partilhar comigo um menu, ele olha para os preços e diz que não lhe apetece, mas que posso ir comprar para mim. Faço isso, pago e quando chego à sala ele quer beber da bebida que trago e tirar algumas pipocas.
Combinamos ir dar uma volta pela baixa e de repente começa a chover torrencialmente. Perto, só existe um café e ao entrar sabemos que temos que consumir. Ele diz logo que não quer nada (ou seja, para ficarmos lá, obrigatoriamente sou eu que vou ter que comprar algo para consumo).
No aniversario dele convidou-me para ir jantar fora. No entanto fui preparada para pagar a minha parte. Quando lá chegamos, ele viu os preços e sugeriu dividir o prato em questão pelos dois, porque achava demasiado caro (daria uma média de 28 euros dos dois). Eu preferi pedir um prato inteiro para mim e disse que pagava, no final o funcionário veio com a conta e pergunta se é a dividir pelos dois e ele diz que eu pago mais o café que bebi.
Também aconteceu irmos jantar fora, num dia em que estava particularmente doente do estômago e só quis uma sopa. O total foi cerca de 8 euros, 1 e tal da minha sopa. Ele disse ao funcionário que era para dividir. Como eu não tinha em moedas o suficiente, ele pagou o dele e o funcionário teve que ir buscar o mb para eu pagar 1 e tal com cartão e já quase a rir-se da situação.

Ambos trabalhamos e, embora eu com uma situação profissional mais favorável, vivo com familiares e partilho todas as despesas como renda, luz, agua, alimentação. Ele não tem despesas tirando as deslocações para o trabalho. Recentemente eu e a minha familia vimo-nos no problema de muitos portugueses que, com a inflação dos preços de arrendamento, tivemos um aviso de saída da habitação porque iria ser rentabilizada de outro modo. Tive grandes despesas financeiras e fui-me abaixo completamente psicologicamente. Entretanto ele fez anos, e embora não lhe conseguisse dar uma prenda material muito valiosa, dei a minha presença e um disco de vinil que sabia que tanto queria. Quando abriu ouvi: "Obrigada! E já sei quanto é que te custou" (no sentido, foi barato).
Sinto muitas dúvidas ultimamente. E sinto que se isto é agora assim ... um dia que vivessemos juntos provavelmente este comportamento iria-se manter.


Retrato de Bruno Almeida1
Ter, 03/12/2019 - 22:00
Bruno Almeida1:
Membro desde: 03.12.2019

O que tens a fazer é ter uma conversa muita seria com o teu namorado, ou mostra lhe o que escreveste aqui, ele se for uma pessoa com um cérebro em funcionamento ele vai perceber que está a ser sumitico.
Digo isto porque me indentifique com o teu namorado e tou assustado comigo mesmo, não sou tão radical mas tou a uns pequenos passos de ficar igual. Fizeste me abrir os olhos, obrigado.
Uma coisa é sermos poupados outra é sermos sumiticos e invejosos , ainda por cima se tu contribuís e divides as coisas ele também o deve fazer.
Vou dar o meu exemplo trabalho a pouco mais de 2 anos , mas sempre em part time.
Dos meus 10 anos em diante os meus pais ficaram doentes e desempregados , a minha vida foi sempre a sobreviver desde essa época aos dias de hoje. Eu não gosto de gastar dinheiro com nada praticamente , nem comigo gasto ou quando gasto vou sempre ao mais barato (literalmente) tenho mota e carro e atualmente tenho + de 5700€ de poupanças.
Há pouco tempo juntei me com uma rapariga e sem planearmos ela engravidou (já tá de 5meses 🤗) começamos a viver juntos. Ela é totalmente o meu oposto , bebê café na rua, compra doces em cafés , gasta o dinheiro no que lhe aptece sem controlo quase nenhum, já eu posso tar a morrer de sono ou de fome que não gasto 1 cêntimo em um café ou almoço fora de casa. Sou exessamente poupado, se for às compras só compro do mais barato, perco bastante tempo a comparar preços e vejo sempre ao KG. Eu sinto isto como um transtorno, ou algum gênero de doença , não sei se foi de ter passado tantas dificuldades desde os 10 anos até começar a trabalhar. Mas gastar dinheiro errita me e frusta me bastante.
Se o teu namorado passa pelo mesmo , o que tens de fazer é abrir lhe os olhos , o teu texto fez me refletir bastante sobre mim.

Retrato de MOPA
Qui, 05/12/2019 - 14:50
MOPA:
Membro desde: 23.06.2015

Olá!!!
Nem sei bem o que dizer da situação… na minha opinião o teu namorado não é poupadinho, é egoísta… por exemplo na situação do cinema, tu pagaste os bilhetes e ele pagaria as pipocas… porque é que tens q ser sempre tu a "chegares à frente" com o dinheiro? tudo bem, ganhas mais que ele, mas também tens mais despesas… o valor de uma prenda não se mede pelo valor em €€€, mas sim pelo significado. O que é que interessa se uma prenda é cara ou barata? se era aquilo que ele queria… enfim…
Solução se forem morar juntos: o meu, o teu e o nosso dinheiro. Explicando: cada um transfere uma percentagem do valor do seu rendimento mensal numa conta conjunta criada por vocês e de onde sairão todas as despesas da casa. O valor que "sobrou" na conta pessoal de cada um fica para si. Falo em percentagem porque se por exemplo um ganhar 1000€ e outro 500€, se decidirem colocar 400€ cada um na tal conta conjunta o que ganha menos fica apenas com 100€ para gastar e o outro com 600€...já se for em percentagem o que mais ganha contribui um pouco mais.
Questão: se algum dia tiverem filhos como é que vão fazer? compram as fraldas, as pomadinhas, as vacinas tudo à vez? e um dia que a criança coma um prato sozinha? dividem o valor do prato a meias?
Eu falava com ele e fazia-o ver o quanto está a ser picuinha com as situações…
Se agora esta situação te está a incomodar, um dia se forem viver juntos acredita que te vai incomodar ainda mais…

Post