Casamento, o que fazer? | A Nossa Vida

Casamento, o que fazer?

Retrato de Lili F
26.03.2017 | 22:37
Lili F:
Membro desde: 07.07.2008

Boa noite a todos,

Tal como muitos de vós venho aqui escrever porque já não sei o que fazer e preciso de alguém com quem falar sobre este assunto de difícil trato com familiares ou amigos.

Estou casada há quase 6 anos com o único homem que amei. A nossa relação começou bem cedo tinha eu 15 anos e ele 18, desde então nunca mais nos separamos. Eu tenho 28 anos e ele 31 e temos um filho pequeno. Tudo normal até aqui... (e talvez nem haja nada de anormal...)

O que acontece é que estamos numa fase (ou sempre estivemos??) em que não passamos mais de dois dias sem uma grande discussão e nos fins de semana a coisa piora. Nos somos muito diferentes, mas sempre acreditei que isso nao fosse impedimento de sermos felizes.

Mas sinto-me muito mal pois o grande problema, entre outros, é não que sinto que haja uma entrega leal por parte do meu marido ao nosso casamento, à nossa família. Isso gera discussões, pois ele toma decisões sem me consultar e tenta manipular-me para nao me dar hipótese de dizer o que quer que seja, e se disser, ele passa a ser a vitima e eu nao o compreendo.
Quando digo decisões é em tudo, parece que nunca quer estar comigo, quando o faz parece obrigação / sacrifício. Acho, e já lho disse algumas vezes, que ele não é feliz comigo e sente sempre necessidade de "escapar". E dessa situação surge outro problema: não consigo confiar nele. Ele mente-me, e tenta manipular-me nas coisas mais simples, que eu possa não concordar, faz na mesma o que quer, sem qualquer lealdade ou consideração para comigo.

E eu pergunto, isto é um casamento??
É muito difícil confronta-lo com isto, há sempre desculpas e acaba sempre por me culpar.
Eu sei que não sou a mulher mais facil e acabo mesmo por pensar será culpa minha? Não sei responder, concerteza tenho grande parte da responsabilidade. Mas esforço-me e luto pela nossa relação, coisa que há muito nao vejo por parte dele. Não há mensagens, palavras carinhosas, elogios, muito menos flores ou algo do gênero. Para além de me sentir péssima esposa, sinto que nem valho a pena o esforço dele.
Acabamos por dormir muitas noites em quartos separados e as reconciliaçoes são cada vez mais difíceis e duram menos tempo...
No calor duma das discussões pedi-lhe o divórcio, e nao foi a primeira vez. Mas arrependo-me, tenho esperança, tento sempre acreditar que há solução para nós...

Desculpem o testamento e a confusão, mas também assim esta a minha cabeça. É difícil articular as ideias.

Obrigada a todos os que responderem...


Retrato de Alpha 1
Seg, 27/03/2017 - 01:53
Alpha 1:
Membro desde: 26.03.2017

Nunca me casei, mas tive algumas namoradas.

Quando há incompatibilidades a vários níveis, sim as discussões são mais frequentes. Sempre senti que é difícil voltar atrás em coisas que foram ditas e são frequentemente chamadas de novo em discussões. O saco vai enchendo, não se fica mais novo(a) e o fim já se sabe. Não sei se é isto que queres ouvir mas estou a ser o mais realista possível.

Para se estar bem durante muito tempo creio que é necessário uma diplomacia acima da média, ter atenção ao que se diz. A perfeição não existe e como tal não existem pessoas perfeitas.

Boa sorte.

Retrato de Clau Correia
Seg, 27/03/2017 - 09:00
Clau Correia:
Membro desde: 06.07.2012

Sinceramente acho que deves dar valor a ti e não te colocares abaixo dele. Se tu te esforças e não há o mesmo do lado dele então sugiro que comeces a priorizar a tua vida e a do teu filho.

Isso não é de todo o cenário de um casamento, é uma relação tóxica. Acho que deves mesmo pensar seriamente no que vais fazer, pelo teu bem!

Desculpa a frontalidade mas já vi (e vivi) relações tóxicas e nunca acaba bem.

Cláudia Correia

Retrato de MOPA
Seg, 27/03/2017 - 09:55
MOPA:
Membro desde: 23.06.2015

Olá!
Realmente num casamento tem que haver entrega por parte dos 2. A vinda de uma criança altera drasticamente a vida de um casal. Será que ele estava preparado para ser pai? Os primeiros tempos com um bébé são complicados... falta de descanso, falta de tempo para o casal, falta de tempo para a mulher que se tornou mãe, falta de tempo para o homem que se tornou pai, falta de paciência. Será que a Lili F não estará "presa" a uma pessoa que já não existe? ou seja, com os anos as pessoas mudam, o seu marido de hoje não é o mesmo de à 10 anos atrás...será que não ficou "presa" à imagem de uma pessoa que não corresponde ao que o seu marido é hoje? será que o que você sente por ele é o mesmo que ele sente por si?
É normal um casal discutir de vez em quando, mas discutir de vez em quando é diferente de discutir de 2 em 2 dias...eu de x em quando tenho uma troca mais acesas de palavras com o meu marido, mas essas "discussões" são espaçadas por meses...
Andam por aqui muitos "ses". Já experimentou falar com o seu marido sem ser a discutir? tipo sentarem-se à mesa e falarem sobre o que acham que está mal? tentarem arranjar soluções? ou se não conseguirem, talvez falarem com uma terapeuta de casal. Se houver amor por parte dos 2 há sempre solução. Quando o amor só vem de 1 das partes, já é mais complicado...
A minha sugestão é que falem os 2 sobre tudo o que lhes vai na alma e a partir daí construir caminhos...
Tudo a correr bem!
Mopa

Retrato de Lili F
Seg, 27/03/2017 - 10:07
Lili F:
Membro desde: 07.07.2008

Obrigada pelos comentários. Neste momento não sou capaz de tomar essa decisão, talvez mesmo por cobardia minha, mas ainda não me sinto preparada para uma separação. Não quero entrar no comodismo e no "deixa andar a ver no que dá". Eu amo-o muito, não tenho a certeza se me ama da mesma forma.

Vou tentar novamente algo que nos aproxime, tentar criar um clima mais ameno. Se não resultar não sei se irei continuar.

Ele queixa-se que sou demasiado critica e não o valorizo e talvez seja isso que o faz não mostrar que gosta de estar comigo, e tentar por vezes "escapar". Como disse, tenho uma personalidade também muito complicada.

Ele é um excelente pai, contribui em casa naquilo que pode, talvez se não o controlar nem cobrar tanto ele possa ser um melhor marido.

Mais uma vez desculpem a confusão. Penso que já deu para perceber que geralmente sou instável e de emoções fortes.

Tal como disseram acima, falta-me a tal diplomacia. O ter cuidado com as palavras. Isso a longo prazo massacra quem vive connosco. É acho que é neste ponto que ele se sente.

Veremos se havera evoluções.

Retrato de Lili F
Seg, 27/03/2017 - 10:15
Lili F:
Membro desde: 07.07.2008

Mopa entretanto vi o seu comentário e penso que passa sim por muito do que referiu. Talvez esteja presa a uma imagem de uma pessoa que já não existe (penso nisso muitas vezes)... Em realaçao a conversarmos sem ser a discutir, já tentamos inúmeras vezes, as vezes acabamos bem, outras pior ainda...

Sinto-me muito confusa, sei que o amo e quero manter a nossa família, mas as vezes custa-me acreditar que possamos ser felizes juntos. Parece que há mesmo incompatibilidade... Mas algo me puxa sempre para ele...

Obrigada pelos conselhos e desculpem mais uma vez a confusão.

Retrato de sophie mendes
Seg, 27/03/2017 - 11:09
sophie mendes:
Membro desde: 14.09.2015

Olá, ao ler o teu post identifiquei-me com algumas coisas e vou dar-te a minha opinião resumidamente. Eu estive casada 4 anos numa relação que considerei abusiva em muitos aspectos e no dia em que me fartei e pedi o divórcio saí de casa com a minha roupa enfiada em sacos do lixo e fui para a casa da minha mãe. Os primeiros dias foram horríveis, nem conseguia ir trabalhar, além de que tinha que tratar do divórcio, partilhas, etc. Ainda sentia algo por ele mas esse sentimento era pelo homem que conheci e não pelo que ele era agora. Acho que precisas de ter força e coragem para o deixar e dares uma oportunidade a ti mesma de seres feliz. Pensa nisso =)

Retrato de teixeira802
Seg, 27/03/2017 - 14:06
teixeira802:
Membro desde: 11.08.2014

só uma questão ?
têm dificuldades financeiras ?

Retrato de Lili F
Seg, 27/03/2017 - 16:38
Lili F:
Membro desde: 07.07.2008

Não temos grandes dificuldades financeiras, mas neste momento não temos grandes margens... no ano passado compramos uma moradia e estarmos também a pagar outra divida contraída para obras na casa. É um assunto que nos preocupa, mas não estamos sempre a pensar nisso...

Retrato de Lili F
Seg, 27/03/2017 - 16:38
Lili F:
Membro desde: 07.07.2008

Não temos grandes dificuldades financeiras, mas neste momento não temos grandes margens... no ano passado compramos uma moradia e estarmos também a pagar outra divida contraída para obras na casa. É um assunto que nos preocupa, mas não estamos sempre a pensar nisso...

Retrato de esteresteves
Seg, 27/03/2017 - 18:53
esteresteves:
Membro desde: 09.06.2016

Ola boa tarde, eu sei que tens lutado muito pelo teu casamento.
Eu acho que vale a pena continuar...
Olha, diz me o que ele diz exactamente de ti? quais são os defeitos qu e ele acha que tens?
Queres te dar bem com ele, tudo bem mas sem também perder a tua auto estima.
O que ele gosta de fazer? quais são os seus passatempos?
Que tipo de traços de carácter que não gostas nele?
Sempre foi assim?
Que fazeis ainda juntos?
Quais são as principais razões das vossas discussões?
tens que analisar o que esta bem e o que está mal. Agarra num caderno e escreve porque assim vais ter as ideias mais claras e chegar a algumas conclusões.
sabes que os casais e as pessoas perfeitas não existem...e ainda bem senão, a vida seria muito enfadonha.
O que estas pronta para aguentar?
Se queres te dar bem com ele, tens que escrever todas as coisas positivas que ele têm e valorizar mais estes aspectos.
E claro tentar falar quando os dois estiveram calmos.
Eu por experiência, sei não mudam muito mas conseguimos arranjar maneira de viver felizes com eles com maneiras e trucs para lidar com ele nos períodos menos bons.
Quando o meu homem tem aqueles acessos de nervos, eu faço pouco dele ou afasto-me simplesmente.
Eu sei que posso ser difícil as vezes tambem e ele tbem já sabes lidar comigo.
se não estas pronta para divorciar, então só te resta encontrar maneiras de ser feliz com ele.
Analisa tudo e faz um trabalho sobre ti porque se te amares e te conheceres, vai ser muito mais lidar com a vida.
cumprimentos.