O mundo fantástico e terrível dos solteiros encalhados | A Nossa Vida

O mundo fantástico e terrível dos solteiros encalhados

Retrato de Ricardo_A
29.12.2014 | 16:27
Ricardo_A:
Membro desde: 29.12.2014

Olá a todos, sou o Ricardo, sou de Lisboa, esta é a minha primeira participação por aqui, sou frequentador ou melhor leitor deste forum há já alguns meses mas por diversas razões apenas lia as mensagens e não participava, no entanto chega um momento em que temos de sair da nossa zona de conforto...

O tema que eu gostava de abordar tem a ver com esta noticia: http://www.ionline.pt/artigos/portugal/mundo-fantastico-terrivel-dos-sol...

Antes de eu dar a minha própria opinião, alguém tem comentários a fazer?


Retrato de beach
Seg, 29/12/2014 - 18:55
beach:
Membro desde: 09.08.2011

Olá Ricardo,

O que há a dizer... Penso que a noticia descreve bem a situação dos solteiro/divorciados.

Na minha opinião vivemos numa sociedade cada vez mais descartavel, ninguém quer compromissos ou responsabilidades.

E quando se inicia uma relação, a maioria das vezes, não dá certo porque já ninguém está para aturar ninguém a minima discussão desistem...

É um tema que tem muito para abordar, tem vários factores dependendo da experiencia de cada pessoa.

Retrato de bettsy
Seg, 29/12/2014 - 21:46
bettsy:
Membro desde: 21.10.2011

Acho que as pessoas deviam deixar de se preocupar tanto com isso. Temos que aprender a ser felizes com nós próprios primeiro.

A nossa felicidade não pode estar agarrada a uma segunda pessoa. Quantas pessoas se agarraram a outra pessoa e depois deu para o torto? Melhor um divórcio do que solteiro?

Acho que quando se aprende a viver a vida tal como ela é, solteiros, divorciados... mais facilmente se dá abertura a outro tipo de relacionamento.

Retrato de Sofia1984
Seg, 29/12/2014 - 22:35
Sofia1984:
Membro desde: 28.05.2010

Há uns anos as raparigas e rapazes não tinham tecnologias topo de gama para estarem agarrados dia e noite, então saíam para a rua e mostravam-se como eram. Não havia decepções: Se era gordo era gordo, se era magro era magro...Não havia selfies bonitas ajeitadas com programas que tiram gordura, colocam maquilhagem e tapam borbulhas.
As bacoradas saíam naturalmente, e a comunicação era bem ou mal feita...mas nunca sofria "edição".
O mau era mau o bom era bom.
E era isto que contava.

Hoje em dia, as pessoas fecham-se no seu mudo perfeito e preferem à força toda mostrarem que são perfeitas, têm vidas perfeitas, e fotos perfeitas. Que pessoas desinteressantes. Podem-se desdenhar, mas querem-se "comprar"? não. Quer-se apenas cuscar o perfil do facebook, volta e meia, ver a cor da saia ou o bar onde foi este fim de semana.

As pessoas vivem afastadas fisicamente. Verbalmente. Vivem longe de cheiros e sensações...de frios na barriga. De toques de mãos, de lábios, cruzamento de olhares. E perdem-se na interpretação que fazem da fotografia, "tão perfeita que ela é".

As pessoas não se conhecem. Acham que sim, mas não se conhecem.E nisto, enquanto há 20 anos uma miúda tinha relacionamentos "sérios" com 14, 15 anos, agora vive-se na era da fotografia e do desejo sexual.

Portanto, há por aí muito trintão que nunca conheceu verdadeiramente uma mulher, e vice versa-não sabe a que sabe uma relação "a sério". Portanto vive nesta idade o típico namoro de adolescente, de há 20 anos.
Um homem ou mulher com 30 anos hoje pode bem ser comparado, a nível de maturidade, a um jovem de 16 há 20 anos.

Isto matou as relações. Os homens não sabem o seu papel, não querem ter papel nenhum, para as mulheres igualmente. Mas por questões biológicas, penso que os homens são brutalmente mais imaturos nisto, como mesmo o próprio artigo diz, os homens são mais "encostados" e têm menos iniciativa para se fazerem à vida.

Não podia concordar mais.

As mulheres parece que aprenderam que conseguem tudo ao abrir as pernas, e fazem muito mau uso dessa capacidade.

Podia continuar, mas por ora fico-me por aqui!

"A meta de uma discussão ou debate não deveria ser a vitória, mas o progresso."
( Joseph Joubert )

Madrinha da TCosta, da florzinha C.A.S.C.S. e da espevitada RuteCris
Afilhada da Joanasantosblue

Retrato de Ricardo_A
Ter, 30/12/2014 - 15:38
Ricardo_A:
Membro desde: 29.12.2014

Olá a todos de novo, antes de mais, obrigado pelas vossas respostas.

Este assunto interessa-me tendo em conta a fase da vida em que me encontro...

Como vos disse mais cima, sou leitor deste fórum faz alguns meses, mas eu era daqueles que lia as mensagens, assimilava a informação e o conhecimento mas depois não participava, talvez por receio de ter opiniões bastante diferentes da maioria.

Vou continuar o meu processo de saída da minha zona de conforto, fazendo algo que normalmente não gosto de fazer, que é, falar de mim mesmo...

Eu estive num relacionamento durante 4 anos que infelizmente terminou em 2012, relacionamento esse que me marcou bastante.

Mas o que vos quero falar não é sobre esse relacionamento mas sim sobre o que veio depois...

E o que veio depois, foi e ainda está a ser, a maior travessia no deserto que eu jamais passei na minha vida em termos amorosos.

Eu pensei muito antes de escrever estas palavras, em primeiro lugar porque sou uma pessoa reservada e em segundo lugar é sempre feio quando um homem é lamechas e queixinhas sobre a vida, ninguém quer isso, e penso não ser esse o objectivo deste fórum, daí ter tido algumas reticências antes de escrever este texto.

E vocês perguntam, antes de mais nada, quem é o Ricardo? Bom o Ricardo é um rapaz que poderia e deveria de ser normalíssimo e igual a tantos outros, não fosse o caso de ele se achar um peixe fora de água não só em Lisboa mas na sociedade que hoje temos de forma geral.

O Ricardo é um rapaz que tem rotinas muito próprias, não bebe, não fuma, não se droga, faz desporto, não é grande adepto de noitadas, é um rapaz calmo, sereno, ponderado, sossegado, tranquilo, que leva a vida se calhar demasiado a sério para a época que temos. E vocês agora estão a pensar, bem um rapaz assim tem várias pessoas interessadas, certo? Obviamente que não, mas sobre isso já la chegarei…

O ano de 2012 fez-me meditar muito sobre a vida, e desde esse ano entrei num processo de auto-descoberta, auto-conhecimento, de mim, e dos outros.

Se eu fosse um rapaz esperto, eu já teria recuperado desse desgosto e já me tinha feito á estrada há muito tempo, mudando certos hábitos, tentando ter uma vida social mais ativa, o problema é que eu não me identifico com o que vejo á minha volta.

Esta mensagem que eu estou a escrever talvez seja um pouco diferente da maioria neste tipo de fóruns, pois normalmente vemos mensagens de mulheres a criticarem, de forma construtiva obviamente, aspetos e atitudes menos positivas por parte dos homens, neste caso é um homem, ou seja eu, que aponta algumas situações referentes aos homens mas também e em especial às mulheres.

Resumidamente o que me chateia é que a sociedade tornou-se demasiado fútil, já ninguém acredita em nada, ninguém acredita no amor, ninguém acredita no para sempre, ninguém acredita na fidelidade, na sinceridade e na cumplicidade.

Toda a gente diz que é fiel, mas depois o que eu vejo são eles e elas, no Facebook, no Badoo, no Tinder, no Twitter, no Instagram, tudo no engate, gostava de deixar claro, que eu sou totalmente a favor da emancipação da mulher, o que eu nunca pensei, foi que elas fossem adotar os mesmos comportamentos negativos e errados dos homens…

Na minha opinião ser homem em Lisboa não é fácil, a não ser que sejas uma de duas coisas, rico ou badboy.

Eu falo em Lisboa, porque na minha opinião Lisboa tem particularidades muito próprias. Em Lisboa, tu só és uma pessoa interessante se tiveres dinheiro e status, se tiveres um emprego estável, bem remunerado, uma profissão em que as mulheres possam dizer ás amigas: Ah o meu namorado trabalha nisto, ou faz aquilo, as aparências tornaram-se o centro de tudo, tens de ter obrigatoriamente um bom carro, pois as mulheres adoram bons carros, teres uma vida social estupidamente ativa, com 5000 amigos no facebook, seres um enorme frequentador de festas e de noitadas, se disseres a uma mulher que tens casa própria e que moras sozinho sem filhos, os olhos dela até brilham, se disseres que moras em casa dos pais elas torcem-te o nariz, tens de ser alguém super extrovertido, confiante e independente.

Ninguém quer saber quem tu és verdadeiramente, qual é a tua história de vida, o que sentes, o que já passaste, o que queres, o que anseias, quais os teus problemas, não, as pessoas só querem o lado bom, e tu ou estás em alta ou estás na fossa e ninguém te liga nenhuma.

Tenho que ser sincero, não acho as lisboetas simpáticas, acho-as frias, de nariz empinado e interesseiras, mas se calhar eu estou enganado e ando a ver o filme errado daí eu escrever este texto para saber a vossa opinião, no entanto daquilo que vejo e sinto ao meu redor, vai ser complicado para mim voltar a apaixonar-me de novo.

Vivemos tempos estranhos, apesar de não ser uma pessoa de noitadas, de vez em quando lá saio da minha zona de conforto e uma vez ou outra saio á noite e aquilo que vejo não me agrada, vejo muito álcool, muito tabaco, muitas drogas, muita promiscuidade, muitas aparências e pouco conteúdo e vejo as pessoas cada vez mais afastadas. Vejo pessoas agarradas ao telemóvel durante horas , ate mesmo nas discotecas, em vez de estarem a dançar ou a conviver, já não há aquela imprevisibilidade de poder conhecer alguém especial, já não há a troca de olhares, os sorrisos inesperados, aliás estou a ser ingénuo, há troca de olhares, sorrisos inesperados e palavras sussurradas ao ouvido quando o objetivo é sexo, quando o objetivo é amor então não há nada.

Para além da futilidade dos tempos de hoje, em que só os bens materiais é que interessam outra coisa que me chateia é que, aparentemente os maus da fita é que ganham e ficam com a princesa e os bons da fita ficam sozinhos.

E agora chegamos á parte em que eu vou ser baleado pelas mulheres, mas é mais forte do que eu ser um pouco crítico em relação ao que vejo.

O que é que a Lisboeta quer? Um homem romântico, carinhoso, atencioso, que a trate bem, inteligente, com cultura, que sabe estar e cuidar duma mulher? A resposta é não.
Para além da fama, do dinheiro e do status e sem duvida procuram homens com esse perfil, elas no entanto também gostam de outra coisa, os badboys..

Sim, os mulherengos, os atrevidos, os que se metem com elas na discoteca e que no dia a seguir de terem passado a noite juntos nem se lembram do nome delas e depois as querem longe, bem longe da vista deles depois de o desejo sexual ter sido saciado. Elas gostam dos que não lhes ligam, dos que não lhes telefonam, que só fazem o que lhes apetece, que só dão notícias quando o desejo sexual voltou, elas acham sexy ser assertivo e confiante mesmo que seja arrogante e egoísta. Elas gostam dos casados que prometem que vão se separar mas obviamente que nunca o irão fazer, pois é tao bom ter a mulher fiel e submissa em casa, enquanto têm a amante doida na cama com quem realizam as perversidades todas.

As mulheres têm a fantasia que vão transformar um homem cheio de defeitos, nada preparado para a vida, ou simplesmente um enorme mulherengo em alguém que vai ser delas e só delas, é como se fosse um desafio, acontece que eu acho que isso nunca dá certo.

Elas nunca gostam dos tímidos, dos reservados, dos introvertidos, dos sérios, dos honestos, dos trabalhadores, dos sinceros, dos humildes e dos pacatos, e é por isso, que quando oiço certas histórias em que o rapaz traiu a rapariga, eu gosto sempre de perceber quem é o rapaz, e qual não é o meu espanto que são quase sempre os lobos maus, os badboys, é uma chatice mas são deles que elas gostam não é verdade?

Qual é o resultado disto tudo? É exatamente o que vem na notícia que publiquei, ou seja, 500 mil trintões solteiros em Portugal, mas as pessoas acham que está tudo bem e que estamos no bom caminho, então continuem assim.

Retrato de Jcgs
Ter, 30/12/2014 - 16:45
Jcgs:
Membro desde: 10.07.2013

Não sou uma solteira encalhada mas dou-te razão. O mundo anda perdido, se pudesse mudar para outra planeta eu ia!
Não digas "as lisboetas" isso que descreves também acontece "aqui em cima".

Acho que tens o coração partido aos bocadinhos ainda...

Deixa-me que te diga que ainda existem pessoas fantásticas, são raras sim (muito mesmo) mas existem. E são mais difíceis de encontrar porque são as mais discretas, as melhores pessoas muitas vezes são aquelas em quem nem reparamos. Falo por experiência própria! Talvez estejas a procurar nos sítios errados. Penso que não vai ser na noite que vais encontrar alguém como tu.

Retrato de Mermaid_MM
Ter, 30/12/2014 - 17:41
Mermaid_MM:
Membro desde: 20.05.2009
bettsy wrote:

Acho que as pessoas deviam deixar de se preocupar tanto com isso. Temos que aprender a ser felizes com nós próprios primeiro.

A nossa felicidade não pode estar agarrada a uma segunda pessoa. Quantas pessoas se agarraram a outra pessoa e depois deu para o torto? Melhor um divórcio do que solteiro?

Acho que quando se aprende a viver a vida tal como ela é, solteiros, divorciados... mais facilmente se dá abertura a outro tipo de relacionamento.

É isto!! Smug

Retrato de phiona
Ter, 30/12/2014 - 18:11
phiona:
Membro desde: 21.04.2008

olá.
subscrevo a tua opinião, com a devida reserva feminina!
infelizmente cá pelo norte vejo os mesmos comportamentos que tu aí em baixo.
e quando digo "Não, não quero uma noite de sexo e adeus" as pessoas respondem-me com algo do género: coitadita, nem vive a vida!!

eu cresci com valores que quero manter, um deles é o respeito próprio. não quero acordar ao lado dum otário qualquer que nem o meu nome sabe e sentir-me um objeto usado e descartado.

enquanto isso a idade passa, não conheço pessoas interessantes ou com quem se perspective um futuro a dois... Às vezes dói-me.... às vezes acho que só tenho de ter paciência e continuar na busca... às vezes acho que o universo não fez a tampa da minha panela....

e vão-se levando os dias, a ouvir e ver coisas que só me levam a desacreditar cada vez mais na sociedade...

bom ano a todos Smile

phiona

Retrato de bettsy
Qua, 31/12/2014 - 15:41
bettsy:
Membro desde: 21.10.2011

Fosses tu do norte e apresentava-te a minha mana Tongue

Agora a serio, alguem como tu nao vais encontrar na noite... E esse é o grande problema. Onde encontrar alguem como tu? talvez nos transportes publicos, a ver montras de um shoppings, numa livraria, num cafe, ...

O que eu posso dizer é não metas todas as mulheres no saco das que vês à noite porque na realidade há muitas outras mulheres completamente diferentes dessas e que nunca as vais ver à noite.

Não bebo, não fumo, não saio à noite, nunca fui a uma discoteca... tive a sorte de conhecer o meu marido no trabalho Tongue

Retrato de bettsy
Qui, 01/01/2015 - 22:17
bettsy:
Membro desde: 21.10.2011

Sorry... Não era isso que queria dizer Sad

Falei baseado no tipo de personalidade que ele falou ter. Será mais difícil encontrar essa pessoa na noite Smile

Tenho amigas que saem há noite e não vejo problema nenhum. Cada um tem os seus gostos e estilos de vida. Não gostei foi k metam todas as mulheres no saco das tais interesseiras e blabla. Falei das outras Wink

Retrato de Sofia1984
Sex, 02/01/2015 - 01:38
Sofia1984:
Membro desde: 28.05.2010
bettsy wrote:

Sorry... Não era isso que queria dizer Sad

Falei baseado no tipo de personalidade que ele falou ter. Será mais difícil encontrar essa pessoa na noite Smile

Tenho amigas que saem há noite e não vejo problema nenhum. Cada um tem os seus gostos e estilos de vida. Não gostei foi k metam todas as mulheres no saco das tais interesseiras e blabla. Falei das outras ;-)

Eu nem sei PK e que homens e mulheres escolhem tanto. Dali a uns anos estão todos/as a queixar-se que "sao todos/as iguais" loool

"A meta de uma discussão ou debate não deveria ser a vitória, mas o progresso."
( Joseph Joubert )

Madrinha da TCosta, da florzinha C.A.S.C.S. e da espevitada RuteCris
Afilhada da Joanasantosblue