Suicídio | A Nossa Vida

Suicídio

Retrato de Sweetie.92
11.09.2017 | 02:36
Sweetie.92:
Membro desde: 11.09.2017

Olá, boa noite.

O assunto é muito delicado, e ao recorrer aqui, é de facto com algum desespero. Por isso, peço a compreensão de todos os leitores, com opiniões fundamentadas, mas por favor, sem juízos de valor.

Começo por dizer que sou uma jovem de 24 anos. Pensam vocês, que motivos tenho eu para pensar em desistir da vida...

Desde muito nova, ainda criança, que fui rejeitada pela minha mãe e a partir desse momento, vivi com uma tia paterna à qual devo a minha vida e o meu sucesso enquanto pessoa. Com 17 anos apenas, engravidei do meu primeiro namorado... Isto ocorreu em 2010. Fui vítima de violência doméstica durante a minha gravidez, entre as quais estavam incluídas agressões físicas e psicológicas. Mas maioritariamente, as físicas. Às 24 semanas de gestação, de uma gravidez que aparentemente corria bem -, e na minha inocência enquanto adolescente e mãe de primeira viagem, nunca julguei que as agressões pudessem prejudicar a minha filha -, entrei em trabalho de parto por um descolamento de placenta. A bebé nasceu ao fim de 12 horas em trabalho de parto, e não resistiu. A autópsia mais tarde viria a concluir que o descolamento teria sido causado por um trauma, mas aos olhos dos médicos, ainda era muito inconclusivo, e só eu sabia os motivos que tinham levado àquilo!

Entrei numa depressão após a morte da minha filha, no entanto foi uma depressão que ficou camuflada e viria a regressar em 2013. Fui vista em Psiquiatria, fiz medicação e aparentemente estava 'curada'. Nunca tend havido a necessidade de internamento ou tratamentos mais intensivos.

Desde 2015, trabalho num call-center no Atendimento de Apoio ao Cliente, numa empresa de telecomunicações, e no início deste ano, comecei a notar que a minha saúde mental tinha sofrido algumas alterações. Sentia-me mais nervosa, mais ansiosa, mais insegura até no meu percurso profissional...
Pra além da minha saúde mental, a minha saúde no âmbito geral também se tem vindo a deteriorar no decorrer deste ano.

Tive uma Trombose Venosa Profunda, que ainda hoje me dificulta de fazer o meu percurso diário. Entretanto, após alguns exames, concluímos que a causa seria uma hérnia discal, à qual aguardo a cirurgia... Entretanto, como se não bastasse, fui diagnosticada com um nódulo na mama, que ainda me encontro em fase de diagnóstico para saber qual a sua agressividade e qual o tratamento a seguir...

A minha mãe (tia), foi chamada ao Programa de Rastreio do Cancro da Mama, nos quais suscitaram algumas dúvidas e foi agora encaminhada também para a Consulta Externa onde será sujeita a mais exames.

Com tudo isto, desde finais de Julho de 2017 que tive de abandonar temporariamente o meu emprego, porque encontro-me novamente num quadro de depressão à qual não estou a conseguir dar resposta nem saída. Já tentei o suicídio e fui internada porque desisti e pedi ajuda... No entanto, no internamento nem tudo foram rosas, e passei pela maior experiência de sempre! Já não consigo dormir à noite, de dia não tenho vontade de me levantar da cama e já só penso que aqui já não há mais nada pra mim, à minha espera! Já só penso na morte, como uma forma de acabar com toda esta tortura emocional que me vai desgastando, dia após dia! Dou por mim a pensar numa forma de suicidio, que seja rápida.

É um desespero tal, que já são ideias fixas. São ideias diárias, pelas quais estou disposta a avançar e que já não consigo encontrar salvação.


Retrato de sandracam
Seg, 11/09/2017 - 14:23
sandracam:
Membro desde: 12.03.2008

Olá...
Não sei como te incentivar a viver, a acreditar que tudo muda.
Todos nós passamos por más fases e apesar de acreditares que estás no fundo do poço, tens de pensar para ti mesma, que tudo vai passar.
Tenta aos poucos pensar para ti que consegues vencer os problemas um a um. Foca-te num primeiro objectivo: procurares solução para o nódulo que tens e seguir todos os passos que te indicarem, depois fazes a operação que aguardas.
Durante este período tu tens que ser o teu foco, vai caminhar, se tiveres um cão, vai passear com o cão, inscreve-te num ginásio...

Retrato de gatita5
Seg, 11/09/2017 - 14:41
gatita5:
Membro desde: 21.08.2013

Lamento tudo o que passaste, a culpa não foi tua. Tu és importante, a tua vida importa. Ainda tens algo de bom aqui à tua espera. Pede ajuda especializada, acredito não ser fácil, mas podes escolher lutar, por mais cansada que estejas. Tu importas. Muita força, um abraço muito apertado.

Retrato de Sara_Paiva_Rebelo
Ter, 19/09/2017 - 18:19
Sara_Paiva_Rebelo:
Membro desde: 28.04.2011

Olá minha querida!
Antes demais há muito ainda para ti nesta vida e coisas boas! Infelizmente no teu caso está a pesar mais as más porque tens muitas questões mal resolvidas no teu interior e que começaram lá no passado quando a tua mãe te deixou! A culpa não foi tua minha querida mas depois disse acredito que tenhas despoletado um sentimento de culpa de tudo e todas as coisas.Acho óptimo que procure sum bom psiquiatra tomes medicação, mas procura um psicólogo, pois a medicação tapa os sintomas, mas tu tens que curar essas feridas e isso só com muita terapia, mas é possível. Quanto ao trabalho o stress de um call center não é mesmo benéfico para ti porque mexe com a tua estabilidade psicológica, é muito stress, muita pressão... Cuida de ti minha querida, certamente com a ajuda certa ultrapasarás esta situação e terás ainda uma vida muito feliz.

Beijinhos

Retrato de VanessaCardoso21
Seg, 25/09/2017 - 11:21
VanessaCardoso21:
Membro desde: 26.08.2017

Olá.
Sei que já passas-te por muitas coisas, sei que deves pensar que para ti não à solução mas não é assim.
Para tudo à uma solução. E a melhor solução de todas é recorrer a Deus.
A sério acredita em mim, mas não cometas ou penses em suicídio.
Por favor entra em contacto comigo, quero-te ajudar : vanessa_cardoso_15@hotmail.com