Violência doméstica!!! | A Nossa Vida

Violência doméstica!!!

Retrato de caty815
26.04.2011 | 11:09
caty815:
Membro desde: 09.07.2010

Nãso sei bem onde encaixar este tema, até porque acho que nem tão pouco deveria existir!
Conforme os anos vão passando, vou-me apercebendo cada vez mais da existência deste problema que é bem real na sociedade!
Vi a minha mãe passar por ele, eu prórpia passei por ele ainda em namoro, e custei a libertar-me, tinha uma dependência daquele homem, não sei explicar, demorei muito a querer libertar-me dele! Hoje felizmente não passo por esse problema, mas demorei anos a admitir que tinha passado por ele! Nunca falei com ninguém durante esse tempo, sempre quis passar a idéia de que estava tudo bem, não por me sentir culpada, nem envergonhada, simplesmente porque sabia que as pessoas íam dizer que era um erro, e que tinha de o deixa e eu NÃO QUERIA!!!
Hoje olho para trás e vejo que me teria feito falta falar, e acho que todas as vitimas deste problema merecem falar nem que seja com um desconhecido para poderem desabafar!

Acho repugnate que homens/muheres tornem os seus ciúmes de tal forma doentíos que o seu companheiro(a), não possa sequer sair à rua, ou até mesmpo trabalhar, porque não pode tar junto de outras pessoas!

Acho ainda mais repugnate que uma pessoa se julgue superior ao seu companheiro, ao ponto de proferir contra ele qualquer tipo de violência!

Será que podemos dizer que estas pessoas tão doentes? Será que "loucura" é desculpa para tudo?

Que castigos deveriam ter estas pessoas?

Partilhem as vossas opiniões, explicações ou até mesmo vivências sobre o assunto!

Podemos com este tópico ajudar alguém que passe por esta situação e precise de algum apoio!


Retrato de ninacio
Ter, 26/04/2011 - 11:29
ninacio:
Membro desde: 10.05.2010

Acho e não me matem... Que tanto vitima e abusador precisam de tratamento.

A vitima para apreender a confiar em si, e a valorizar-se pois geralmente as vitimas de violência são pessoas com baixo auto estima, pouco seguras de si e determinadas... e após abuso necessitam de superar o trauma e a confiança e aprenderem a ser valorizar.

O abusador para além de uma pena de prisão com trabalhos forçados, deverá ter tratamento para controlar a sua agressividade e frustração de modo a conseguir viver bem consigo e com os outros. Nada justifica a violência mas já pensaram que o abusador pode ter sido vitima em pequeno? Ou pode ter simplesmente como no outro forum uma mãe preocupada com uma filha que bate nela própria e em objectos quando se sente frustrada? tem dois anos? Será um monstro? Não é simplesmente alguém que necessita de controlar a frustração e direccionar para outro lado.

Claro que podem dizer que existem pessoas mas e cada caso é um caso, mas acho preferível tentar tratar essa pessoa do que ela andar na rua a abusar das pessoas.

P.S - Acho que todos nós somos um pouco violentos e agressivos, que atire a primeira pedra quem nunca deu um estalo ou murro ou afins a alguém.. O problema é quando isso é constante na vida da pessoa.

Retrato de Catarina Neves
Ter, 26/04/2011 - 14:31
Catarina Neves:
Membro desde: 06.05.2008
caty815 wrote:

Nãso sei bem onde encaixar este tema, até porque acho que nem tão pouco deveria existir!
Conforme os anos vão passando, vou-me apercebendo cada vez mais da existência deste problema que é bem real na sociedade!
Vi a minha mãe passar por ele, eu prórpia passei por ele ainda em namoro, e custei a libertar-me, tinha uma dependência daquele homem, não sei explicar, demorei muito a querer libertar-me dele! Hoje felizmente não passo por esse problema, mas demorei anos a admitir que tinha passado por ele! Nunca falei com ninguém durante esse tempo, sempre quis passar a idéia de que estava tudo bem, não por me sentir culpada, nem envergonhada, simplesmente porque sabia que as pessoas íam dizer que era um erro, e que tinha de o deixa e eu NÃO QUERIA!!!
Hoje olho para trás e vejo que me teria feito falta falar, e acho que todas as vitimas deste problema merecem falar nem que seja com um desconhecido para poderem desabafar!

Acho repugnate que homens/muheres tornem os seus ciúmes de tal forma doentíos que o seu companheiro(a), não possa sequer sair à rua, ou até mesmpo trabalhar, porque não pode tar junto de outras pessoas!

Acho ainda mais repugnate que uma pessoa se julgue superior ao seu companheiro, ao ponto de proferir contra ele qualquer tipo de violência!

Será que podemos dizer que estas pessoas tão doentes? Será que "loucura" é desculpa para tudo?

Que castigos deveriam ter estas pessoas?

Partilhem as vossas opiniões, explicações ou até mesmo vivências sobre o assunto!

Podemos com este tópico ajudar alguém que passe por esta situação e precise de algum apoio!

No entanto, é muito importante que se continue a falar sobre isto Wink

De qualquer forma, deixo-te aqui um link sobre este tema, onde deixei a minha opinião:

http://anossavida.pt/forum/violencia-relacionamento

;)))

Retrato de _Hera_
Ter, 26/04/2011 - 18:35
_Hera_:
Membro desde: 07.02.2011

Assisti durante vários anos a cenas violentas cá em casa. O meu pai tornou-se alcoolico, e todos os fins de semana havia algum problema cá em casa... Quando não havia violência física, havia dela psicológica.
Há dois anos, ajudei a minha mae a dar um passo em frente. Apresentou queixa, e apesar de tudo mantivemo nos em casa. Bem sabemos o duro que foi, e o complicado que pode ser para uma pessoa denunciar um agressor.
Hoje, o meu pai tratou-se e consigo afirmar que finalmente tenho uma família normal.

Retrato de angel.espiritualidade
Ter, 26/04/2011 - 18:54
angel.espiritualidade:
Membro desde: 14.04.2011

Olá Caty,

Há muito a dizer sobre este assunto. Tanto ...

A lingua portuguesa é traiçoeira neste aspecto. É que quando alguém diz "a minha mulher" esquece que é a mulher dele, mas não é dele no sentido de lhe pertencer, não é propriedade sua. De igual modo, quando uma mãe diz "o meu filho", muitas vezes esquece que o filho não lhe pertence. O filho é uma pessoa independente, e deve ser respeitado e amado mas não controlado nem tratado como propriedade da mãe ou do pai.

Outro aspecto : as pessoas costumam distinguir entre "carrasco" e "vítima", entre "culpado" e "inocente". Na verdade, essa distinção é falsa. Se um marido é agressivo, isto deve-se a uma incompatibilidade entre a maneira de ser dele e a maneira de ser da mulher. Ambos são infelizes, e ambos mantêm a respectiva relação por opção própria, ninguém os obriga a continuar. Qualquer acontecimento da nossa vida é uma consequência directa das nossas escolhas, sejam elas conscientes ou inconscientes.

Há duas maneiras de evoluir : pela consciência ou pelo sofrimento.

Na maior parte dos casos, os respectivos estão juntos porque atraíram-se. O destino juntou-os para trabalharem em conjunto, para cada um moldar a energia do outro, para evoluirem juntos. Os conflictos e o sofrimento aparecem porque as pessoas tentam a todo o custo mudar o parceiro, em vez de olhar para dentro de si próprias.

Por mais incrível que pareça, conheço casos de mulheres que saíram (a custo) duma relação violenta para depois juntar-se a outro homem, também violento. Isso acontece porque a origem de qualquer violência está em nós próprios.

Abraços,

Retrato de caty815
Qua, 27/04/2011 - 09:12
caty815:
Membro desde: 09.07.2010
angel.espiritualidade wrote:

Olá Caty,

Os conflictos e o sofrimento aparecem porque as pessoas tentam a todo o custo mudar o parceiro, em vez de olhar para dentro de si próprias.

Por mais incrível que pareça, conheço casos de mulheres que saíram (a custo) duma relação violenta para depois juntar-se a outro homem, também violento. Isso acontece porque a origem de qualquer violência está em nós próprios.

Abraços,

Cara angel.espiritualidade,

Em parte concordo contigo, conheço de perto casos de mulheres que voltaram a ter relacionamentos com homens violentos! Quanto à violência estar em nós próprio, como disse no inicio do tópico, eu própria fui vítima dessa mesma violência, por parte de uma pessoa que já o tinha feito pelo menos em 3 relacionamentos anteriores, e continua a fazê-lo ainda hoje no seu actual relacionamento! Não acho que tenha aprendido nada no relacionamento que mantive com ele, numa relação apenas consegui perder o amor próprio e voltar a ganha-lo! Mantenho neste momento uma relação à já 6 anos, 3 de namoro e já 3 de união de facto, sem nunca ter existido qualquer tipo de violência de nenhuma das partes! Por tanto, não acho que o problema tivesse estado em mim! Nunca fiz nada para o merecer, a não ser na imaginaçã do mesmo. Não mudei nada no meu comportamento da minha actual relação, para a relação que tive anteriormente.

Também sei que é verdade, que muitas vezes essa violência se dá por um querer mudar o outro e não olhar para si próprio.

Também conheço um caso em que é o homem que muitas vezes passa por violência da parte da namorida, só porque ela quer varrer a casa e ele tá em casa nessa altura, porque ela quer por o candeeiro à esquerda e ele quer que fique à direita.... Não acho normal este tipo de situação.... mas enfim... E ainda menos normal acho quando as pessoas dizem que ele é um "maricas" porque ela faz-lhe tudo e ele não lhe dá um estalo! Não acho que um homem seja menos "másculo" apenas porque não responde a violência com violência.

Acho que raras são as vezes em que a culpa da violência é da vítima e do agressor.

Retrato de angel.espiritualidade
Qua, 27/04/2011 - 23:45
angel.espiritualidade:
Membro desde: 14.04.2011

Olá Caty,

Parece-me que partilhamos o mesmo ponto de vista em muitos aspectos.

Diz-me que já esteve numa relação violenta e que não mudou em nada o seu comportamento, e contudo agora está com um companheiro com quem se dá bem. Como não conheço em pormenor o seu trajecto de vida, a opinião que vou exprimir baseia-se em informação incompleta. Mas parece-me que alguma coisa deve ter mudado em si. Pelo menos, à segunda soube escolher melhor, não foi ? Isto já é uma lição, já é uma aprendizagem.

Diz-me que "raras são as vezes em que a culpa da violência é da vítima e do agressor". Eu não penso em termos de culpa. Acho que ninguém tem culpa. Simplesmente creio que a causa (e não a culpa) da violência nunca está dum só lado. Às vezes podemos atrair violência porque o destino quer ensinar-nos uma certa lição, ou está a dar-nos a oportunidade de limpar uma parte mais "suja" da nossa alma. A vida é feita de alegrias e de sofrimento em partes iguais, não é possível termos só uma delas, não faz sentido rejeitarmos uma delas, mas sim aprendermos e evoluirmos com tudo que nos acontece.

Abraços,

Retrato de _Hera_
Qui, 28/04/2011 - 14:53
_Hera_:
Membro desde: 07.02.2011
angel.espiritualidade wrote:

Às vezes podemos atrair violência porque o destino quer ensinar-nos uma certa lição, ou está a dar-nos a oportunidade de limpar uma parte mais "suja" da nossa alma.

Acredita mesmo nisto? Peço desculpa de estar a "contrariar", mas eu gostava de perceber o que leva uma pessoa a achar isto...

Retrato de angel.espiritualidade
Sex, 29/04/2011 - 00:24
angel.espiritualidade:
Membro desde: 14.04.2011
_Hera_ wrote:

Acredita mesmo nisto? Neutral Peço desculpa de estar a "contrariar", mas eu gostava de perceber o que leva uma pessoa a achar isto...

Olá Hera,

Na verdade, não preciso de acreditar, basta observar em mim e nas pessoas à minha volta. Creio que tudo que nos acontece, acontece por uma razão, serve para evoluirmos, desde que nós não recusemos essa proposta, desde que consigamos abrir-nos e aceitar o desafio.

Ha um provérbio que data da Grécia antiga, "Conhece-te a ti próprio", que me parece mais actual que nunca. O ser humano é muito complexo, e a maior parte das pessoas nem sequer tentam conhecer-se a si próprias em profundidade, e ainda pretendem conhecer os outros ...

Mas acho que estamos a afastar-nos do assunto original ...

Abraços,

Retrato de sibilla
Sex, 29/04/2011 - 00:51
sibilla:
Membro desde: 03.11.2010
_Hera_ wrote:
angel.espiritualidade wrote:

Às vezes podemos atrair violência porque o destino quer ensinar-nos uma certa lição, ou está a dar-nos a oportunidade de limpar uma parte mais "suja" da nossa alma.

Acredita mesmo nisto? Peço desculpa de estar a "contrariar", mas eu gostava de perceber o que leva uma pessoa a achar isto...

É a lógica do "se Deus te marcou, algum mal te achou". Como se ser espancado dentro de casa fosse algo que se procura. É uma conspiração do "universo" e dessas energias todas que andam por aí à solta. Para nos fazer crescer porque é a apanhar pauladas dentro de casa que se cresce espiritualmente. E se se leva é porque se merece.

If you don't like my peaches, baby, why do you shake my tree?

Retrato de _Marta_
Sex, 29/04/2011 - 01:06
_Marta_:
Membro desde: 08.12.2008
sibilla wrote:

E se se leva é porque se merece. 8|

Como diria o outro... se te bater numa face oferece a outra!
Oh God...