105 entradas / 0 new
Última entrada
Retrato de AID
Qua, 08/08/2012 - 11:35
AID:
Membro desde: 27.08.2008

Eu considero-me uma cliente razoável! Quando existe alguma coisa que não me agrada ou que não foi o que pedi, chamo a atenção mas sempre educadamente, em ultima instância se não me agradou de todo o serviço não volto lá.
Mas detesto arrogância e prepotência num empregado de balcão/mesa.

Também tenho o reverso da medalha... Quando sou eu a empregada uma das coisas que me tira do sério é o facto das pessoas deixarem entrar os seus animais de estimação entrarem nos estabelecimentos e permitirem as crianças fazer tudo o que lhes apetece...

Ana

Retrato de sphiren
Qua, 08/08/2012 - 11:54
sphiren:
Membro desde: 04.09.2011

Ui... já vi crianças que mais um pouco e partiam tudo, deitavam a casa abaixo... e as mães descansadinhas da vida... e se nós dissermos algo elas ficam uma fera... Timeout

Sou cliente assidua de um café/pastelaria e como já trabalhei atrás de balcão sei quem o quanto estas casas gastam.... O café que frequento tem pessoal muito simpático, 5estrelas. Mas as sócias são umas bestas pra elas... sempre que posso defendo-as Phbbbbt

Algumas vezes elas se enganavam nos pedidos (quando tinham pouca exp, por exemplo) e eu nem me importava, até dizia mesmo p elas deixarem estar que eu comia mesmo aquilo ou pedia pra levar pra casa e pra me darem o que tinha pedido inicialmente. Só para não gerir conflitos porque sei como é...

Acho terrivel é na profissao de cabeleireiro quando o cliente senta, não sabe o que quer e nos obriga a fazer algo e depois reclama...

Por exemplo... onde trabalho sou a 'restante' funcionária... as outras já sairam por falta de pagamento (e eu sou a proxima). Foi lá um cliente que quis que eu cortasse como a ultima... mas não sabia dizer como era.
Perguntei se era com máquina, se era todo por igual, se tinha franja, se era maior aqui ou ali, enfim... ele não sabia mesmo como era... Fiz um corte comum de homem (o dele tambem pouco dá pra fazer) e no fim ele disse que não era assim e reclamou...
Já foi lá novamente, pediu o mesmo e não soube mesmo explicar... ligou pra mulher para saber como era e ficou na mesma...
Eu pedi pra ele trazer a mulher pra prox ou voltar mais tarde para me dizer o que quer pois não adivinho Timeout
Não vale a pena.... deus me livre, nós não temos bola de magia!

Retrato de Maria Radiante
Qua, 08/08/2012 - 11:59
Maria Radiante:
Membro desde: 08.08.2009

trabalhei como promotora durante muito tempo e encontrei muito cliente mal educado, por muito que eu tentasse ser o mais bem educada possível, mesmo antes já o fazia como cliente (lamento, mas sei que muita gente não recebe essa educação em casa, eu recebi) e continuei a fazê-lo, mesmo quando me tratavam mal a mim, em qualquer situação. no outro dia fui experimentar roupa e no final decidi levar as duas peças, tirei-as dos cabides e entreguei-os à menina à saída que me disse muito espantada "Trouxe-me os cabides? Muito obrigada! Nunca me tinha acontecido antes!". está bem que as pessoas estão nos sítios para trabalhar, mas não têm de ser nossas escravas. claro que levo os cabides! uma prova de que as pessoas não são educadas para a cidadania são as escolas. nas minhas turmas, ninguém sai da sala se a tiverem sujado e se for a sala da turma, os meus alunos sabem desde o primeiro dia que a sala é para estar num brinco e se não sujarem, menos terão para limpar ao longo da semana. mas basta perguntar a um puto qualquer no intervalo o porquê de ter deitado o papel para o chão que a resposta será "a empregada está cá para limpar" ora, um puto de 12 anos só tem consciência disto se for o que lhe ensinam em casa. é muito triste ver a falta de civismo que ronda este país.
por acaso aqui há uns tempos escrevi um post sobre isso no meu blog. e quando vou a sítios onde me servem coisas, nunca saio sem um sorriso, um por favor, um obrigada pela atenção, um continuação de um bom dia/semana/fim de semana, e olhem que normalmente isto modifica de imediato a atitude de quem nos atende, por muito mau dia que estejam a ter. aliás, já cheguei muitas vezes a comentar (quando vejo que a pessoa já bufa de cansaço), "vai ver que a hora de ir para casa chega num instante" ser simpático não é uma obrigação, mas se melhora o dia de todos e o serviço que nos é prestado passa a ser melhor, porque não?

Retrato de RitaTeodoro
Qua, 08/08/2012 - 12:00
RitaTeodoro:
Membro desde: 21.12.2008

Eu não li as respostas todas mas também tento ser a cliente "simpática" e já me aconteceu tb ser mal tratada por funcionárias. Mas não é comum, felizmente. Há de tudo, clientes parvos e funcionários parvos.
Já agora deixo-vos uma pergunta, que tem a ver com o arrumar os tabuleiros na praça de alimentação.
Eu quando como nalgum shopping na praça alimentação, gosto de arrumar sempre o meu tabuleiro (excepto se tiver loiça) e acho um bocado de falta de civismo quando as pessoas sujam tudo à volta e nem se importam. Um diz ouvi uma versão diferente que me deixou a pensar... A minha intenção ao arrumar o tabuleiro (e a cadeira) é poupar algum trabalho às funcionárias, mas se todos fizermos isso as empresas não precisam de tantas empregadas e começam a despedir. Não sei se é realmente o que acontece, mas até fez algum sentido. Tive um professor meu que inclusive disse que lhe custava imenso deixar o tabuleiro na mesa mas que o fazia precisamente por essa razão. Obviamente cada um terá o seu ponto de vista, como é que vcs normalmente fazem?

Retrato de AID
Qua, 08/08/2012 - 12:11
AID:
Membro desde: 27.08.2008
RitaTeodoro wrote:

Eu não li as respostas todas mas também tento ser a cliente "simpática" e já me aconteceu tb ser mal tratada por funcionárias. Mas não é comum, felizmente. Há de tudo, clientes parvos e funcionários parvos.
Já agora deixo-vos uma pergunta, que tem a ver com o arrumar os tabuleiros na praça de alimentação.
Eu quando como nalgum shopping na praça alimentação, gosto de arrumar sempre o meu tabuleiro (excepto se tiver loiça) e acho um bocado de falta de civismo quando as pessoas sujam tudo à volta e nem se importam. Um diz ouvi uma versão diferente que me deixou a pensar... A minha intenção ao arrumar o tabuleiro (e a cadeira) é poupar algum trabalho às funcionárias, mas se todos fizermos isso as empresas não precisam de tantas empregadas e começam a despedir. Não sei se é realmente o que acontece, mas até fez algum sentido. Tive um professor meu que inclusive disse que lhe custava imenso deixar o tabuleiro na mesa mas que o fazia precisamente por essa razão. Obviamente cada um terá o seu ponto de vista, como é que vcs normalmente fazem?

Pois é uma boa questão...

Também já me aconteceu na praça da alimentação as senhoras não nos deixarem pegar nos tabuleiros...
Eu por norma levanto sempre o tabuleiro, mas vendo por este ponto de vista se elas não tiverem que fazer são despedidas.

Agora nos supermercados por mais que tenha de esperar vou sempre a uma caixa com operadora!

Ana

Retrato de jmr4581
Qua, 08/08/2012 - 12:30
jmr4581:
Membro desde: 17.04.2012

Que bom tópico!!

Sou operadora de supermercado há 6 anos.

Já antes de o ser dizia bom dia,boa tarde á operadora,facilitava trocos e essas coisas todas e no fim agradecia..

Se á coisa que me enerva é os clientes não dizerem um simples bom dia!! Deixarem refrigerados e congelados pelo supermercado será que não pensam que aquilo depois terá de ir para o lixo???

Em relação ao tópico também, noto que os empregados de mesa também não são valorizados!! O meu marido já foi durante muitos anos e só saiu porque arranjou onde ganhasse mais se bem que trabalha com restauração mas notava que os clientes a maior parte das vezes chamam por "Oh pssst". Tmbém enerva muito.. Como cliente também sou daquelas que levanta a mesa e ponho o lixo no pires e não na chavena.. Smile

Retrato de Maria do Porto
Qua, 08/08/2012 - 12:58
Maria do Porto:
Membro desde: 29.09.2010

... obriga-nos a reflectir sobre as nossas atitudes perante as pessoas que estão ao "nosso serviço".
A meu ver, é tudo uma questão de ser ter - ou não - educação.
Aqui há uns tempos estive com uma amiga que, após lonfgo desemprego, aceito colocação como "empregada doméstica" de uma senhora idosa - e em casa da qual está neste momento a residir uma neta, estudante universitária.
A minha amiga entra ás 08:30h e sai ás 18:30h.
É suposto preparar e dar à senhora idosa todas as referições. Fazer-lhe a higiene pessoal. Levá-la a dar um pequeno passeio a pé todos os dias em que o tempo permita - e tratar da casa e das roupas. É um andar antigo e grande.
A minha amiga não se queixa da "patroa" - mas a neta, é uma PORCA! DEsculpem a força da expressão, mas o que é que chamariam a uma tipa que deixa os pensos higiénicos usados no chão do WC, os cabelos no lavatório e na banheira, as toalhas molhadas em cima da cama, a roupa para lavar espalhada no chão do quarto...?
A minha amiga manifestou desagrado - mas a mãe da criatura respondeu-lhe: "Olha, é para isso que te pagamos!... Queres fazer, fazes! Não fazes - porta da rua, serventia da casa!"
Fantástico, não?
Com educações destas, esperam o quê?
É preciso ter muita paciência para se exercer certas funções...
Beijinhos a todas!

Maria do Porto

Retrato de cb5
Qua, 08/08/2012 - 13:11
cb5:
Membro desde: 17.05.2010

O atendimento ao publico tem muito que se lhe diga...Apanha-se cada pessoa mais mal educada! Mas falando da perspectiva enquanto cliente...Eu digo sempre bom dia/boa tarde/boa noite seja numa loja, num supermercado, num restaurante, num bar. Facilito o levantar da mesa, não faço mais sujidade,etc. Nas lojas também arrumo a roupa e os cabides quando experimento alguma coisa!

Mas também já apanhei o reverso da moeda...Funcionários mal educados!
Costumo ir tomar café sempre ao mesmo sítio. Conheço os funcionários e claro, vai-se criando sempre aquela relação de proximidade! Acontece que eles têm uma funcionária que faz apenas umas horas e uns fins de semana e a moça é mal encarada. Há uns dias fomos tomar café com uns amigos. Pedimos e quando veio trazer o pedido pediu para fazermos o pagamento. Lá procurei as moedinhas e faltava-me uns 50 centimos. Tive de pagar com uma nota de 10€ que era a mais pequena que eu tinha! A rapariga viu-me a procurar as moedas e a dizer que não tinha mais pequeno e quando lhe entrego a nota faz a melhor cara de enjoo dela e pergunta-me arrogante "De certeza que não tens mais pequeno?". Eu fiquei parva e disse-lhe que não...Eu não tinha culpa! Já não é a primeira situação desagradável com essa mesma funcionária e já não é a primeira vez que isso sucede mesmo com outros funcionários. Em conversa com outros empregados desse mesmo café fiquei a saber que mesmo com os colegas é arrogante e má colega, não tem muita iniciativa. Mas obviamente que não iria nunca fazer queixa dela ao patrão precisamente por saber que ela precisa mesmo daquele emprego... Wink
Claro que agora o tratamento que lhe dou agora é boa tarde, obrigada e pouco mais, ao contrário do que acontece com os colegas da moça com quem falamos mais. Smile

Retrato de thaisa 2011
Qua, 08/08/2012 - 13:25
thaisa 2011:
Membro desde: 16.02.2011

Ha "bons" funcionarios e "maus" funcionarios como clientes educados ou outros que nem por isso...
Já trabalhei na restauração (em férias de verão, por isso a experiência não é muita) e com o publico. Embora lidei com clientes, no meu momento de cliente confesso que as vezes sou um bocado "exigente" (provavelmente sou aquela cliente que as vezes sou considerada pelas pessoas que trabalham com o publico como a tal pessoa frustrada...), porque se pago por um serviço/ produto quero o mesmo bem feito/ com qualidade (ou pelo menos que respeite a relação qualidade-preço). Era o mesmo que era esperado de mim em quanto empregada de mesa ou colaboradora de um serviço de atendimento ao publico.
A pessoa que nos atende é supostamente um profissional da respectiva área, que, mais uma vez, supostamente recebeu formação ou indicação de como deve atender os clientes etc. E muitas das vezes é apenas uma questão da educação e de saber estar e falar.
Por isso é tratado como tal, uma colaborador que está do outro lado a cumprir com a sua função.
Nos shoppings, deixo o tabuleiro na mesa, só no McDonald's levo (não tenho uma explicação lógica). Nas lojas de roupa não gosto de deixar desarrumado, por habito, não deixo a roupa espalhada em casa, tb não deixo fora. Nas caixas de supermercado gosto de por os produtos por tipologia (porque como vai para o saco ajuda-me depois a arrumar os produtos em casa), mas também apanha-se de tudo. É um emprego como outro qualquer e as vezes as meninas parecem que estao ai pela hora da morte, so as mais jovens é que são simpaticas (pelo menos na minha amostra de supermercados). As vezes vou as caixas automaticas (se tiver pressa e poucos produtos). No café não coloco o papel na chavena, nem abro o açucar todo por cima da mesa, nem estilhaço os palitos de plastico ou como se chamam quando o café é servido com o tal. Detesto as pessoas que almoçam o prato do dia num café e destroem o individual de papel em milhares de pedaços como se fosse confetti, as palhinhas dos refrigerantes colocados por cima do tabuleiro ainda com líquido dentro, acho que já disse, o açucar todo em cima da mesa, as marcas dos copos de cerveja que ficam nas mesas, os guardanapos que foram utilizados sabe-se la para que mas não apenas para limpar a boca na refeição.
Não gosto das pessoas que vão a um sitio para serem atendidas e não sabem o que querem (estão a perder o tempo do funcionario e o das pessoas que esperam), que reclamam e no fim a culpa é delas proprias e da ignorancia perante os assuntos (ex: bancos, balcões de atendimento ao publico de vários serviços - não sabem o que compraram/ contrataram).
Uma outra coisa que a mim incomoda-me imenso são as casas de banho nos centros comerciais. Como mulher posso afirmar que ha gente mesmo muito muito porca. Coitadas das empregadas que tem que limpar aquilo... Mas isso sim é uma falta de educação e de respeito, porque de certeza não é assim que fazem em casa.
Uma coisa é a educação e o respeito perante os funcionarios que nos atendem, outra é fazermos o serviço ou parte dele das pessoas que são contratadas para o fazer. Se formos todos auto-suficientes quantos empregos desaparecem? Imaginem os restaurantes self-service, cinemas self service, hoteis onde somos nós a fazer a cama, tudo self service e no fim uma caixa automatica...
Não me refiro a falta de educação/ respeito/ simpatia ou aos clientes que reclamam só porque sim, na sua maioria por ignorancia, arrogancia e prepotencia, mas se formos todos tão "civicos" que está tudo sempre limpinho, arrumadinho, no sitio, o que acontece com as pessoas que trabalham???

Retrato de mimi1981
Qua, 08/08/2012 - 13:28
mimi1981:
Membro desde: 30.07.2012

Concordo plenamente contigo Sofia1984!!!
Eu trabalho num restaurante, que também é café. E se há coisa que me incomoda é o mau agrado das pessoas para connosco.
Falaste dos papeis nas chávenas do café, e aqueles que fazem delas cinzeiros, ou então deitam as beatas dos cigarros para o chão sem sequer pedir um cinzeiro!
Crying Crying Crying