Subsídio de desemprego subsequente

17 respostas [Última]
Nitinha82
Retrato de Nitinha82
Offline
Desde: 28.08.2011

Boa noite.
Deixo aqui esta mensagem em busca de alguém que tenha passado por situação semelhante ou que tenha alguma ideia sobre a mesma.

A minha mãe terminou, no final de novembro, o subsídio de desemprego. Entretanto, recebeu uma carta da Segurança Social a indicar que poderia entregar documentação para, eventualmente, lhe ser atribuído o subsequente. Fez as contas todas (rendimento mensal do agregado familiar a dividir por 1,7, no caso dela) e o valor final deu inferior ao valor de referência indicado para o subsídio ser atribuído (335,38€), logo, teria direito.
Errado!
O subsídio foi-lhe indeferido pois no mês em que ficou desempregada o meu pai teve a sorte/azar de (ainda) receber subsídio de natal e, pelas contas da Seg. Social, ultrapassou os 335,38 euros. Se tivesse ficado desempregada em qualquer mês excepto julho ou novembro, já tinha direito.
Até para ser despedido é preciso ter sorte no mês.
Alguém já esteve/conhece alguém nesta situação?
Agradeço comentários.

Cumprimentos

Ana

Bxuxas
Retrato de Bxuxas
Offline
Desde: 30.04.2012
..

E ela não pode pedir nova avaliação no Mês de Janeiro?

Nitinha82
Retrato de Nitinha82
Offline
Desde: 28.08.2011
O que a sra. da Seg. Social

O que a sra. da Seg. Social lhe disse foi que o que importa é a data em que terminou o desemprego, que neste caso foi fim de novembro, mês em que o meu pai recebeu subsídio. Ela vai enviar carta a contestar a decisão, o não já tem.
Obrigada.

Bxuxas
Retrato de Bxuxas
Offline
Desde: 30.04.2012
..

Não conheço em concreto como funciona esse apoio, mas, apanho constantemente informação contraditória na SS.

CsSilva
Retrato de CsSilva
Offline
Desde: 16.05.2012
Bom dia

Nitinha82 escreveu:
Boa noite.
Deixo aqui esta mensagem em busca de alguém que tenha passado por situação semelhante ou que tenha alguma ideia sobre a mesma.

A minha mãe terminou, no final de novembro, o subsídio de desemprego. Entretanto, recebeu uma carta da Segurança Social a indicar que poderia entregar documentação para, eventualmente, lhe ser atribuído o subsequente. Fez as contas todas (rendimento mensal do agregado familiar a dividir por 1,7, no caso dela) e o valor final deu inferior ao valor de referência indicado para o subsídio ser atribuído (335,38€), logo, teria direito.
Errado!
O subsídio foi-lhe indeferido pois no mês em que ficou desempregada o meu pai teve a sorte/azar de (ainda) receber subsídio de natal e, pelas contas da Seg. Social, ultrapassou os 335,38 euros. Se tivesse ficado desempregada em qualquer mês excepto julho ou novembro, já tinha direito.
Até para ser despedido é preciso ter sorte no mês.
Alguém já esteve/conhece alguém nesta situação?
Agradeço comentários.

Cumprimentos

Ana

Bom dia

A segurança social (pelo menos da minha zona) muitas vezes dão informações erradas. Esteja atenta.

Cumprimentos

suphiaaa
Retrato de suphiaaa
Offline
Desde: 13.11.2012
olá também penso que não seja

olá
também penso que não seja assim, cmo foi indeferido ela pode contestar a decisão e enviar toda a documentação que prove que ela não ultrapassa o valor permitido, explicando que nesse mes o marido recebeu o subsidio de natal, junta o recibo de vencimento dele desse mes para comprovar que foi-lhe atribuido subsidio de natal, e o de janeiro para provar qual o valor do ordenado.depois no site da seg social tens um formulario que podes utilizar para reclamares e eles são obrigados a responder-te, ao menos cmg foi assim, e envia tb todas essas provas por email, por carta registada, e vai tb ao balcão da seg social entregar isso tudo...infelizmente a seg social funciona assim, cada um tem uma informação diferente..mas concerteza se insistires e provares que estão enganados tudo se resolve,boa sorte...

Nitinha82
Retrato de Nitinha82
Offline
Desde: 28.08.2011
Olá

Obrigado a todos pelos comentários.
Enviou hj carta registada para a Seg. Social, com os recibos e contestação da decisão. Espero sinceramente que se apercebam da injustiça que está a ser cometida e que sirva de exemplo para que não se repita com outras pessoas que estejam na mesma situação, que trabalharam e descontaram uma vida inteira e agora parece que é preciso mendigar para receber a parca quantia a que têm direito.
Mais uma vez agradeço e quando houver desenvolvimentos, atualizo.
Ana

Guida Machado
Retrato de Guida Machado
Offline
Desde: 15.03.2012
a tua mae demorou qanto tempo

a tua mae demorou qanto tempo ate obter a rsp da ss?

Nitinha82
Retrato de Nitinha82
Offline
Desde: 28.08.2011
Olá

Entregou o pedido no final de outubro, porque o subsídio acabava em novembro e recebeu resposta de indeferimento a 11 de janeiro.
Em relação à carta a contestar a decisão, enviou-a ontem e agora aguardamos resposta.

sonia isabel c. r.
Retrato de sonia isabel c. r.
Offline
Desde: 08.01.2010
ola nitinha 82

peço desculpa colar-me a este tópico mas era mesmo para evitar abrir um novo com um assunto quase indentico, tenho uma duvida pois hoje fui entregar (infelizmente )o pedido do subsidio social subsequente. infelizmente tinha ideia que o valor do agregado familiar que eles teem em conta e o ordenado base, afinal descobri que é o rendimento iliquido.

moro com o meu namorado e pelas minhas contas o que ele recebe ,fazendo calculo vai ultrapassar o valor limite que a ss pede. portanto a partida já sei que mo vao recusar. a minha questão é , e caso alguem me saiba ajudar, o valor do subsidio social podera interferir nos calculos?faço a questao pois no meu caso como trabalhei em part time o meu subsidio era metade do que muita gente recebe. e por consequente agora com os cortes posso dizer que acho que recebia um valor semelhante ao rendimento minimo talvez... tento pensar nisso como sendo uma alternativa?ou sera que eles so teem mesmo em conta o valor limite?se alguem me puder dar umas luzes desde ja agradeco e peço desculpa a intromissao.

'Os fracos vingam-se ,os fortes perdoam e os superiores ignoram.'

Mily
Retrato de Mily
Offline
Desde: 22.08.2008
Sonia

Atenção que o valor ilíquido que eles pedem, é o vencimento base, ou seja, o subsídio de alimentação não conta para o cálculos, no entanto subsídio de férias e natal contam...

Relativamente ao rendimento mínimo, se não tens direito ao social, também não irás ter direito ao RMI...

Relativamente ao valor limite, referes-te a quê?

Afilhada da Rainha Sparkly! Espertalhão

sonia isabel c. r.
Retrato de sonia isabel c. r.
Offline
Desde: 08.01.2010
...

Mily escreveu:
Atenção que o valor ilíquido que eles pedem, é o vencimento base, ou seja, o subsídio de alimentação não conta para o cálculos, no entanto subsídio de férias e natal contam...

Relativamente ao rendimento mínimo, se não tens direito ao social, também não irás ter direito ao RMI...

Relativamente ao valor limite, referes-te a quê?

mily desde já obrigada,
acho que era o subsidio de alimentacao que estava mesmo a trocar as contas... quando falei do rendimento minimo nao era porque o ia pedir e sim porque acho que e isso que ia receber do social...estava a fazer uma comparacao ,eu sei bem que o social tambem depende destes calculos dai a minha ansiedade porque fico sem acesso a nenhum subsidio.

li que o valor limite deles de rendimento por pessoa nao pode ultrapassar + ou - os 335 , e o nosso passa e fica em 443 . mas agora se retirar o sub de alimentaçao que referiste talvez mo baixe e passe à rasca...

'Os fracos vingam-se ,os fortes perdoam e os superiores ignoram.'

Mily
Retrato de Mily
Offline
Desde: 22.08.2008
Sonia

Exactamente, não pode ultrapassar os 335€ por pessoa, o que estraga tudo é que não é dividido pelo número de pessoas existentes no agregado, mas sim pelo número que eles atribuem a cada um...

Ou seja, se és tu e o teu namorado, o vencimento base tem de ser dividido por 1,7, o que significa que o vencimento base não pode ser superior a +- 570€...

Afilhada da Rainha Sparkly! Espertalhão

sonia isabel c. r.
Retrato de sonia isabel c. r.
Offline
Desde: 08.01.2010
...

Mily escreveu:
Exactamente, não pode ultrapassar os 335€ por pessoa, o que estraga tudo é que não é dividido pelo número de pessoas existentes no agregado, mas sim pelo número que eles atribuem a cada um...

Ou seja, se és tu e o teu namorado, o vencimento base tem de ser dividido por 1,7, o que significa que o vencimento base não pode ser superior a +- 570€...

pois, é mais um pouco que isso Confuso já previa. apesar de parecer injusto já que há muita gente que nem isso tem para o mÊs, nós temos a renda que nos tira parte do rendimento, e tem sido dificil...mas pronto já vou vacinada pr'a resposta ,obrigada mily

'Os fracos vingam-se ,os fortes perdoam e os superiores ignoram.'

Mily
Retrato de Mily
Offline
Desde: 22.08.2008
Sonia

Esse é um grande problema, o que mais acontece na Segurança Social quando solicitam documentos é as pessoas perguntarem: 'Então e as despesas?'

Acho que também deviam de ter em conta que os tais 335€ que eles atribuem por pessoa, é o que muitas pessoas pagam de renda, quando não é mais... E já que nem contam as pessoas do agregado por 'inteiro', deviam encontrar um meio termo e já que não contabilizam rendas, também não deviam contabilizar os valores das contas bancárias, mas pronto que se há-de fazer...

Afilhada da Rainha Sparkly! Espertalhão

sonia isabel c. r.
Retrato de sonia isabel c. r.
Offline
Desde: 08.01.2010
...

lá está,o problema aqui é mesmo a renda que são nem mais nem menos que 300euros ou seja do base que eles acham muito metade e para isto...,já cortamos em muita coisa para nunca ficar a dever isso. mas enfim que se há-de fazer, ainda se torna mais ridículo o facto de acharem que se uma pessoa do agregado ganha x o podem 'distribuir' pelos outros duma forma tão 'despreocupada'...

só fico sem entender aquelas familias que (nada contra) mas vemos por ai e teem pensoes e coisas do genero, e rsi's e vao pedir e dao lhe o tal sub e muita das vezes a soma do agregado daria um valor brutal...gostava de saber como se esconde aquele valor a mais...mas pronto nao vale de nada reclamar

'Os fracos vingam-se ,os fortes perdoam e os superiores ignoram.'

Belita Fernandes
Retrato de Belita Fernandes
Offline
Desde: 26.12.2012
Subsidio subsequente

Olá,

Tenho uma dúvida.
O meu subsidio de desemprego, termina dia 1 de Abril e como me informaram na SS, teria de efectuar o pedido do subsidio de desemprego subsequente com 60 dias de antecedência, ou seja, no meu caso poderia pedir a partir do dia 1 de fevereiro. Fui hoje á SS, fazer o pedido.
Tenho um IRS de 2011 um pouco alto porque trabalhei esse ano inteiro.
O meu salário base era de 490€.
Tenho uma filha de 8 anos a meu cargo e o meu agregado familiar é só eu e ela.
Qual será o valor a receber?
E será que tenho direito?

Agradecia que alguém esclarecesse a minha dúvida.

celina brito
Retrato de celina brito
Offline
Desde: 29.09.2014
desemprego

bom dia alguem sabe se ainda estao a entregar as cartas cheques do desemprego?é a primeira vez que o meu marido vai receber e ja estou a achar estranho ainda nao ter recebido..é normal?agradeço a quem me puder dar alguma informaçao..obrigado

Opções de visualização dos comentários

As alterações efectuadas serão aplicadas a todos os tópicos.