como voltar ao trabalho ainda com depressão | A Nossa Vida

como voltar ao trabalho ainda com depressão

Retrato de fatima silva
06.05.2011 | 18:39
fatima silva:
Membro desde: 01.05.2007

Olá, estou com uma depressão á cerca de um mês e tou de baixa, como melhoras e recaidas não consigo voltar a trabalhar....
Estou sempre a dizer a mim mesma que vou para a semana mas não consigo ( ainda tenho baixa até ao dia 25), começa á ansiedade, os choros, a desmotivação por me sentir assim e também tenho medo de chegar ao trabalho e não conseguir. Neste momento não tenho nada que possa dizer que me faça sentir feliz, sinto-me uma autêntica inútil que nem comsegue ir trabalhar, sem auto estima e que só mago-o os outros por estar assim. Esta é a terceira depressão que tenho e consegui-me erguer nas outras mas nesta não estou a conseguir pois nas outras encontrava o motivo que causava e resolvia o problema mas nesta cheguei á conclusão que o problema sou eu, que penso muito em tudo e todos ,que cismo em tudo quando não há razão para cismar, sinto-me uma pessoa triste, sem razoes para sorrir mas eu tenho tudo que preciso.... Não consigo entender porque me sinto assim, porque me angustio como coisas ou situações que não tem importância, preocupo-me com que as outras pessoa pensam e desvalorizo-me, sinto-me um lixo....
Sinto mal por me sentir assim quando há pessoa com problemas sérios mas eu sinto-me vazia...
Desculpem o desabafo mas pennsei que podia encontrar aqui alguém que tivesse a passar pelo mesmo


Retrato de AD
Sex, 06/05/2011 - 18:55
AD:
Membro desde: 14.08.2007

...afinal até sabes qual é o problema! já é um começo!

Nunca tive uma depressão mas para mim estar depressiva é isto mesmo, sentirmo-nos um lixo e pensar que está todo o mundo contra nós.

Psicólogo? Apoio familiar/amigos? tens?

Acho que começar a trabalhar é ideal para começar a desanuviar a cabeça. Gostas do que fazes?

------------------------------------------------
O nosso carácter é o resultado da nossa conduta.
(Aristóteles)

Retrato de fatima silva
Sex, 06/05/2011 - 19:26
fatima silva:
Membro desde: 01.05.2007

Já ando em psicologa e tenho o apoio da familia.
Em relação ao trabalho tenho medo de não aguentar e do que os colegas pensam e os comentários que possam fazer.

Retrato de Sofia1984
Sex, 06/05/2011 - 21:09
Sofia1984:
Membro desde: 29.05.2010

Olá Fátima, para mim este tema é sempre um pouco controverso...eu tenho tendência a desvalorizar uma depressão porque erradamente acho que é tudo paranóia da pessoa.
Sei que não é assim, porque as pessoas falam de como se sentem e muitas vezes vejo que as leva à loucura, mas de facto eu pessoalmente acho sempre que a pessoa é forte suficiente para se achar também boa o suficiente e descobrir sempre as causas dos seus problemas ou então algo que as faça melhorar consideravelmente.
De facto custa-me muito entender o que leva uma pessoa a estar mal com ela mesma quando tem pessoas que a rodeiam que a amam, que têm uma vida boa, que têm dinheiro e que não lhes falta nada.
Se calhar é porque na minha vida já houve tanta coisa má, tanta coisa que se calhar me podia ter levado à loucura, desde problemas familiares, carência económica, pais que se davam mal, e que inclusive negligenciaram muito a parte de cuidar de nós em muitos aspectos.
Por eu ter passado por isso tudo e ter conseguido sempre achar um motivo de felicidade, custa-me muito entender que outros com vidas até melhores não o consigam fazer.

De qualquer forma, ao ler o que escreveste senti-me triste por ti e passei só para te desejar boa sorte na tua "cura" (não sei se se pode chamar assim...), e dizer-te que por muito mal que a gente esteja, se olharmos à nossa volta há sempre algo que podemos fazer para melhorarmos a nossa vida, a nossa auto-estima, a nossa visão sobre nós mesmos.
Comigo funcionou muito o simples "ajudar outras pessoas", num voluntariado, e perceber que apesar da minha vida não ter sido fácil, se calhar ainda tinha muito para dar.
E também uma coisa que fiz muito foi buscar insistentemente o que estava mal na minha vida e afastar-me do que me fazia mal...isso implicou por exemplo sair de casa dos meus pais, lá não era feliz nem nunca ia ser.

Não desistas de ti. És muito nova (somos!) para estares assim tão em baixo...e tens com certeza muita coisa boa à tua espera.

Beijinhos!

"A meta de uma discussão ou debate não deveria ser a vitória, mas o progresso."
( Joseph Joubert )

Madrinha da TCosta, da florzinha C.A.S.C.S. e da espevitada RuteCris
Afilhada da Joanasantosblue

Retrato de _Marta_
Sex, 06/05/2011 - 21:20
_Marta_:
Membro desde: 08.12.2008

Fátima,
Fácil não é, mas impossível também não.
É importante que fales com a tua psicóloga sobre tudo o que sentes e, acima de tudo, procurarem em conjunto formas de enfrentar os problemas.
A mim parece-me que já descobriste a causa de estares com uma nova depressão; também me parece, contudo, que precisas de um empurrãozinho para andares para a frente. E isso tem de ser feito em contexto terapêutico, com a tua psicóloga.
Eu já lidei com depressão, tanto a nível pessoal, como familiar e sobretudo em contexto de trabalho, porque sou psicóloga. De facto, há uma tendência das pessoas à nossa volta para desvalorizar a doença (Sofia1984, nada contra, ok? Ainda bem que trouxeste uma perspectiva diferente ao caso, porque muita gente pensa assim e poucas são as pessoas que têm coragem de o assumir). Ninguém desvaloriza um cancro ou até uma simples gripe, mas todos temos tendência a desvalorizar as doenças de foro mental. A verdade é que nem todos temos a resiliência necessária para dar a volta por cima em determinados momentos da nossa vida. Estar deprimido é tão legítimo como estar com gripe.
Fátima, não és nem serás a última pessoa a sentir-te assim. Os medos que sentes são normais, a perspectiva que tens de ti mesma é normal, o choro e a ansiedade também. Mas ninguém vive assim para sempre. A tua psicóloga vai, com toda a certeza, ajudar-te a avançar.
Não procures uma cura... Uma depressão raramente se pode assumir como curada para sempre! Procura apenas que cada dia seja melhor que o anterior.
Boa sorte!

Retrato de Sofia1984
Sex, 06/05/2011 - 21:54
Sofia1984:
Membro desde: 29.05.2010

talvez me consigas ajudar a perceber.
A minha maneira de ver a depressão pode ter a ver com aquilo que encontro como justificação para a minha visão sobre a depressão (a minha vida não ter sido propriamente fácil e eu estar aqui de pé, e por esse motivo não tolerar tão bem que os outros se queixem ou se ponham pra baixo)?
Como é que eu por exemplo, posso ajudar alguém que diz que acha que está com depressão, ou que me possa parecer que esteja com depressão?
Que conselhos posso eu dar à minha mãe por exemplo, que volta e meia tá a dizer que só está cá para ver o neto nascer, que não tá aqui a fazer nada...
que conselhos posso eu dar a alguém para quem eu olho e tem tudo para ser feliz e insiste em pôr-se para baixo?

Basicamente...como é que uma pessoa que resistiu sempre à tentação dela mesma ficar pra baixo com a vida ajuda os outros a não fazerem o mesmo?
E sempre isto que me fica na cabeça...não sei como hei-de arranjar força e paciência para os queixumes da minha mãe, por exemplo, que já tão mal (me) fez...

"A meta de uma discussão ou debate não deveria ser a vitória, mas o progresso."
( Joseph Joubert )

Madrinha da TCosta, da florzinha C.A.S.C.S. e da espevitada RuteCris
Afilhada da Joanasantosblue

Retrato de angelam-silva
Sex, 06/05/2011 - 22:11
angelam-silva:
Membro desde: 01.12.2010

Ola Fatima , como te percebo Sad
Infelizmente passo pelo mesmo já a cerca de 4 meses.
Tive que deixar de trabalhar(e para mais nem direito a baixa tenho)pois já não aguentava mais.Mesmo a minha psiquiatra esta me sempre a dizer que nesta fase tenho que estar mesmo em casa e ter o mínimo de compromissos possíveis para poder recuperar.
Eu sempre fui uma pessoa muito activa , sempre trabalhei muito e gosto de trabalhar , mas com esta maldita doença não consigo mesmo , o que me vai dando animo é o meu marido pois ele já passou por isto a dá-me muito apoio e esta sempre a me motivar e fazer ver que não temos culpa por ter esta doença.
Tens que pensar da mesma forma e perceber que não foste tu que escolhes-te ter essa doença logo não es inútil ,já agora tomas alguma medicação? Tens acompanhamento por algum psiquiatra ou psicólogo?

Afilhada da Talim com muito orgulho
Afilhada do El_Lobo com muito orgulho

Retrato de PatGue
Sex, 06/05/2011 - 23:06
PatGue:
Membro desde: 26.08.2010

Temos um País com muito preconceito em relação a problemas psicológicos, esse é o nosso problema.

Uma depressão não tem cura, tem de ser tratada, controlada e não pode ser esquecida.

Tive a minha com 21 anos ... já passaram 11 anos ... recaídas tive duas ... uma quando vi o meu pai morrer de cancro a segunda após meses doente sem saber se também teria um linfoma como o meu pai ...

Cura não há ... dia 13 de Maio de 2011 faz 1 ano que fui operada ao nódulo que tinha na axila ... Feliz, sou muito ... casei há um mês e a morte do meu pai mostrou-me o namorado maravilhoso que tinha ... a minha doença mostrou-me o homem com quem queria casar ... mas não posso dizer que não voltarei a ter outra ...

Considero que tenho muita força mas por vezes não aguento mais psicológicamente ...

Depressão não quero voltar a ter por isso tenho determinados cuidados tais como, tenho de dormir, tenho de andar calma, tenho de ter cuidado com as mudanças de humor ... é preciso saber viver, sempre com receio de ter outra, mas a sério só tive uma ... e não quero voltar a ter outra ...

O meu conselho é olhares para ti todos os dias e em cada dia perceberes um lindo pormenor que não tinhas reparado em ti ...

Ao contrário de quem não compreende esta doença, eu não acho que somos fracas, somos fortes e temos de querer melhorar ... mudar ... aceitar-nos como somos ...

Ninguém pode dizer que alguém não tem razões para estar depressivo ... ninguém sabe o que nos vai por dentro ... ninguém conhece os nossos problemas ...

Por isso, só precisas de querer mudar, querer melhorar, olhar em frente, para o futuro ...

Não queres voltar ao trabalho, não te sentes bem ... tenta procurar outro ... mas luta.

As melhoras

Retrato de fatima silva
Sex, 06/05/2011 - 23:13
fatima silva:
Membro desde: 01.05.2007

Obrigada a todas pelos vossos comentários.
Eu tento fazer o possível para me sentir melhor e há momentos que estou bem mas basta um pensamento e desabo...
Neste momento estou a tomar sertralina e sedoxil e ando na psicologa.
Eu sinto um medo constante que isto nunca que se cure, que vá andar assim para o resto da minha vida, constantemente com recaídas.
Eu com a depressão deixo de dar valor á vida, para mim nada tem sentido mas ao mesmo tempo cismo em tudo.
Quero ter um filho mas como posso ter se posso ter uma recaida e andar assim deprimida e não dar a atenção que devo.
Eu vou lutar contra isto, eu só quero voltar a ser feliz...

Retrato de Catarina Neves
Sex, 06/05/2011 - 23:52
Catarina Neves:
Membro desde: 06.05.2008
fatima silva wrote:

Obrigada a todas pelos vossos comentários.
Eu tento fazer o possível para me sentir melhor e há momentos que estou bem mas basta um pensamento e desabo...
Neste momento estou a tomar sertralina e sedoxil e ando na psicologa.
Eu sinto um medo constante que isto nunca que se cure, que vá andar assim para o resto da minha vida, constantemente com recaídas.
Eu com a depressão deixo de dar valor á vida, para mim nada tem sentido mas ao mesmo tempo cismo em tudo.
Quero ter um filho mas como posso ter se posso ter uma recaida e andar assim deprimida e não dar a atenção que devo.
Eu vou lutar contra isto, eu só quero voltar a ser feliz...

Quem te receitou a medicação? Wink

Retrato de Catarina Neves
Sex, 06/05/2011 - 23:53
Catarina Neves:
Membro desde: 06.05.2008

Demorei muito a escrever o meu comentário e, quando o submeti, o teu já aqui estava

É ISSO MESMO ;))))))

FORÇAAA

Retrato de _Marta_
Sáb, 07/05/2011 - 01:20
_Marta_:
Membro desde: 08.12.2008
fatima silva wrote:

Eu sinto um medo constante que isto nunca que se cure, que vá andar assim para o resto da minha vida, constantemente com recaídas.

Fátima, é importante perceberes que a depressão pode realmente nunca ter cura. Isto não significa que vás ficar nesse estado anímico para o resto da vida: nada disso. O que quero dizer é que é muito provável que venhas a ter recaídas e que sejas mais propícia a desenvolver depressões´do que a maioria das pessoas que conheces. Ter consciência disso ajuda a identificar os primeiros sintomas e a combatê-los desde o início. É a mesma coisa com as gripes: há quem fique doente com a 1.ª corrente de ar e quem nunca apanhe nada mesmo com um gelo de quebrar ossos. Somos diferentes, apenas.

Retrato de _Marta_
Sáb, 07/05/2011 - 01:30
_Marta_:
Membro desde: 08.12.2008
Sofia1984 wrote:

talvez me consigas ajudar a perceber.
A minha maneira de ver a depressão pode ter a ver com aquilo que encontro como justificação para a minha visão sobre a depressão (a minha vida não ter sido propriamente fácil e eu estar aqui de pé, e por esse motivo não tolerar tão bem que os outros se queixem ou se ponham pra baixo)?
Como é que eu por exemplo, posso ajudar alguém que diz que acha que está com depressão, ou que me possa parecer que esteja com depressão?
Que conselhos posso eu dar à minha mãe por exemplo, que volta e meia tá a dizer que só está cá para ver o neto nascer, que não tá aqui a fazer nada...
que conselhos posso eu dar a alguém para quem eu olho e tem tudo para ser feliz e insiste em pôr-se para baixo?

Basicamente...como é que uma pessoa que resistiu sempre à tentação dela mesma ficar pra baixo com a vida ajuda os outros a não fazerem o mesmo?
E sempre isto que me fica na cabeça...não sei como hei-de arranjar força e paciência para os queixumes da minha mãe, por exemplo, que já tão mal (me) fez...

Sofia,
A primeira coisa que te posso dizer é dar-te os parabéns por teres conseguido superar essa fase negativa da tua vida sozinha. Não foi, concerteza, nada fácil. Porém, também é importante que tenhas as consciência que nem todas as pessoas conseguem resistir dessa forma às adversidades da vida e seguir em frente. A capacidade de lidar com problemas no dia-a-dia tem por base, muitas vezes, um suporte social e familiar (amigos, família), mas sobretudo uma personalidade muito resiliente nesse sentido. Poucas são as pessoas que a têm, diga-se.
Como podes apoiar uma pessoa que aparenta ter depressão? Fazendo-a compreender que tem um problema. Esta é, talvez, a fase mais difícil de um tratamento. Não é fácil, para um alcoólico, admiti-lo, da mesma maneira que não é fácil admitir-se que se tem um problema psicológico que, ainda por cima, é tão desvalorizado e criticado na sociedade. No caso da tua mãe, é importante que ela compreenda isso. A partir daí, perceber de onde é que vem esse problema: do nada? De uma situação problemática que aconteceu? De todo um passado que, no caso dela, foi fomentando o aparecimento desta depressão?
Faço estas questões porque, em tempos, tive um paciente com uma depressão vinda completamente do nada. Não era mais do que um desajuste bioquímico, que se resolveu com anti-depressivos em 3 ou 4 meses. Não havia qualquer desajuste psicológico: nada, mesmo. Por outro lado, já tive pacientes cuja depressão tem um motivo, uma origem, uma situação e que necessitaram de um tratamento médico e de psicólogo. Aliás, o tratamento psicológico até acabou depois da medicação.
As pessoas são diferentes. Não podes esperar que a tua mãe reaja da mesma maneira que tu porque - lá está! - têm maneiras de ser e de estar diferentes. Ajuda-a a compreender que tem um problema. Leva-a ao médico e, se necessário, a um psicólogo. Acima de tudo, apoia-a: é importante que se sinta compreendida e amparada.

Retrato de Sofia1984
Sáb, 07/05/2011 - 11:00
Sofia1984:
Membro desde: 29.05.2010

Obrigada pela resposta.
é precisamente essas depressões vindas do nada que me costumam meter mais impressão, pois é claro que uma pessoa que teve realmente uma causa para a sua depressão não me é nada complicado entender, como por exemplo a morte de alguém, problemas familiares, falta de emprego ou dinheiro...filhos que não encarreiram na vida...
No caso da minha mãe eu sei o que a põe assim. Não é uma depressão vinda do nada, acho que é o facto dela ter feito 30 por uma linha para ter tido uma vida diferente da que tem, mas a que tem resultar de erros sucessivos que ela mesma cometeu...é frustração. Vontade de querer ter feito a diferença na vida das pessoas mas nem na dela conseguir fazer diferença, porque na verdade sempre desvalorizou a família(os de fora estavam sempre primeiro na razão) e aquilo que a aconselhávamos a fazer (que era sempre ao contrário do que ela própria queria fazer).
É o facto de nunca ter querido trabalhar por conta de outrem porque simplesmente não está preparada para obedecer a regras com que não concorda, ainda que sejam as regras de uma empresa e desta forma tentar sempre arranjar maneira de trabalhar em casa, mas depois sentia-se frustrada por ter que estar em casa a olhar por 4 filhos e "sem vida própria".
É o facto de ter um casamento infeliz, desde que me lembro, e disso a ter feito fazer algumas asneiras ao longo da vida, a passo com a própria impossibilidade de termina-lo, pois depende financeiramente do meu pai (por culpa dela tb obviamente).
É o facto de não conseguir ter ao lado dela da mesma forma as 4 filhas, porque tratou desde sempre duas de uma forma e as outras duas de outra forma (não imparcial), o que levou a um natural afastamento de duas para com ela...
Eu pessoalmente não tenho vontade de ajudá-la,e lamento profundamente por isto... mas posso falar com as minhas duas irmãs mais chegadas a ela para a encaminharem.
A minha mãe ainda hoje esforça-se por manter contacto com alguém que ela sabe que eu odeio, sabe porque é que odeio desde que sou nova e não me acredito que haja mãe no seu perfeito juízo que depois de ter conhecimento da situação que aconteceu quisesse manter contacto com essa pessoa. Não compreendo, nunca compreendi e causa-me muita dor.
Por isto tudo a depressão que ela possa ter a mim não me diz absolutamente nada, porque não consigo ajudar quem sempre me devia ter ajudado e não o fez.
Ela toma N medicamentos pra dormir que eu sei (antidepressivos),que nem foram receitados pra ela em especial, inclusive já lhe disse que aquilo não lhe fazia nada bem, mas ela desvaloriza porque para ela só o que ela faz é que está bem.

Obrigada pelos teus esclarecimentos, vou falar com as minhas manas (as tais duas, porque a outra também esgotou a paciência...) a ver se ela visita alguém que a possa ajudar.

Beijinhos

"A meta de uma discussão ou debate não deveria ser a vitória, mas o progresso."
( Joseph Joubert )

Madrinha da TCosta, da florzinha C.A.S.C.S. e da espevitada RuteCris
Afilhada da Joanasantosblue

Retrato de Catarina Neves
Sáb, 07/05/2011 - 12:09
Catarina Neves:
Membro desde: 06.05.2008

Depressão é um assunto muito sério e não acontece apenas às pessoas mais "fracas" (como erradamente se pensa) Também não acontece apenas porque se tem um "espírito" mais derrotista e pessimista Eu sou a prova disso:

* um humor que ainda hoje é relembrado nos corredores dos hospitais;
* sempre de sorriso na cara (se tivesse um sorriso colgate, acho que era sempre recrutada para publicidade..lol);
* melhores pais do mundo (e uma família MUITO ESPECIAL);
* melhores amigos do mundo;
* realização profissional acima do esperado, pois estava na faculadade que queria e trabalhava na minha área desde muito nova;
* de bem com a minha aparência;

Pois é... Esta era eu no momento do diagnóstico da minha primeira depressão. A razão??? Um esgotamento provocado por um problema de saúde que não tinha sido diagnosticado. A verdade é que cheguei aos 35kgs e fiquei MUITO MAL.

FELIZMENTE encontrei um psiquiatra fantástico UM PROFISSIONAL na verdadeira acepção da palavra! Demorei um ano a conseguir retomar a minha vida normal.

Andei bem durante uns 4 anos e, algum tempo depois de me ter mudado para Lisboa, tive uma recaída tão grave, que fiquei no hospital.

Pois é! Desta vez, aliado a um cansaço extremo (trabalhava na minha área de sempre - a paixão da minha vida - 12h por dia), estavam problemas pessoais GRAVÍSSIMOS. A "ajudar" estava o facto de me ver "sozinha" em Lisboa (quando estava habituada a estar numa casa com 5/8 pessoas) e o facto de estar demasiado cansada para conseguir comer. Vivia à base de cafés e de belas tostas mistas Todos os dias comia uma sopinha que a senhora do snack-bar perto da Rádio, me obrigava a engolir eheheh

Tive de regressar de urgência "à base", para poder ser acompanhada. Não vou aqui especificar o ponto a que cheguei (porque não irá ajudar em nada), mas posso dizer-te que os meus pais foram informados sobre o estado em que iria ficar até ao fim da vida (e não, nunca me tentei suicidar).

Uma vez mais, tive uma equipa de profissionais FABULOSOS. Foram eles quem me mantiveram viva, numa primeira fase Depois... vieram os pais e a restante família e alguns (poucos) amigos (o que entendo perfeitamente. A "Catarina" deles NUNCA poderia estar assim. Não era verdade. A "Catarina" era a última pessoa que iria sofrer de uma depressão. Se ela tinha sido "apanhada", "nós" não escaparíamos.).

DESCULPA o testamento a falar de mim, mas achei que seria importante mostrar-te algumas coisas E mostrar-te PRINCIPALMENTE que só te tornas culpada de estar com uma depressão, se não te esforçares e se não recorreres a ajuda profissional (psicólogos, psiquiatras, etc).

NÃO PERMITAS NUNCA que te digam que a depressão não é nada! Que "não sei quem" tem problemas bem mais graves, mas que continua ali de pedra e cal. AS PESSOAS SÃO DIFERENTES e... imagina tu... o organismo de cada um também o é. O que muita gente desconhece é que a depressão pode, perfeitamente, estar relacionada com uma "alteração" fisiológica (ou seja, uma má formação existente no teu sistema nervoso).

Sabes, Fátima, eu acho que já deste o primeiro passo No entanto, não há nenhuma fórmula ou medicamento milagroso que te faça ver a vida com outros olhos. Que te faça perceber que, mesmo poucas, tens sempre algo de bom para ti. Os medicamentos são essenciais para que possas estabilizar a tua saúde e facilitam a tua reintegração na vida social e profissional

Eu sou depressiva crónica! Tomo UM comprimido por dia (até ao fim da minha vida)! Comprimido esse que, a par da minha alteração comportamental, me tem permitido reagir "heroicamente" a estes últimos 4 anos (com dias de pesadelo).

Fátima: estamos sempre a tempo de encontrar algo que valha a pena na nossa vida. Mas a primeira coisa que tens de encontrar é a ti própria Dá-te a oportunidade de ser feliz! Respeita o teu corpo e a tua mente Percebe que a imagem que queres que os outros vejam, apenas será possível se TU MESMA a vires

FORÇA, Fátima e desculpa se me alonguei, não respondendo directamente à tua questão

Se achas que não estás em condição de voltar ao trabalho, faz como já sugeriram, fala com o profissional que te acompanha

CORAGEM

Editei: para corrigir umas coisitas

Retrato de fatima silva
Sáb, 07/05/2011 - 12:46
fatima silva:
Membro desde: 01.05.2007

Obrigada Catarina pelo teu grande testemunho e pela coragem e força de mulher que és...
A minha medicação foi dada pelo médico de familia e depois revista pelo psiquiatra que disse que tava bem.
A minha cabeça está sempre a arranjar problemas, a cismar em tudo.... É por causa do trabalho pois tenho medo de não aguentar e depois já não tenho baixa, é por estar assim e a fazer sofrer as outras pessoas, ter medo de voltar a passas pelo mesmo e tudo me deixa triste e desiludida comigo mesma, só vejo os meus defeitos, sinto-me tão triste por estar assim e não conseguir levantar-me...

Retrato de _Marta_
Sáb, 07/05/2011 - 18:09
_Marta_:
Membro desde: 08.12.2008

Sofia, faz isso mesmo: fala com as tuas irmãs. O resto, tem mesmo de ser um trabalho feito pela tua mãe: ela tem de entender que tem um problema e que há forma de o solucionar. Os medicamentos pouco fazem se não se mexer verdadeiramente no problema...

Fátima, força aí! Smile Não és a única pessoa no mundo a sentir-se assim... Com a ajuda adequada vais conseguir! Smile

Retrato de PatGue
Sáb, 07/05/2011 - 18:23
PatGue:
Membro desde: 26.08.2010

Por vezes é necessário trocar de médico, trocar de medicação ... estás a ter acompanhamento de um psiquiatra mensalmente? Isso é essencial.

Na minha primeira depressão estive 6 meses sem sair de casa por causa dos ataques de pânico e um dia tive coragem e comecei a sair ...

Eu sempre fui tratada em homeopatia apenas há um ano fui tratada em psiquiatria mas sei que as primeiras medicações nem sempre são as mais correctas e ajustadas. Tens de explicar tudo o que continuas a sentir a um profissional que te reveja a medicação.

Hoje já observaste em alguma parte de ti que seja linda? Tens de aprender a gostar de ti ...

Melhores ...

Retrato de fatima silva
Sáb, 07/05/2011 - 18:29
fatima silva:
Membro desde: 01.05.2007

Obrigada Marta pelo apoio. Eu sei que não única mas já estou quase a dois meses assim e eu só quero voltar a ter forças e vontade viver sem ter medo e cismar em tudo, quero viver o momento e não pensar no que vem depois... deixar de preocupar-me com cenas estúpidas e de ter pensamentos estúpidos.... Quero viver a vida como todas as outras pessoas, sorrir, sentir-me feliz mas neste momento só tenho vontade de estar deitada no sofá....
Eu quero conseguir melhorar mas tenho medo de não conseguir....

Retrato de fatima silva
Sáb, 07/05/2011 - 18:47
fatima silva:
Membro desde: 01.05.2007

Olá Pat Gue, eu ando em médico de clinica geral, psiquiatra e em psicologa.
O problema é mesmo meu, o meu psicológico esta muito mau....
Estou sempre a pensar, a relembrar situações e sinto-me culpada em tudo. Eu durante algum tempo vou aguentando mas chego a um momento em que desabo. Sou uma pessoa timida, que quer ter tudo perfeito mas não consigo ( falha sempre alguma coisa), que se preocupa com que os outros pensam, que está sempre preocupada com as pessoas que gosta, que nunca quer magoar ninguem e acaba por tolerar alguams situações que me incomodam, sinto-me muitas vezes culpada em situações que toda gente diz que não tenho culpa. Eu massacro-me a mim mesma com os meus pensamentos negativos... Nestes momentos sinto sempre uma sensação dentro do peito ( medo ou o que é), ás vezes mal consigo comer...
Eu vou lutar contra a isto mas sei que não vai ser fácil mudar o meu psicológico porque eu acho que sempre fui assim só que agora com as responsabilidades e vida de adulta evidenciou-se mais...
A depressão doi muito, eu nunca desejaria isto a ninguém, nem ao meu pior inimigo pois só quem passou por ela é que sabe o que isto é.
Obrigada a todas

Retrato de Catarina Neves
Sáb, 07/05/2011 - 18:48
Catarina Neves:
Membro desde: 06.05.2008
PatGue wrote:

Por vezes é necessário trocar de médico, trocar de medicação ... estás a ter acompanhamento de um psiquiatra mensalmente? Isso é essencial.

Na minha primeira depressão estive 6 meses sem sair de casa por causa dos ataques de pânico e um dia tive coragem e comecei a sair ...

Eu sempre fui tratada em homeopatia apenas há um ano fui tratada em psiquiatria mas sei que as primeiras medicações nem sempre são as mais correctas e ajustadas. Tens de explicar tudo o que continuas a sentir a um profissional que te reveja a medicação.

Hoje já observaste em alguma parte de ti que seja linda? Tens de aprender a gostar de ti ...

Melhores ...

Quanto mais te leio, mais parece que fui eu quem escrevi os textos Wink

Eu usei a homeopatia, mas como complemento. Era impensável usar apenas e só homeopáticos, no estado em que estava.

E tens muita razão naquilo que dizes: às vezes é preciso mudar de médico e ou medicação. Além disso há pormenores muito importantes nestas situações:

* tomar religiosamente a medicação, tendo especial cuidado com a da noite. SE costumamos ir dormir à meia-noite, convém tomar os comprimidos por volta das 23h Wink

* conseguir perceber se a medicação está a fazer bem ou a deixar-nos completamente alheias a tudo Wink Se ao fim de 15 dias te sentires "zombie" ou excessivamente parada, fala com o médico e explica-lhe Wink É muito importante ter alguém que lide connosco diariamente e que consiga identificar alterações de comportamento. Wink

Wink

Retrato de Catarina Neves
Sáb, 07/05/2011 - 18:54
Catarina Neves:
Membro desde: 06.05.2008
fatima silva wrote:

Obrigada Catarina pelo teu grande testemunho e pela coragem e força de mulher que és...
A minha medicação foi dada pelo médico de familia e depois revista pelo psiquiatra que disse que tava bem.
A minha cabeça está sempre a arranjar problemas, a cismar em tudo.... É por causa do trabalho pois tenho medo de não aguentar e depois já não tenho baixa, é por estar assim e a fazer sofrer as outras pessoas, ter medo de voltar a passas pelo mesmo e tudo me deixa triste e desiludida comigo mesma, só vejo os meus defeitos, sinto-me tão triste por estar assim e não conseguir levantar-me...

Eu não sou mais forte do que tu Wink O que fiz foi arriscar a mudar, para ver se a minha vida se tornava diferente Wink

Se eu me consegui desprender de certos comportamentos, TODA a gente consegue ;)))) Relativiza ;=) Ri-te das parvoíces Wink Procura ver coisas que te alegrem: um bom filme, um bom livro Wink Se possível, tudo muito divertido Wink As gargalhadas fazem TÃO BEM Wink

E para que queres tu ser perfeita? Fazer tudo direitinho, para quê? Para te tornares uma grande chata??? Tongue Tongue Tongue Volta e meia é importante fazer coisas menos acertadas Wink

Achas mesmo que as pessoas que te rodeiam querem alguém perfeito? Alguém que se vai tornar numa pessoa inatingível e de quem, consequentemente, as pessoas se afastam? Wink

Como eu costumo dizer: isto é giro é com defeitos, nódoas e cabelos despenteados Wink

Wink Hug

Mantém-te aqui pelo fórum Wink Há mil e um tópicos onde tenho a certeza que podes ajudar Wink (se souberes cozinhar, por exemplo, aceito dicas Tongue )

Retrato de angelam-silva
Sáb, 07/05/2011 - 18:54
angelam-silva:
Membro desde: 01.12.2010

Ola fatima
Nao penses assim , eu infelizmente ja ando assim a quase 5 meses e poucas melhoras vejo , ja troquei de medicamentos 3 vezes e agora penso que estou com os certos mas tenho que esperar para ter a certeza.
Pensa possitivo e tenta afastar esses pensamentos maus , pensa que toda se vai resolver , mas tens que ter calma e perceber que isso nao passa do dia para a noite pode demorar semanas,meses ou ate anos a voltar a ser como eras.
Olha o meu caso , tudo bem que nao tive uma infancia e adolescencia muito facil , mas agora tenho uma marido fantastico um filho de 5 anos lindo e saudavel , mas nestes ultimos 5 meses nao tenho vontade nenhuma de viver , so me apetece dormir , mas la faço um grande esforço e me ponho ape todas as manhas para pelo menos tratar dos meus meninos Smile
Quando vou sair e vejo tanta gente feliz e contente ate sinto inveja e penso porque isto tem que me acontecer a mim porque eu me sinto assim e nao consigo andar contente como as outras pessoas.....
Mas tenho certeza que mais cedo ou mais tarde vou recuperar e vou voltar a ser feliz , nao posso é desistir e fazer sempre o que a minha medica me manda , o que me vale é que nao tenho nenhum pensamento suicida , gosto demais do meu filho e do meu marido para lhes fazer uma coisa dessas e deixa-los aqui sozinhos.

Afilhada da Talim com muito orgulho
Afilhada do El_Lobo com muito orgulho

Retrato de luxita
Sáb, 07/05/2011 - 19:31
luxita:
Membro desde: 23.02.2009

Olá a todas, uma vez que esta é a primeira vez que posto neste fórum da nossa vida.
Depressão é assunto sério sim e esses sentimentos escapam ao teu controlo porque é uma reacção química do teu cérebro. Não queres sentir-te assim mas não consegues evitar! Tens de aceitar em primeiro lugar que não +es tu que provocas esses sentimentos, mas o teu cérebro que neste momento não responde a estímulos positivos por mais que tenhas tudo como dizes.
Depois a terapia ajuda muito e principalmente se te fizerem entender isto mesmo.
Quando estamos deprimidas, vive-se uma luta constante para contrariarmos o que sentimos, os sentimentos negativos mas infelizmente só vemos mesmo o lado mau das coisas.
Vives aterrorizada com a opinião dos outros quando sabes que racionalmente que os outros até podem nem estar aí...mas é isso que a depressão faz: exponencia os nossos sentimentos, receios e ansiedades. Tudo é elevado ao quadrado!
O truque é viver um momento cada vez, um dia de cada vez sem pensar no seguinte. Chegar ao fim do dia e felicitar as tuas pequenas vitórias: "hoje estou de parabéns porque fui tomar café sozinha, hoje estou de parabéns porque fiz uma novas amizade e por aí fora...pequenos passos.
O sentir inútil é normal mas pensa nas pequenas coisas em que és boa: a lidar com as pessoas, a fazer um cálculo, sei lá...tanta coisa! Todos somos bons nalguma coisa e todos somos maus em tantas!
Não sejas tão exigente contigo e quando cometeres erros diz para dentro: o que aprendi com isto foi...ainda bem que errei porque assim posso fazer as coisas melhores da próxima vez...
Isto requer treino e muitas vezes até temos de escrever estes pequenos passos.
Muita sorte para ti e espero que recuperes rápido!

Retrato de fatima silva
Dom, 08/05/2011 - 10:49
fatima silva:
Membro desde: 01.05.2007

Obrigada novamente a todas.
Já ouvi a falar de homeopatia, mas não sei como funciona?
Alguém me pode explicar?
Angelam Silva que medicamentos tomas?

Retrato de angelam-silva
Seg, 09/05/2011 - 23:45
angelam-silva:
Membro desde: 01.12.2010

Ola fatima
Agora estou a tomar fluoxetina 20mg e lexotan 6mg 2 x ao dia e kainever para dormir , pois a fluoxetina no inicio altera muito o sono e um dos meus grandes problema era nao conseguir dormir bem.
Sou te sincera eu antes de me meter nos medicamentos fiz de tudo e mais alguma coisa e nada resultou.

Afilhada da Talim com muito orgulho
Afilhada do El_Lobo com muito orgulho

Retrato de fatima silva
Ter, 10/05/2011 - 10:48
fatima silva:
Membro desde: 01.05.2007

Eu tomo sedoxil de manha eá noite e sertralina de manha.
No inicio receitaram-me xanax mas não tava a ajudar muito, foi quando mudaram para o sedoxil. O meu maior problema era de manha, mal acordava (normalmente as 5 da manha e não conseguia dormir mais depois) sentia-me sempre mal, super ansiosa com uma sensação estranha dentro mim, pensava e cismava em tudo, havia momentos que só queria morrer e mesmo durante o dia custava-me muito pois tinha sono e não conseguia dormir pois aquela sensação não deixava.
Quando mudaram para o sedoxil comecei a melhorar, ainda sinto a sensação ás vezes mas não tão forte. Mas ainda sinto muito receio, muiot medo de voltar ao mesmo mas estou a tentar ser o mais forte possível para superar mas ás vezes lá vêm o choro...
Hoje vou á psicologa e tou com esperança de que vou vir melhor

Retrato de cita19
Seg, 16/05/2011 - 02:46
cita19:
Membro desde: 04.11.2007

Queria deixar o meu apoio á Fátima...nos ultimos meses a milha melhor amiga caiu numa depressão tal ao ponto de ter pensado matar a filha que ela sp amou...estive sp do lado dela....sofri com ela...vi que esta doença a alterou completamente...eu olhava para ela e era outra pessoa....a coisa chegou a tal ponto que eu perdi as esperanças e pensei que ela n se safava...milagre dos milagres ela melhorou...ainda não completamente curada mas no bom caminho...há solução para td...:D
Como aqui já alguém disse a depressão é uma doença...ainda há uma tendência para discriminar as pessoas que sofrem de depressão...acho que só quem passa por elas é que sabe verdadeiramente como é...por isso nunca te desvalorizes e concentra te em melhorares...acho que comentários vais de certeza ter de lidar com eles mas isso é o que te vai tornar mais forte porque as pessoas que te estão a apoiar ...as pessoas que te amam essas é que contam e essas vão estar sp sp a teu lado...

Boa sorte querida...

Retrato de fatima silva
Ter, 31/05/2011 - 17:17
fatima silva:
Membro desde: 01.05.2007
cita19 wrote:

Queria deixar o meu apoio á Fátima...nos ultimos meses a milha melhor amiga caiu numa depressão tal ao ponto de ter pensado matar a filha que ela sp amou...estive sp do lado dela....sofri com ela...vi que esta doença a alterou completamente...eu olhava para ela e era outra pessoa....a coisa chegou a tal ponto que eu perdi as esperanças e pensei que ela n se safava...milagre dos milagres ela melhorou...ainda não completamente curada mas no bom caminho...há solução para td...:D
Como aqui já alguém disse a depressão é uma doença...ainda há uma tendência para discriminar as pessoas que sofrem de depressão...acho que só quem passa por elas é que sabe verdadeiramente como é...por isso nunca te desvalorizes e concentra te em melhorares...acho que comentários vais de certeza ter de lidar com eles mas isso é o que te vai tornar mais forte porque as pessoas que te estão a apoiar ...as pessoas que te amam essas é que contam e essas vão estar sp sp a teu lado...

Boa sorte querida...

Obrigada pelo teu apoio...
Infelizmente ainda há muitas pessoas que não acreditam na depressão, que não a consideram uma doença como outra qualquer...
Eu voltei ao psiquiatra e ele aumentou-me a dose do antidepressivo e já me sinto a melhorar....
Bjs

Retrato de annaonline
Ter, 25/06/2019 - 18:51
annaonline:
Membro desde: 25.06.2019

Eu estava passando por uma depressão a mais de 5 anos, até tentei contra a minha própria vida algumas vezes. Procurei varios terapeutas e usei varios anti depressivos nada resolvia até que eu encontrei e a Chris. Fiz o tratamento de Radiestesia com a Chris e tudo começou a mudar pra melhor na minha vida. Saí da depressão, passei a amar a vida e me amar graças a Radiestesia. vou deixar o link aqui http://chriscamelo.com.br

Post