Não sei o que fazer | A Nossa Vida

Não sei o que fazer

Retrato de jesuita
06.06.2017 | 10:09
jesuita:
Membro desde: 31.07.2012

Bom dia.

Preciso de desabafar e talvez receber algumas luzes sobre o que fazer com esta situação que nunca pensei vir a passar...

Eu e a minha companheira estamos juntos há 7 anos e vivemos juntos há cerca de 7 também.

Eu sou técnico de informática - relevante para esta situação.

Ela é estudante de medicina, fora de Portugal. Quando me disseram que o estudo poderia dar cabo da cabeça a uma pessoa não quiz acreditar, até agora.

Há cerca de duas semanas a minha companheira começou a questionar-me se eu lhe lia a mensagens no mail/facebook e notas no google keep. Disse-lhe prontamente que não, pois nunca o fiz, apesar de ter as várias passwords dela que, as quais ela sempre me confiou.

Passado 2 dias volta a perguntar o mesmo, se li e apaguei mensagens dela no mail que ela enviou para outra pessoa. Novamente disse que não e que me estava a fazer confusão a mesma pergunta novamente.

Entretanto voltou à Faculdade para fazer uns exames e voltou ontem com uma história ainda mais rebuscada:

Ela pensa seriamente que foi hackada no telemóvel, tablet e portátil, por mim e por um grupo de pessoas que tem como hobby fazer isso, controlar as namoradas (porque sou técnico de informática).
Assim que neste momento não confia minimamente em mim; Para ela eu sou o causador de troca de números no telemóvel dela, ter colocado vírus no PC portátil, ter bloqueado e clonado (??) o telemóvel dela e dos pais, ter bloqueado o telefone fixo dos pais, e pertencer a um grupo organizado que espia as namoradas fora de Portugal para ver se estão a traír os companheiros.

Eu já lhe tentei dizer e confirmar que nunca fiz tal coisa mas ela simplesmente não me ouve. Qualquer afirmação que faça é colocada de lado imediatamente. Não percebo mesmo o que se passa...

Só chego a duas opções do que se passa:
- Ou ela está realmente com um problema que a está a levar a um comportamento paranoico, sendo que já lhe pedi para ir ter comigo a um psiquiatra ao que se recusou.

- Ou alguém lhe meteu estas histórias na cabeça... com o intuito de nos separar.

Neste momento a situação está de tal maneira que ela não quer que eu durma em casa pois não se sente segura comigo.

Luzes, pistas, ideias, ajuda precisa-se...

Obrigado!


Retrato de Kaizoku
Ter, 06/06/2017 - 13:17
Kaizoku:
Membro desde: 02.06.2017

Se queres saber a minha opinião nem uma nem outra: nem ela é maluca nem há outra pessoa a meter-lhe macaquinhos na cabeça.

Penso simplesmente que ela conheceu outra pessoa, mas como não tem coragem de acabar contigo, faz estes dramas de telenovela a ver se te passas, te fartas e se terminas a relação.

Ouve, não precisas duma gaja assim só porque é médica. A nossa felicidade não pode depender de aturar uma gaja qualquer só porque é boa ou tem um emprego (ou vai ter) e ganhar rios de dinheiro.

Arranja maneira de terminar com ela, mas de forma a que ela se sinta culpada e que fique ela mal vista em relação à tua família, à dela, amigos, colegas, etc.

Mulheres há muitas e não precisas de acabar com uma maluca qualquer.

Sabes o que tens a fazer e fá-lo, porque se for ela vai-te pisar o orgulho e vais tu andar a sentir-me mal posteriormente.

As mulheres hoje em dia acham que fazem o que querem e os maus da fita são sempre os homens e que estes têm que aturar as merdices todas delas.

Acho que a tua namorada te anda a fazer alguma nas costas e não queiras descubri-lo porque te vai fazer sentir desiludido. Tens o contrato em teu nome? Se sim acaba com ela e mete-lhe as malas à porta.

- 10000 km and 7 hours away from you -

Retrato de babysitterOeiras
Ter, 06/06/2017 - 14:04
babysitterOeiras:
Membro desde: 12.03.2013

Por acaso enquanto estava a ler o tópico foi mesmo isso que pensei! A namorada deve o estar a trair e agora vem com esta conversa para ver se o destabiliza a ponto de querer acabar.

Retrato de CACLR
Ter, 06/06/2017 - 14:22
CACLR:
Membro desde: 30.05.2017

Sou mulher e também eu estou com outra pessoa à sete anos. Não penso como o Kaizoku que as mulheres hoje em dia acham que fazem o que querem e os homens são sempre os maus da fita.

Vou dar te o meu contributo para a tua história para pensares acerca de tudo.

Antes de me juntar com o meu companheiro era amiga dele. Conversávamos muito, riamos muito e eramos super amigos. Da amizade passou ao amor e de facto passado algum tempo viviamos juntos. Com o tempo descobri que ele me tinha traido e caiu-me tudo. O mais importante numa relação tinha acabado. A CONFIANÇA.

Jurou-me que não iria mais acontecer e dei-lhe mais uma oportunidade mas claro que a confiança não era a mesma. Das duas uma: ou eu iria lutar pela minha relação e teria que aprender a confiar nele pouco a pouco o que significava que não iria mais falar do que se passou e seguia em frente ou acabava a minha relação e cada um ia á sua vida.

A questão era que ambos queríamos que a relação seguisse em frente. Pouco a pouco comecei a confiar novamente nele e hoje estamos juntos e felizes.

O que quero dizer é que a sua companheira está a culpa-lo sem ter provas do que diz não lhe dando nenhuma oportunidade para se defender o que me parece e aí eu concordo com o sr. Kaizoku, ela está a querer despacha-lo mas a querer por a culpa em si.

No meu caso houve um arrependimento e pedido de perdão e ambos gostavámos um do outro. No seu caso penso que ela não quer mais nada consigo mas não quer ser a culpada.

Isto é como a dança: para dançar o tango é preciso duas pessoas e penso que neste momento está a dançar sozinho.

Independentemente dos sentimentos terem terminado houve uma altura que houve amor entre vocês logo teria que haver respeito e algum sentimento. Não penso que a atitude da sua companheira seja de alguem que o respeite. Se disse que não foi e podendo existir uma dúvida não é razão para o por fora de casa porque tem medo de si.

Se alguem tem de sair de casa é quem está mal. Mas isso depende do contrato da casa.

Espero ter ajudado.

Retrato de teixeira802
Ter, 06/06/2017 - 16:51
teixeira802:
Membro desde: 11.08.2014

tu não sabes o que fazer e eu não sei que te dizer....
das duas uma, a miúda entrou em parafuso ou então quer acabar contigo! normalmente enfermeiras e médicos tendem a brincar muito.....

Retrato de jesuita
Ter, 06/06/2017 - 19:28
jesuita:
Membro desde: 31.07.2012

Eu sinceramente acho que ela enviou algum Mail a alguém que não devia ter enviado e pensa que eu o vi e isso deixou-a neste estado paranóico.

As teorias dela, que ela escreve incessantemente são de rir, não fazem qualquer sentido.

Agora, como a ajudar? Creio que ela não está bem e não a vou deixar numa altura destas.

A situação da casa é complicada porque tecnicamente é herança dela.

Quero ajudá-la a ver a verdade. Como chego lá? Psiquiatra? Psicólogo?

Retrato de CACLR
Qua, 07/06/2017 - 10:25
CACLR:
Membro desde: 30.05.2017

Dois pares de estalos. eheheh. Estou a brincar. Ajudá-la só vai ser possivel se ela assim o quiser caso contrario fica aqui uma dica: o pior cego é aquele que não quer ver. E aí não há volta a dar.

Retrato de MOPA
Qua, 07/06/2017 - 15:34
MOPA:
Membro desde: 23.06.2015

Olá Jesuita!
A faculdade as x deixa-nos desorientados...por exemplo, na minha faculdade todos os anos foram puxados, no entanto o último foi o pior de todos em termos de trabalho e exaustão. Cheguei a um ponto de não me lembrar sequer do n.º de telemóvel da minha mãe... vi um colega meu entrar em depressão por não aguentar a pressão...
Se ela não está bem, se achas q é paranoia por cansaço, ficas numa posição delicada pois queres ajudar, no entanto ela tem que querer ser ajudada. E se ela não quiser ser ajudada, não podes fazer nada.
Se achares q ela possa ter alguém e está a fazer-te a vida num oito, então o melhor mesmo é bateres com a porta. Se assim for, é muito baixo da parte dela fazer o filme que está a fazer só para sair bem na fotografia, tipo "ele é q acabou comigo". Pessoalmente para mim, é irrelevante quem acaba uma relação. Acabou, acabou. É olhar para a frente e siga que há muito caminho a percorrer.
Se alguém lhe anda a meter macaquinhos na cabeça para vos separar, e se ela acredita noutra pessoa, será q realmente vale a pena estar com uma pessoa que não confia em ti? se nunca lhe deste motivos para desconfiar, não entendo a desconfiança...imagina que agora a situação passa e ela manda os macaquinhos embora. Tudo bem. Lindo. Agora imagina que ela encontra outra pessoa que lhe começa a meter outros macaquinhos... começa tudo de novo... estás disposto a passar por tudo isso? Não tens que responder aqui. responde para ti.
Tudo a correr bem!
Mopa

Retrato de CACLR
Qua, 07/06/2017 - 16:41
CACLR:
Membro desde: 30.05.2017

Grim Reaper,
Um pouco mais de respeito e educação não lhe ficava nada mal. Em primeiro lugar não sou uma gaja. Sou uma senhora que não o conheço de lado nenhum não tem que vir opinar nos comentários e observações que damos. Em segundo lugar todos aqui já percebemos que a senhora quer mandar o rapaz embora sem ficar com as culpas. Eu estudei, tirei o meu curso e fiz-me á vida. Tenho uma profissão desgaste mental mas isso não me dá o direito de acusar A, B ou C de paranóias. Não quer abandoná-la porque acha que ela está doente pois eu duvido muito da doença dela.

Das duas uma ou a enfrenta e pergunta-lhe diretamente o que ela quer ou siga a sua vida sem olhar para trás.

Retrato de Grim Reaper
Qua, 07/06/2017 - 23:16
Grim Reaper:
Membro desde: 29.04.2017

Curioso como as mulheres aqui arranjam as desculpas mais esfarrapadas para defender as supostas paranoias dela. Quando a resposta mais provável é ela estar a meter-te uns valentes palitos e a ver se te cansa de forma a ficar bem na foto e tu não. Qual é a próxima cena? Trabalhas para o governo americano e recebes ordens de generais e extra-terrestes para controlar a vida dela?

Mas já aprendeste mais uma aqui com estas gajas, as mulheres sob o pretexto de cansaço podem dizer as cenas mais absurdas, mas nós se temos uma opinião assim para o diferente somos uns falhados frustrados. Queria ver se a história que contaste fosse ao contrário, tu eras a mulher e ela o homem. Era mesmo giro ver se as opiniões femininas aqui se mantinham iguais.

Retrato de Kaizoku
Qui, 08/06/2017 - 07:59
Kaizoku:
Membro desde: 02.06.2017

Ela não vai mudar e isso vai tornar-se numa relação tóxica da qual vai ser muito difícil deixar.

O estudo não é desculpa: tirei um curso que exigia que estudasse 12 horas por dia na época de exames e não ficava maluco ou a descarregar nos outros, ficava mais bem a sentir-me "ganzado". E conheço tantas outras pessoas que tiraram licenciaturas em tudo e mais alguma coisa, mestrados e doutoramentos e não fazem essas coisas.

O que te prende tanto a ela? O facto de ser médica e poderes gabar-te às outras pessoas disso? Ou de ser jeitosa e achares que não arranjas igual? Não precisas disso, podes sentir-te orgulhoso com o teu próprio mérito ou do facto de teres uma boa mulher. Nesta vida precisamos de uma mulher boa às vezes, duma boa mulher sempre. Não estou a dizer para arranjares um camafeu, ou uma mulher oca que não tenha onde cair morta, mas uma pessoal normal, gira qb, inteligente, interessante e calma.

"Drama queens" são algo muito complicado e sei o que sentes porque já estive numa relação tóxica em que todos os dias me chagava a cabeça com alguma coisa nova, às vezes coisas sem sentido nenhum... E isso no dia-a-dia ressente-se... Ressente-se no trabalho e relacionamento com colegas, na vida pessoal, no estado de espírito e em tudo o demais. Deixa-te ansioso, preocupado com o futuro, impede-te de te sentires confortável e estável durante o dia e faz-te dar voltas na cama durante a noite!

Não precisas disso! Há mulheres em condições por aí. Sei que a deves amar muito, não imaginas o teu dia-a-dia sem ela, se a perderes vais sentir um enorme vazio, lembrar-te das mensagens, "dates", viagens e bonequinhos de ursinhos das mensagens dela, vais querer evitar frequentar certos sítios porque te lembram dela, vais chorar sozinho, sentir-te ansioso, sonhar com ela e nas mil e uma formas em que a perdetes, desiludido e desacreditar no amor, mas faz parte do processo de "luto amoroso".

Mais tarde, vais estar bem, fazer o teu dia-a-dia sozinho, a tua rotina, as tuas regras, não te vais lembrar dela, vais conhecer outras pessoas, vais sentir nova vontade de amar, conhecer alguém e passar pela fase de conquista amorosa, a melhor fase de todas e voltar a acreditar no amor. A vida é assim: feitas de altos e baixos, nada dura para sempre, nem o amor.

O amor vem sempre com riscos: o risco do fim, o risco da desilusão, o risco da traição, o risco de perda. Cabe-te a ti decidir se os aceitas...

- 10000 km and 7 hours away from you -