Emigrar, abandonar Portugal.

40 respostas [Última]
aravia
Retrato de aravia
Offline
Desde: 11.08.2012

Olá!
Resolvi criar este tópico porque muitos amigos, vizinhos e familiares têm saído de Portugal, sobretudo nos últimos meses.
Têm saído para França, Alemanha e Inglaterra.
E o que me deixa admirada é que muitos saem sem ter bem uma noção de como está o país para onde vão e nem a língua estrangeira sabem falar. Acabam por viver até em condições iguais ou piores que cá em Portugal, por exemplo, tenho uma amiga que foi para França e agora compartilha um apartamento com + 10 emigrantes. É um apartamento pequeno e cada quarto tem 2 a 4 camas.
Isto deixa-me a pensar no esforço que têm de fazer quando começam fora a vida do 0.
Ora, eu também tenho pensado muito no assunto e não ponho de parte a ideia de emigrar. Contudo, gostava de saber quais os países em que vale mesmo a pena apostar e em que cidades se vive melhor.

Compartilhem experiências e ideias sobre o assunto. Pode ser que fique sem esta ideia de que ao sair de Portugal com uma mala com a "vida" na mão o sacrifício é bem maior do que se pode imaginar.

Sofia Lo
Retrato de Sofia Lo
Offline
Desde: 26.03.2011
Eu não tenho grande

Eu não tenho grande experiência pessoal mas tanto eu como o meu noivo temos imensa familia fora, inclusivé pessoas que foram para lá à meses.
A adaptação é sempre dificil e a vida é de sacrificio.
No entanto, muitas vezes lá fora conseguimos empregos e salários que cá não teríamos.

O ideal é termos lá uma certa forma de suporte, quer sejam familiares quer amigos, que já lá estejam à mais tempo...
De resto é trabalhar e regressar em Agosto para matar saudades da familia...

Naitanda
Retrato de Naitanda
Offline
Desde: 12.07.2010
Emigrei em fevereiro de 2011

Emigrei em fevereiro de 2011 para o luxemburgo com o marido e filhota de dois meses...
Falavam mil maravilhas disto e quando ca cheguei vi a realidade... vim para casa de familiares hj tenho o meu cantinho... ja passei mt fome, trabalhamos os dois e mesmo assim as despesas sao grandes...
Boa sorte para quem vem.. eu quero mt voltar a portugal

A minha é feita de decisões que a cabeça sabe ser o melhor, mas que o coração nao aceita.

Maria Radiante
Retrato de Maria Radiante
Offline
Desde: 08.08.2009
ainda esta semana falei com a

ainda esta semana falei com a minha prima, está em paris e odeia. tanto ela como o marido têm emprego (ela está bem melhor porque tem formação, é educadora de infância e como já tem as habilitações reconhecidas já pode exercer), vivem bem, mas apesar de os meus tios também lá estarem (não moram juntos) ela está ansiosa por amealhar algum e ver se arranja cá emprego porque detesta lá estar. também já me passou pela cabeça, mas a verdade é que tenho medo das saudades e da solidão (o meu marido está efetivo) pois teria de ir sozinha.

Bemzinho
Retrato de Bemzinho
Offline
Desde: 05.06.2012
Tenho uma amiga que vivia em

Tenho uma amiga que vivia em Inglaterra. Foi para lá à cerca de 4 anos porque o marido conseguiu emprego lá.
Entretanto conseguiu uma bolsa de estudo paga pelo estado. Tirou um curso superior de 3 anos e tudo corria à mil maravilhas.
Estava no final do curso engravidou e teve uma menina linda. Depois de terminar o curso não conseguiu emprego, pois para isso tinha que fazer um estágio, mas como não tinha com quem deixar a filha e não sendo o estágio remonerado não podia pagar a um infantário que segundo ela lá ronda os 1.500€.
Esteve a trabalhar numas lojas mas chegou à conclusão que pagava mais pelo infantário da filha do que recebia de ordenado.
Acabou por deixar de trabalhar para ficar a tomar conta da filha.
Entretanto a mãe dela que estava em Portugal ficou muito doente com um cancro e foi a desculpa que ela precisava para regressar a Portugal.
Está cá há 6 meses, primeiro pôs a filha num infantário privado e agora conseguiu que fosse para uma ceche do estado, por sorte o trabalho do marido permite-lhe ficar uma semana cá outra em Inglaterra.
Já esteve a trabalhar cá mas entretanto acabou o contrato e não o renovaram.
Cá tem o apoio da famíla e com o dinheiro que o marido ganha a trabalhar em Inglaterra consegue ter uma vida melhor do que lá. E nem quer ouvir falar em voltar para Inglaterra.
Entretanto o marido dela está à espera de ser colocado em Portugal no próximo ano.
Conheço casos de pessoas que foram trabalhar para o estrangeiro a contrato, entretanto o contrato acabou e não foi renovado. Procurarm outro emprego e não conseguiram gastaram todo o dinheiro que tinham, passaram fome, chegaram a dormir na rua e para regressarem a Portugal ainda tiveram de pedir a familiares para lhes pagar a viagem de regresso, porque nem para isso tinham dinheiro.
Enfim, isto tudo só para dizer que todos nos dão a entender de que viver no estrangeiro é muito melhor do que cá, mas a realidade por vezes é bem diferente.

little butterfly
Retrato de little butterfly
Offline
Desde: 18.03.2010
Eu sou da opinião que para se

Eu sou da opinião que para se emigrar é necessário ponderar bem os prós e contras, e sobretudo ir a contar com o inesperado!
O meu marido nasceu lá e tem quase toda a família em França e volta e meia chateia-me a cabeça que quer voltar para lá...
No entanto por eqto ainda não é uma hipótese para concretizar pq temos uma vida estabilizada cá.
Quem como o meu marido tiver apoio lá, quer seja família ou amigos, já tem um ponto de partida pois podem ajudá-los no alojamento e a arranjar emprego. Quem vai "às cegas" tem de se preparar para td!
Conheço quem fosse para condições do género da tua amiga, para dividir casa com 10 ou 20 outros emigrantes e com rendimentos k com as despesas de lá, pouco mais ficam do k trabalhassem cá.
É óbvio k há países em k os salários são tentadores, tipo Luxemburgo ou Suiça, mas convém arranjar principalmente um alojamento minimamente confortável para se sentirem à vontade.
Mesmo em França, a casa é k leva o maior bolo do orçamento pq o custo de vida (falo de supermercado, roupa, combustível) tem preços mt semelhantes aos de Portugal. Às vezes até ligeiramente inferiores.
Se tiveres quem te ajude nessa aventura, e aqui em portugal não tens conseguido nada, então atira-te. Para ires à cega convèm pensares bem antes de decidir, e se fores prepara-t para alguns sacrifícios. Mas atenção, não quer dizer k não venças, pq tanta gente k foi pra fora e batalhou mt mas acabou por conseguir uma boa vida. Aqui ou em qualquer outro país do mundo, sem trabalho não há resultados!

Jonicas
Retrato de Jonicas
Offline
Desde: 09.02.2007
Atrás de um sonho...

Olá!

Em Dezembro de 2011 deixámos Portugal e Viena de Áustria passou a ser a NOSSA Cidade.

Foi uma decisão a dois, muito conversada, em que embarcámos cheios de sonhos. Isto é muito importante de frisar: "cheios de sonhos".
Face ao clima "depressivo" e "fatalista" que se vive no nosso Portugal, a ideia de fugir daqui para fora é sonhada e idealizada. Pensamos que tudo deve ser melhor do que estar a viver num país que está a "ir à vida"! Acho que aqui é que se corre o risco de tomar uma decisão que por vezes não é suficientemente estudada.

Deixo-vos alguns pontos que me parece que é mesmo importante pensar/avaliar antes de tomar uma decisão:

- A questão de saber a língua que se fala no país para onde vamos é fundamental. Na Áustria fala-se o Alemão e a fluência nesta língua é critério em práticamente todas as ofertas de emprego, mesmo as ofertas para empresas internacionais.

- Estar longe do nosso país, da nossa família, dos nosso amigos, do nosso mar, da nossa forma de estar portuguesa... custa muito. Custa mesmo muito... Mesmo com o Skype, o Facebook, o e-Mail, o telefone... Os primeiros tempos (+/-1 ano, segundo uma amiga minha emigrante à anos) são muito solitários, e testam a relação de casal.

- As minhas grandes amigas na Áustria, conheci-as no curso de alemão... Será uma óptima forma de criar uma rede social, que rápidamente se torna muito forte. Todos estão a atravessar a mesma realidade, por isso as relações de amizade desenvolvem-se muito mais rápidamente do que em Portugal.

- É importante estudar muito bem o país/cidade para onde vão viver, e não se deixem enganar por carimbos do estilo "a cidade com melhor qualidade de vida do mundo". Procurem (na Net e Facebook) comunidades de emigrantes / expatriados (portugueses e não só) que lá vivam, apresentem-se e coloquem-lhes todas as dúvidas que se lembrarem. Existem comunidades destas em que e preciso pagar para comunicar com os membros, mas há muitas outras que são gratuitas.

- Se vão com crianças, investiguem bem questões como infantários, seguros de saúde, ... Existem também comunidades de expatriados direcionadas para pais. Só por curiosidade, quero falar-vos da Victoria, que é a filha de 2 anos e meio de uma amiga minha de Viena, que vem da Coreia do Sul e é casada com um Americano. A Victoria, que já fala coreano e inglês, ao fim de 5 meses de infantário em Viena já comunica com a maior das facilidades em Alemão! Sorriso

- Largar tudo e partir à aventura sem ter pelo menos emprego para 1 assegurado, é muito arriscado... Mais vale investir numa viagem de reconhecimento. Sempre que possivel construam uma rede de segurança a que recorrer se as coisas não correrem como planeado...

Escrevo-vos de Portugal, estamos de férias. Além de matar saudades, este vai ser um período de reflexão para perceber se estamos a seguir o caminho certo. Não estamos numa situação crítica, mas sentimos que o que está a exigir de nós não está a ser compensado com o que estamos a ganhar (não só a nivel económico, como também a nível pessoal).

As maiores felicidade para quem decidir dar este passo, mas não o façam sem antes o terem estudado e estudado e estudado.

Até já! Sorriso

claudia_mimi
Retrato de claudia_mimi
Offline
Desde: 29.07.2009
Naitanda, Mas compensa o

Naitanda,
Mas compensa o sacrificio?

Naitanda
Retrato de Naitanda
Offline
Desde: 12.07.2010
claudia_mimi no meu caso nao

claudia_mimi no meu caso nao compensa..
O meu marido ganha ordenado minimo, eu trabalho nas limpesas no horario da noite( como maior parte dos portugueses) e so 3 horas e meia, arrajei um trabalhito de manha mas fui ontem despedida por escesso de pessoa...
O meu ordenado nao chega para a renda, apenas chega para a creche da princesa e alimentacao.
Com o ordenado do meu marido tenho de pagar renda, luz, agua, gas, lixo que vem de tres em tres meses, carro (portugues), seguros, etc
Ao final do mes fica muito justo, tem meses mesmo que passamos dificuldades.
É verdade que o nivel de educação e saude são bons.. mas ate ja passei pela situação de ter a pequena doente e nao ter dinheiro para a consulta..

Há pessoa que se dao bem e tem sorte por azar eu nao fui uma delas. Custa-me estar aqui sosinha com o marido e filha e ouvir a minha filha chamar pelos avos e nao poder estar com eles..Sinto que lhe estou a tirar muito..
Se tivesses trabalho em portugal eu arrancava sem pensar duas vezes. Faço planos de a minha princesa começar a escola ai.. no maximo daqui a 4 anos voltar a portugal..

Mas é com digo isto é a minha situação, que tive aqui quem me ajuda-se no inicio, quem me desse casa.

A minha é feita de decisões que a cabeça sabe ser o melhor, mas que o coração nao aceita.

CCarmoS
Retrato de CCarmoS
Offline
Desde: 07.07.2010
Noruega

Mais uma (ou dois se contar com o namorado), que saiu do país...

Estamos desde quarta-feira na Noruega numa pequena cidade costeira, ainda é muito precoce para retirar conclusões mas posso dizer que para já está tudo a correr bem e estamos a gostar.

O meu namorado começou a trabalhar hoje numa empresa local, tem contrato assinado desde Maio quando foi recrutado numa feira para Engenheiros em Lisboa.

Eu vim sem trabalho mas hoje já fui a uma entrevista e logo que entregue os documentos que me foram solicitados posso começar a trabalhar.

Ao contrário do que a maioria pensa os nórdicos não são nada antipáticos, pelo contrário temos encontrado pessoas muito simpáticas e aquelas com quem lidamos mais de perto têm feito um verdadeiro esforço para que nos integremos.

Quando chegamos já tinhamos casa alugada e estamos inscritos num curso para aprender norueguês, dificuldades haverá de certeza mas como se costuma dizer quem não arrisca não petisca...

Cat Chloé
Retrato de Cat Chloé
Offline
Desde: 30.03.2011
Olá!

Também estou fora do país. Decidi vir para "apalpar" terreno e ver como seriam as coisas. O marido ficou em Portugal. De momento estou em Inglaterra e só tenho isto a dizer: a mim não me compensa pelo dinheiro que estou a ganhar e as despesas que tenho cá! Já sem contar com o que deixei em Portugal!Para nem falar das saudades de tudo, que isso é mais que muito! Depois de pagar tudo cá fico com um ordenado igual ao de Portugal! E depois tenho de contribuir para as despesas de Portugal!
E não sei de onde tiraram a ideia de que aqui as coisas são mais baratas porque não o são!C#g#r é bem caro pois nunca vi papel higiénico a este valor, muito menos ter de dar mais de 2 euros por um quilo de maçãs quanto mais pagar uma maçã a 0.60 cêntimos!! Não digo que haja coisas mais em conta mas eu nunca gastei tanto em supermercado como cá!O peixe é carissimo e as carnes não valem nada!Pãozinho decente nem existe!
Por isso te digo, pensa muito bem pois imigrar já não é o que era!Eu estou desejosa de voltar a Portugal!
Boas escolhas

claudia_mimi
Retrato de claudia_mimi
Offline
Desde: 29.07.2009
Desejo boa sorte a todos os

Desejo boa sorte a todos os corajosos(as)que foram a procura de uma vida melhor.
Tambem gostava de fazer o mesmo,mas tenho receios e o que me prende por cá é precisamente a questão de ter "bens" por ca,nomeadamente hipotecas de casas ao banco!
Deve ser bem mais complicado ganhar para pagar despesas por cá e em simultaneo fazer a vida no país onde estamos.
Muitas felicidades a todos!

Vingadora33
Retrato de Vingadora33
Offline
Desde: 15.11.2011
Olá a todos : ) Gostaria de

Olá a todos : )
Gostaria de saber como estão a correr as vossas vidas..De quem emigrou e de quem ficou..Isto não está nada fácil,a luta é diária,a esperança devia ser a última a morrer mas desvanece dia após dia.Eu sou daquelas que se tivesse tido alguma proposta de trabalho lá fora já tinha feito as malas,pois isto aqui tá deprimente..Mas como ainda não tive nenhuma oportunidade nesse sentido só tenho que me contentar com o que temos ,ou não temos e viver dia após dia..com o respectivo sofrimento do receio pelo dia de amanhã..
Digam coisas,partilhem,é giro saber como estão as coisas em varias partes do mundo!
Beijinhos e tudo de bom Piscar o olho

CCarmoS
Retrato de CCarmoS
Offline
Desde: 07.07.2010
Olá a todos

Aqui na Noruega a vida corre bem, nestes 2 meses queixas só do frio e da falta de sol e de café decente...
Falta café, azeite, fruta e legumes com a qualidade a que estamos habituados. Dos preços nem vale a pena falar, são uma exorbitância mesmo... Mas temos de comer, estou a tentar habituar-me a não pensar em euros para não perder a vontade de comprar!
Mas em compensação a carne, peixe e lacticínios são muito bons, sobretudo o peixe.

Ontem começamos a frequentar o curso de norueguês, é muito importante aprender a língua e é bom conhecer pessoas novas. No grupo há 7 portugueses e 3 espanhóis, assim até custa menos!

Apesar da distância e da saudade, quando leio as notícias sobre Portugal sinto cada vez mais que foi uma decisão acertada, MAS não aconselho ninguém a emigrar sem contrato ou prespectivas reais de arranjar trabalho. Não é por o país estar mal que lá fora as coisas são melhores, na maioria dos casos talvez não sejam mesmo.

Sandra- Silva
Retrato de Sandra- Silva
Offline
Desde: 13.09.2012
ola

ola procuro trabalho em frança na regiao de paris ( arredores) se me pudesse ajudar ficaria eternamente agradecida... obrigada

loucapormodaebeleza
Retrato de loucapormodaebeleza
Offline
Desde: 19.10.2012
Mudar de país

Recomendo a todos que mudem de país que tenham noção para onde vão e o que vão fazer. Onde vão morar etc. Há países e países. Para mudar façam por escolher um país que tenham facilidades, seja a língua ou alguém conhecido. E além disso locais seguros e tranquilos. Vivo na Suiça e cada vez conheço mais pessoas que decidem vir para cá, uma nova geração, mais formados e capazes, mas também outros sem conhecimentos básicos de língua e localização. Há que prever a chegada e tentar pelo menos aprender um pouco da língua e cultura, há que respeitar costumes e não fazer disto o seu quarto de arrumos, onde limpam wc e falam alto, para no Verão ir a casa de BMW. Aqui consegue-se ter uma vida digna, todos os empregos são aceites. Um homem que trabalhe na construção ganha tanto como um médico.
Para outros deixo outro conselho, sejam reservados e coerentes, a geração antiga ganhou muito nestes países, e vêm qualquer outro português como ameaça. Eu própria vivi isso, e já conhecia o país muito antes dessas pessoas, pelas férias de verão e natal aqui e mesmo assim via os olhares, de inveja e reprovação porque não me limitava a ficar presa em quatro paredes. Invistam em vocês e venham com a ajuda de alguém, de confiança.

Daniela2011
Retrato de Daniela2011
Offline
Desde: 20.11.2010
Para quem quer sair de Portugal

loucapormodaebeleza escreveu:
Recomendo a todos que mudem de país que tenham noção para onde vão e o que vão fazer. Onde vão morar etc. Há países e países. Para mudar façam por escolher um país que tenham facilidades, seja a língua ou alguém conhecido. E além disso locais seguros e tranquilos. Vivo na Suiça e cada vez conheço mais pessoas que decidem vir para cá, uma nova geração, mais formados e capazes, mas também outros sem conhecimentos básicos de língua e localização. Há que prever a chegada e tentar pelo menos aprender um pouco da língua e cultura, há que respeitar costumes e não fazer disto o seu quarto de arrumos, onde limpam wc e falam alto, para no Verão ir a casa de BMW. Aqui consegue-se ter uma vida digna, todos os empregos são aceites. Um homem que trabalhe na construção ganha tanto como um médico.
Para outros deixo outro conselho, sejam reservados e coerentes, a geração antiga ganhou muito nestes países, e vêm qualquer outro português como ameaça. Eu própria vivi isso, e já conhecia o país muito antes dessas pessoas, pelas férias de verão e natal aqui e mesmo assim via os olhares, de inveja e reprovação porque não me limitava a ficar presa em quatro paredes. Invistam em vocês e venham com a ajuda de alguém, de confiança.

Eu decidi deixar Portugal e partir para o Canada . A maior desilusão o povo Português. Acrescento a este comentario invistam em vocês , em aprender a língua a inter-agir com os nativos do País , porque se ficarem junto das comunidades Portuguesas estão perdidos . No meu caso tudo que passei de mau veio de Portugueses . A minha sorte foi sempre , mas sempre procurar conhecimento junto das Autoridades Canadianas .
O que existe de diferente no Canada ? Ter esperança de dias melhores , em Portugal isso desapareceu .

El_Lobo
Retrato de El_Lobo
Offline
Desde: 11.11.2010
....

Daniela2011 escreveu:
. A maior desilusão o povo Português. Acrescento a este comentario invistam em vocês , em aprender a língua a inter-agir com os nativos do País , porque se ficarem junto das comunidades Portuguesas estão perdidos . No meu caso tudo que passei de mau veio de Portugueses .

Não concordo de todo e acho que é preciso distinguir o fenómeno da emigração portuguesa dos anos 60/70 do fenómeno da emigração portuguesa a que se assiste actualmente.

Antigamente emigravam pessoas com uma mentalidade algo fechada, conservadora, com pouca (ou nenhuma) escolaridade, que mal chegavam ao país de acolhimento se concentravam nos bairros e comunidades portuguesas, trabalhavam de sol a sol com a ideia de voltar a Portugal e aqui comprar uma vivenda e montar um negócio e passavam propositadamente dificuldades, privando-se de luxos, mal se integrando no país de destino e pouco se preocupando em assimilar a sua língua e idioma.

Hoje é bastante diferente: temos uma emigração jovem sobretudo qualificada, ao nível de licenciaturas, mestrados e doutoramentos, com um trunfo de dois ou três idiomas, que se falam bem e com uma classificação intermédia/alta na escala europeia, uma mentalidade mais aberta de integração no país de destino e assimilação da sua cultura, incluindo também casar e constituir família com os nativos desse país, perspectivas de compra de carro, casa, de uma boa remuneração, de não se ser privado de poucos luxos, de não ter a mentalidade de enviar muitas remessas para Portugal e até de nem regressar.

Também penso que não se pode fazer tábua rasa da tua má experiência com a emigração, para nela pregar e crucificar todo o fenómeno emigratório, vendo-o como algo pejorativo, pouco benéfico e não compensatório.

Na verdade, a emigração de ser um prejuízo é-o sempre para o país de origem e não para o país de destino.
É-o para o país de origem porque perde população jovem, perde população que não vai descontar e ajudar a pagar as pensões dos mais idosos, vai inverter a pirâmide etária e a mão-de-obra qualificada que emigra representa uma mais-valia criada para o país de destino pelo facto de o Estado ter investido na formação dos seus cidadãos, usando estes as suas qualificações e conhecimentos técnicos/científicos em prol dum terceiro Estado.

Ainda não emigrei, embora tencione fazê-lo a curto/médio, mas vivi um ano lá fora e não tive razão de queixa. Caí lá de pará-quedas, sozinho, sem amigos e sem ninguém e a verdade é que me consegui integrar no país de destino, com nativos desse país, fiz lá amigos, namorada nativa e assimilei os seus costumes e tradições no meu dia-a-dia, tanto que ainda hoje sinto meio espanhol em algumas coisas. Piscar o olho

Acho que quem vai viver para outro país deve aplicar a velha máxima do "em Roma sê romano".
Lá fora as pessoas não vêm ter connosco, não têm que lutar pela nossa aceitação e estão sempre de pé atrás. Nós é que com a educação, a postura, as acções e os valores é que temos que lutar para nos integrarmos e sermos aceites pelos nativos do país, coisa que se fizermos bem, não tardarão em ver-nos como "uno de los suyos". Piscar o olho

(2005 - 2014) - Victoria et Pertinacia

sarahjane
Retrato de sarahjane
Offline
Desde: 28.10.2012
Vida nova

Connosco esta a ser assim: Chegamos à França há 5 meses, tambem cheios de sonhos, pensamentos positivos, esperanças...eu, o meu marido e o n/filho de 2 anos e meio.
Em Portugal tinhamos uma empresa que durante 12 anos foi o n/meio de subsistencia e que nos proporcionou uma vida bastante desafogada, mas durante os ultimos 3 anos as coisas foram-se modificando...diminuiçao de trabalho, clientes que nao pagavam...ou melhor, muitos clientes que nao pagavam mesmo nada!!o nosso pézinho de meia que estava a evaporar-se para fazer face às despesas, ordenados do pessoal, seg social, os fornecedores......... enfim, um dia acordámos e chegámos à conclusao que continuar assim seria a nossa ruina total. Pelo n/filho, nao podiamos continuar assim e tomamos a dificil decisao de deixar Portugal. Muito tristes e desiludidos com o nosso pais natal.

Troquei a secretaria e o computador pela esfregona e vassoura e o meu marido conseguiu trabalho numa empresa de trabalho temporario. Demoramos 4 meses a conseguir alugar um apartamento.

Se esta a ser facil?? nao, nao esta. As saudades custam muito e por vezes tambem penso que ao afastar o meu filho das pessoas que o amam, lhe estou a tirar muito. Mas ao mesmo tempo sei que temos que fazer isto por ele.
Se estivesse em Portugal, provavelmente nao teriamos trabalho, e nem um cantinho para vivermos dignamente.
Aqui a vida tb é cara, mas há trabalho, as coisas fluem...
Coloquei um anuncio para limpezas num site e em menos de 30 min recebi 4 chamadas.
Ganha-se bem a fazer limpezas. Nao é o que eu queria, mas estou grata pelo que tenho e faço-o com alegria.Pelo menos agora vivemos outra vez e dormimos bem, ao contrario dos ultimos 2/3 anos em que nao faziamos outra coisa a nao ser matar a cabeça com contas e a pensar que podemos pagar ao fornecedor X mas já nao dá para ir às compras nem para comprar leite para o n/filho.

É com este pensamento positivo que tentamos acordar todos os dias, muito gratos a Deus por estarmos os 3 juntos e com saude e isso é uma grande felicidade. O nosso filhinho é que nos da força...e isto tudo que estamos a pasar vai valer a pena, eu sei que vai!!!

Tambem vos digo uma coisa, nao somos aquele tipo de emigrante que esta ca so a pensar em amealhar amealhar, a pensar em Agosto e a comer bolos de bacalhau a semana inteira para poupar, nao isso nao.Penso que muitas vezes isso é que torna a vida do emigrante mais dificil, viver 11 meses só a pensar num unico mes - Agosto. Ha que manter a mente aberta, dar uma oportunidade às coisas boas que aqui tambem existem. Nos vivemos, passeamos muito nos fins de semana e proporcionamos ao nosso filho o maximo de experiencias que podemos...a vida nao volta atras, o meu filho nao volta a ter a idade que tem hj...

Daniela2011
Retrato de Daniela2011
Offline
Desde: 20.11.2010
El -Lobo

Terá a sua opinião fundamentada na sua experiência. Agora , a minha experiência diz-me outra realidade bem diferente .E acredite nada tem haver com a emigração passada ou futura Sorriso

Daniela2011
Retrato de Daniela2011
Offline
Desde: 20.11.2010
O retrato da realidade.

sarahjane escreveu:
Connosco esta a ser assim: Chegamos à França há 5 meses, tambem cheios de sonhos, pensamentos positivos, esperanças...eu, o meu marido e o n/filho de 2 anos e meio.
Em Portugal tinhamos uma empresa que durante 12 anos foi o n/meio de subsistencia e que nos proporcionou uma vida bastante desafogada, mas durante os ultimos 3 anos as coisas foram-se modificando...diminuiçao de trabalho, clientes que nao pagavam...ou melhor, muitos clientes que nao pagavam mesmo nada!!o nosso pézinho de meia que estava a evaporar-se para fazer face às despesas, ordenados do pessoal, seg social, os fornecedores......... enfim, um dia acordámos e chegámos à conclusao que continuar assim seria a nossa ruina total. Pelo n/filho, nao podiamos continuar assim e tomamos a dificil decisao de deixar Portugal. Muito tristes e desiludidos com o nosso pais natal.

Troquei a secretaria e o computador pela esfregona e vassoura e o meu marido conseguiu trabalho numa empresa de trabalho temporario. Demoramos 4 meses a conseguir alugar um apartamento.

Se esta a ser facil?? nao, nao esta. As saudades custam muito e por vezes tambem penso que ao afastar o meu filho das pessoas que o amam, lhe estou a tirar muito. Mas ao mesmo tempo sei que temos que fazer isto por ele.
Se estivesse em Portugal, provavelmente nao teriamos trabalho, e nem um cantinho para vivermos dignamente.
Aqui a vida tb é cara, mas há trabalho, as coisas fluem...
Coloquei um anuncio para limpezas num site e em menos de 30 min recebi 4 chamadas.
Ganha-se bem a fazer limpezas. Nao é o que eu queria, mas estou grata pelo que tenho e faço-o com alegria.Pelo menos agora vivemos outra vez e dormimos bem, ao contrario dos ultimos 2/3 anos em que nao faziamos outra coisa a nao ser matar a cabeça com contas e a pensar que podemos pagar ao fornecedor X mas já nao dá para ir às compras nem para comprar leite para o n/filho.

É com este pensamento positivo que tentamos acordar todos os dias, muito gratos a Deus por estarmos os 3 juntos e com saude e isso é uma grande felicidade. O nosso filhinho é que nos da força...e isto tudo que estamos a pasar vai valer a pena, eu sei que vai!!!

Tambem vos digo uma coisa, nao somos aquele tipo de emigrante que esta ca so a pensar em amealhar amealhar, a pensar em Agosto e a comer bolos de bacalhau a semana inteira para poupar, nao isso nao.Penso que muitas vezes isso é que torna a vida do emigrante mais dificil, viver 11 meses só a pensar num unico mes - Agosto. Ha que manter a mente aberta, dar uma oportunidade às coisas boas que aqui tambem existem. Nos vivemos, passeamos muito nos fins de semana e proporcionamos ao nosso filho o maximo de experiencias que podemos...a vida nao volta atras, o meu filho nao volta a ter a idade que tem hj...

Isto è a realidade de muitos emigrantes , foi no passado e é no presente ....

A diferença é que no passado chegavam com o garrafão e a trouxa hoje vêem com o seu Portátil e Ipad , mas o sitio onde vão parar é o mesmo .

El_Lobo
Retrato de El_Lobo
Offline
Desde: 11.11.2010
....

Daniela2011 escreveu:
Terá a sua opinião fundamentada na sua experiência. Agora , a minha experiência diz-me outra realidade bem diferente .E acredite nada tem haver com a emigração passada ou futura Sorriso

Não é baseada na minha experiência, mas apenas penso que tua experiência, apresentando uma realidade diferente não pode ser usada para construir leis de valor universal sobre a emigração nem para lhe rogar más pragas. Não se pode tomar a parte pelo todo e felizmente nem todas as histórias de emigração são frustrantes como as que dizes conhecer... Piscar o olho

(2005 - 2014) - Victoria et Pertinacia

El_Lobo
Retrato de El_Lobo
Offline
Desde: 11.11.2010
....

Daniela2011 escreveu:

A diferença é que no passado chegavam com o garrafão e a trouxa hoje vêem com o seu Portátil e Ipad , mas o sitio onde vão parar é o mesmo .

E qual é o sítio onde vão parar? Eu não consigo perceber o porquê de tanto ódio e rancor aos compatriotas emigrantes que fazes transparecer nos teus comentários sobre emigração.
Nem todos os portugueses emigram para trabalhar nas obras e para limpar casas como disseste acima que era o que esperava a uma pessoa que pretende emigrar com a esposa.

Isso, a meu ver, é uma visão retrógrada e ultrapassada. Também há ENGENHEIROS, MÉDICOS, ADVOGADOS, ECONOMISTAS, ENFERMEIROS, FISIOTERAPEUTAS, ASTRÓNOMOS, AGRÓNOMOS, ENÓLOGOS, TRADUTORES,etc,etc - a lista não tem fim - pessoas formadas em todas as áreas, que ainda falam e escrevem bem o seu idioma, e a trabalhar nas mesmas fora de Portugal.

Nem toda a gente emigra para o Canadá e vai viver para debaixo da ponte, visão essa deprimente e demasiado pessimista que deixas transparecer. O Canadá já não é um destino de emigração como outrora e já foi preterido por Angola, Macau, Reino Unido, Brasil, Alemanha, China, etc, países estes onde os portugueses ainda vão conseguindo encontrar emprego na sua área de formação, bem remunerados e sucedidos e não a viver em guetos nem debaixo da ponte...

Por fim, não penso que a diferença esteja no garrafão de vinho ou no Ipad, mas no facto de os actuais portugueses emigrantes ainda conseguirem falar e escrever minimamente bem no seu idioma, bem como no idioma do país de destino. Piscar o olho

(2005 - 2014) - Victoria et Pertinacia

danielafcarvalho
Retrato de danielafcarvalho
Offline
Desde: 23.04.2012
:)

Vejam o programa Portugueses pelo Mundo retrata um pouco do que é a emigração e na maior parte dos casos não estão a limpar casas, que não é vergonha nenhuma é trabalho igual aos outros, e têm uma vida confortável...Quando as pessoas não sabem a língua e não tem uma mentalidade aberta é mais difícil mas também é verdade que os portugueses, alguns, podem ser invejosos...

El_Lobo
Retrato de El_Lobo
Offline
Desde: 11.11.2010
....

danielafcarvalho escreveu:
Vejam o programa Portugueses pelo Mundo retrata um pouco do que é a emigração e na maior parte dos casos não estão a limpar casas, que não é vergonha nenhuma é trabalho igual aos outros, e têm uma vida confortável...Quando as pessoas não sabem a língua e não tem uma mentalidade aberta é mais difícil mas também é verdade que os portugueses, alguns, podem ser invejosos...

Eu acho que a Daniela2011 ainda tem uma visão da emigração portuguesa presa aos modelos dos anos 60/70, do casal jovem oriundo das vilas e aldeias portuguesas, pouco instruído em termos de escolaridade e que tentavam a sua sorte lá fora a trabalhar nas obras, na jardinagem, nas fábricas e elas como empregadas domésticas. Entretanto tinham filhos e voltavam a Portugal de tempos a tempos para comprarem um terreno, construírem uma moradia e um dia regressarem e viver com a reforma do país de destino e com o que pudessem dum negócio como mecânico, abrindo uma pastelaria,etc.

Hoje isto praticamente já não acontece. O perfil do actual emigrante português mudou e mudou bastante. Os tempos são outros e a mentalidade do actual português emigrante, nascido num Estado de Direito Social é completamente diferente. Já se afirma socialmente, já tem consciência dos seus direitos, dos seus valores, do seu valor e formação pessoal, já fala outros idiomas e maneja com facilidade as tecnologias, tem acesso à informação e é mais aventureiro, já é ambicioso e não pretende um emprego de cavalariça, mas de chefia, de brio, de prestígio e gosta de viver bem e ter acesso a pequenos luxos...

(2005 - 2014) - Victoria et Pertinacia

Maria Radiante
Retrato de Maria Radiante
Offline
Desde: 08.08.2009
acho que a experiência (boa

acho que a experiência (boa ou má, depende de muitas coisas). Os meus tios foram (ela) para as limpezas e (ele) para motorista. Foi o meu primo mais novo quem abriu caminho para os pais (tinha 18 anos e queria trabalhar) quando foi recrutado para a disney; já a minha prima é licenciada em educação de infância e está a exercer a profissão num infantário privado (no público pagavam-lhe menos e ela OPTOU pelo privado). estão todos em frança e estão bem. a mentalidade dos meus tios ainda é a de juntar para regressar, a minha prima mora lá (detesta estar longe da sua verdadeira casa, mas isso vai da personalidade de cada um, esteve colocada nos açores e ao fim de 3 dias queria desistir por isso mesmo) e faz a sua vida normal, não se priva de nada para poder juntar para um terreno em portugal (até porque sempre o teve).

Daniela2011
Retrato de Daniela2011
Offline
Desde: 20.11.2010
el lobo

El_Lobo escreveu:
Daniela2011 escreveu:

A diferença é que no passado chegavam com o garrafão e a trouxa hoje vêem com o seu Portátil e Ipad , mas o sitio onde vão parar é o mesmo .

E qual é o sítio onde vão parar? Eu não consigo perceber o porquê de tanto ódio e rancor aos compatriotas emigrantes que fazes transparecer nos teus comentários sobre emigração.
Nem todos os portugueses emigram para trabalhar nas obras e para limpar casas como disseste acima que era o que esperava a uma pessoa que pretende emigrar com a esposa.

Isso, a meu ver, é uma visão retrógrada e ultrapassada. Também há ENGENHEIROS, MÉDICOS, ADVOGADOS, ECONOMISTAS, ENFERMEIROS, FISIOTERAPEUTAS, ASTRÓNOMOS, AGRÓNOMOS, ENÓLOGOS, TRADUTORES,etc,etc - a lista não tem fim - pessoas formadas em todas as áreas, que ainda falam e escrevem bem o seu idioma, e a trabalhar nas mesmas fora de Portugal.

Nem toda a gente emigra para o Canadá e vai viver para debaixo da ponte, visão essa deprimente e demasiado pessimista que deixas transparecer. O Canadá já não é um destino de emigração como outrora e já foi preterido por Angola, Macau, Reino Unido, Brasil, Alemanha, China, etc, países estes onde os portugueses ainda vão conseguindo encontrar emprego na sua área de formação, bem remunerados e sucedidos e não a viver em guetos nem debaixo da ponte...

Por fim, não penso que a diferença esteja no garrafão de vinho ou no Ipad, mas no facto de os actuais portugueses emigrantes ainda conseguirem falar e escrever minimamente bem no seu idioma, bem como no idioma do país de destino. Piscar o olho

Pois bem , cheguei ao Canada há 6 meses sei falar o idioma ,não estou a fazer limpezas sou governanta que vai dar ao mesmo . Quando cheguei a Toronto o meu primeiro instinto foi ir para junto dos Portugueses e lá aluguei um quarto , posso dizer que aquilo não era um quarto nem uma casa era um barraco , para ir para melhor só se gastasse todas as poupanças que trouxe de Portugal ,da Senhoria ate ameaças tive do tipo ou das-me mais 150 dólares ou chamo a policia , um amigo meu padeiro foi preso pela emigração porque uma colega portuguesa fez queixa dele .Depois disso fui pedir apoio a um gabinete que o estado Canadiano tem para ajudar recém -chegados existe pessoas de todas as nacionalidades para ajudar apareceu-me uma Portuguesa que me disse :"O Canada é para gente forte e trabalhadora quem quer malandrar que vá para Portugal" . Continua a chegar gente licenciada sim e terão a sua oportunidade como eu tive e vou melhorando dia após dia , mas ate isso acontecer tenho visto e sentido muita lágrima, sim eu vou ter a minha oportunidade mas para isso vou pagar 10 mil dólares ao governo canadiano numa escola para me dar o mesmo curso que tinha em Portugal .Chega el lobo ? Como típico Português que é , fala sem saber e fala baseado naquilo que ouve , venha conhecer a realidade na dufferin Toronto e depois venha dar a sua opinião .
Pois emigrar para a Espanha è o quê neste momento ir a Lisboa ? Para si emigrar para a Europa è que é ? Nunca mas nunca faria uma nova adaptação num Países que não tivesse a certeza de crescimento económico viável que é a Europa , pois os chineses estão a domina-la e quando isso acontecer ponham todos a mão á cabeça . Eu fiz a minha escolha conheço a Europa e o Brasil e a minha escolha foi baseada na justiça e nas oportunidades iguais para todos que no Canada existem mas para isso precisamos de passar por todo um processo duro , mas todos tem de o passar , não porque ouvi dizer qual era o destino preferido dos Portugueses as minhas escolhas são baseados naquilo que avalio por mim e não por aquilo que ouço .Tem sido duro mas não me arrependo foi uma escolha de 3 anos.

danielafcarvalho
Retrato de danielafcarvalho
Offline
Desde: 23.04.2012
:)

As pessoas falam consoante as experiências que têm e as que ouvem, claro que uma coisa é vivê-las e outra ouvir. Mas isso não é só com a questão de emigrar. Claro que não é fácil habituar-se a uma nova vida, língua diferente cultura diferente, rotinas diferentes.
Mas por se ter contra-tempos durante esse percurso não quer dizer que as pessoas sejam todas iguais e estejam no mesmo saco. E as pessoas às vezes é que deviam deixar de ser tão amarguradas e viverem a vida, sendo que não se arrependem das escolhas que fizeram!

El_Lobo
Retrato de El_Lobo
Offline
Desde: 11.11.2010
....

Daniela2011 escreveu:

Pois bem , cheguei ao Canada há 6 meses sei falar o idioma ,não estou a fazer limpezas sou governanta que vai dar ao mesmo . Quando cheguei a Toronto o meu primeiro instinto foi ir para junto dos Portugueses e lá aluguei um quarto , posso dizer que aquilo não era um quarto nem uma casa era um barraco , para ir para melhor só se gastasse todas as poupanças que trouxe de Portugal ,da Senhoria ate ameaças tive do tipo ou das-me mais 150 dólares ou chamo a policia , um amigo meu padeiro foi preso pela emigração porque uma colega portuguesa fez queixa dele .Depois disso fui pedir apoio a um gabinete que o estado Canadiano tem para ajudar recém -chegados existe pessoas de todas as nacionalidades para ajudar apareceu-me uma Portuguesa que me disse :"O Canada é para gente forte e trabalhadora quem quer malandrar que vá para Portugal" . Continua a chegar gente licenciada sim e terão a sua oportunidade como eu tive e vou melhorando dia após dia , mas ate isso acontecer tenho visto e sentido muita lágrima, sim eu vou ter a minha oportunidade mas para isso vou pagar 10 mil dólares ao governo canadiano numa escola para me dar o mesmo curso que tinha em Portugal .Chega el lobo ?

Mas chega o quê? A mim não me parece nada de mais, mas apenas o caso de quem emigrou precipitadamente, sem ter tudo devidamente planeado e com uma mão à frente e outra atrás, tendo tido a infelicidade de se cruzar com pessoas duvidosas. Mas boas e más pessoas há em todo lado. Gente para nos f...lixar a vida também há no próprio país, no mesmo prédio, na mesma família, no mesmo grupo de amigos e/ou na mesma casa. Não fiquei minimamente chocado e apenas me pareceu que emigraste à pressa sem ter as coisas bem planeadas, mas isso não serve para TODA a emigração. O teu caso é apenas um caso e felizmente não é muito grave nem é regra geral...

Daniela2011 escreveu:
Como típico Português que é , fala sem saber e fala baseado naquilo que ouve , venha conhecer a realidade na dufferin Toronto e depois venha dar a sua opinião .

Como típico português? Wtf?! Tu não és portuguesa? És canadiana, queres ver...Até já escreves com "è" tipo os franceses e tudo. Gargalhadas
O francês é idioma co-oficial no Canadá não é?
Não entendo o porquê deste comentário, mas estou em crer que se calhar não são más as pessoas que tens encontrado no Canadá, mas que se calhar és tu com esta postura pouco simpática e algo azeda que te impede de te integrares devidamente. Já pensaste nisso?
Eu não preciso de ir para Toronto para saber o que é ser emigrante. Já vivi lá fora, já senti na pele, nos primeiros tempos o que é ser um "extranjero" ou na gíria espanhola um "jiri" e como não é o mesmo estarmos no nosso país do que noutro. No entanto, não tenho uma postura frustrada em relação aos portugueses nem à emigração.
Toda a gente tem família, amigos e conhecidos emigrados e acompanha-se de perto a emigração.

Por outro lado, as pessoas são minimamente instruídas e com conhecimento das coisas e não é preciso estar-se há meia dúzia de meses no Canadá para achar que já se sabe o que é e o que custa a vida e a emigração. Não são esses poucos meses frustrantes que tens passado que ditam a realidade da emigração nem que fazem de ti provedora da emigração no fórum. Ao que me parece, ainda precisas de muitos mais 6 meses para perceber realmente o que tal significa e quiçá para assimilar a cultura do país de destino. Sorriso

Por fim, tenho, como qualquer pessoa, uma opinião sobre as coisas e não podes atacá-la, tendo falta de argumentos, com falácias formais dizendo que sou como o típico português que fala sem saber. Isso não é resposta nem argumento válido.
Se não concordas com uma opinião, basta contrariá-la indicando argumentos contrários. Agora não se pode é seguir essa via dos argumentos "ad hominem". Piscar o olho

Daniela2011 escreveu:

Pois emigrar para a Espanha è o quê neste momento ir a Lisboa ? Para si emigrar para a Europa è que é ? Nunca mas nunca faria uma nova adaptação num Países que não tivesse a certeza de crescimento económico viável que é a Europa , pois os chineses estão a domina-la e quando isso acontecer ponham todos a mão á cabeça .

Não não é ir para Lisboa, mas para outro país. Do pouco que conheço de Lisboa até acho que me adaptaria melhor numa qualquer grande cidade espanhola. Piscar o olho

Para mim emigrar na Europa é ir para outro país europeu. Não percebi a lógica da pergunta... Confuso Confuso

Nunca farias a adaptação noutro país se não tivesses certeza do crescimento económico viável que é a Europa porque os chineses estão a dominá-la? Han??! Podias explicar o que quiseste dizer? Confuso Confuso Confuso

E podes tratar-me por tu. Cai-me mal que me tratem por você com o intuito de mostrar distância. Piscar o olho

(2005 - 2014) - Victoria et Pertinacia

sarahjane
Retrato de sarahjane
Offline
Desde: 28.10.2012
:((

Daniela2011 "A diferença é que no passado chegavam com o garrafão e a trouxa hoje vêem com o seu Portátil e Ipad , mas o sitio onde vão parar é o mesmo ."

Realmente Daniela2011 tambem nao percebi Triste "...o sitio onde vao parar é o mesmo"?????¿¿¿¿¿

aravia
Retrato de aravia
Offline
Desde: 11.08.2012
sarahjane

excluir

Opções de visualização dos comentários

As alterações efectuadas serão aplicadas a todos os tópicos.