A Cara metade existe mesmo?!

Retrato de andreia1980
05.01.2010 | 17:57
andreia1980:
Membro desde: 05.01.2010

Olá meninas:)

Namorei 7 anos (único namoro) dos 19 aos 26. O Namoro acabou - vários motivos que nem vale a pena lembrar (não estava destinado) - e agora passados 3 anos - nunca mais conhecia alguém que realmente "mexe-se" comigo. Mexer no sentido, de ter coisas em comum comigo.

Um dos problemas (e crucial)para o fim do meu namoro, foi que eu sempre sonhei com o casamento, como qualquer mulher, mas acima de tudo ser mãe e ter uma família - a minha família. E ele era o oposto de mim. Nunca falava do assunto, e fugia a 7 pés...

Não sou exigente - mas será assim tão difícil encontrar "o tal" - aquele que quererá partilhar a vida comigo? A felicidade de ver nascer um filho?

Ou será que o Homem está mesmo em vias de extinção? - Não acho nada normal ao fim de 3 anos, continuar sozinha! - Em determinadas alturas nem pensei muito no assunto - mas agora com mais um ano a começar - espero que a minha sorte mude - e que a felicidade exista!!

Eu quero muito ter um Tomás, ou uma Inês e para isso preciso do Pai:)

Príncipes encantados? Há por aqui?

Aceito inscrições Eehehhehh


Retrato de Catarina Neves
Ter, 05/01/2010 - 22:14
Catarina Neves:
Membro desde: 06.05.2008

... antes de mais, e como até nem precisas de um companheiro para escolher nomes para os teus filhos, creio que podes recorrer a uma clínica, para seres mãe Wink

Não leves a mal mas, com esse discurso, os homens fogem mesmo a 7 pés.

Um relacionamento é algo que se vai construindo. Não deves iniciar uma relação com ideias tão definidas sobre casamento, filhos, cão/gato, casa com piscina e férias na neve. Depois... o que é mais importante? Seres feliz com um homem 5* mas que APENAS E SÓ não quer casar, ou viver infeliz toda a vida, porque a pessoa com quem estás te fez a vontade?

Não sei que idade tens, mas seria importante que aumentasses essa auto-estima e percebesses que a qualquer momento podes esbarrar com alguém interessante.

E... lamento desiludir-te mas não há principes nem caras-metade Wink Há pessoas normais, de carne e osso, com defeitos e qualidades, com arestas para limar ;))) E isso sim é um desafio ;)))

Boa sorte ;)))

Retrato de CorpseBride
Ter, 05/01/2010 - 22:58
CorpseBride:
Membro desde: 02.10.2008

A Catarina já disse o que eu ia dizer (mania... Tongue ), mas há algo, uma pequenina coisa, que eu queria acrescentar: não planeies tanto. Wink

Quanto mais planos definimos para nós, maiores são as probabilidades de darem para o torto. Deixa a Vida fluir... Tens 29 anos, não é o fim do mundo.

Se calhar fazia-te bem repensares as tuas prioridades... Tu queres um homem com a finalidade de ser o pai dos filhos que queres ter, ou queres um homem que seja em primeiro lugar o teu companheiro para toda a vida? É que são coisas diferentes. Além do mais, imagina que te apaixonas perdidamente por um homem infértil? Não se pode/deve reduzir uma relação a filhos.

Pensa nisso. Wink

There are no flowers on your grave, there are no chains
There I keep chanting for the forgotten name

Retrato de nesvale
Qua, 06/01/2010 - 00:05
nesvale:
Membro desde: 09.01.2009

Eu não acredito nem em príncipes nem em caras metade! Concordo com a Catarina... há pessoas normais, com defeitos e qualidades, tal como nós!
Mas acredito no amor! Smile Acredito que quando menos esperamos acabamos por nos apaixanar e viver aqueles momentos cor-de-rosa! A questão é que depois a paixão passa e depois fica o amor, o respeito mútuo e a amizade. (O tal companheiro para a vida toda, de que fala a Corpse...) Mas em relações perfeitas eu não acredito! Toda a gente tem chatices, toda a gente gostava que o parceiro fosse melhor naquele pequeno pormenor ou no outro! Acho que o que importa é sermos felizes com aquilo que temos.
Quanto a esse teu namoro que acabou, acabou! Vira a página e abre os olhos porque o que não falta por aí é meninos a precisar de amor! Smile Mas concordo com elas... baixa as espectativas, calma com os planos e tem calma! Quando menos esperares tens uma surpresa! Wink

Um à parte... O meu primo, há uns anitos andava por aí a dizer que queria arranjar namorada e que era para casar. E arranjou (e também se chama Inês!), namoram há anos, já estão a fazer casa e casam no próximo ano! Smile Ele procurou e lá achou! Grin

Retrato de Imcosta
Qua, 06/01/2010 - 00:54
Imcosta:
Membro desde: 31.08.2008

Como te entendo... Realmente não há principes encantados.. o que há são realmente pessoas, umas com que é mais fácil nos identificarmos, outras nem por isso...

E descobrir aquelas com quem temos mais afinidades e sentimentos por vezes revela-se realmente difícil.

Podes não o sentir (eu sei que muitas vezes não o sinto e tenho 33) mas és realmente nova...

Os meus pais já fizeram 51 anos de casado e eu ainda cá estou, solteira.

O meu sonho de casar e ser mãe parece muitas vezes ilusão, chegando ao ponto de recentemente quase ter tomado decisões um pouco precipitadas para o tentar concretizar.

Retrato de flowerlune
Qua, 06/01/2010 - 01:13
flowerlune:
Membro desde: 09.02.2009
andreia1980 wrote:

Olá meninas:)

Namorei 7 anos (único namoro) dos 19 aos 26. O Namoro acabou - vários motivos que nem vale a pena lembrar (não estava destinado) - e agora passados 3 anos - nunca mais conhecia alguém que realmente "mexe-se" comigo. Mexer no sentido, de ter coisas em comum comigo.

Um dos problemas (e crucial)para o fim do meu namoro, foi que eu sempre sonhei com o casamento, como qualquer mulher, mas acima de tudo ser mãe e ter uma família - a minha família. E ele era o oposto de mim. Nunca falava do assunto, e fugia a 7 pés...

Não sou exigente - mas será assim tão difícil encontrar "o tal" - aquele que quererá partilhar a vida comigo? A felicidade de ver nascer um filho?

Ou será que o Homem está mesmo em vias de extinção? - Não acho nada normal ao fim de 3 anos, continuar sozinha! - Em determinadas alturas nem pensei muito no assunto - mas agora com mais um ano a começar - espero que a minha sorte mude - e que a felicidade exista!!

Eu quero muito ter um Tomás, ou uma Inês e para isso preciso do Pai:)

Príncipes encantados? Há por aqui?

Aceito inscrições Smile Eehehhehh

Estar sozinha não é sinónimo de anormalidade. Há quem preze o tempo que está sozinho para evoluir, em vários sentidos.

Neste momento, prezo bastante a minha "solidão" e não sinto necessidade que alguém se aproxime de mim porque me sinto bem como estou. Tranquila e a tentar viver um dia de cada vez (quando realmente as coisas andam calmas, sou capaz de encarar as coisas dessas forma).

Se abordares algum rapaz e, mal o estejas a conhecer, lhe digas que querias alguém para casar e ter filhos, vais espantar a "caça".

Retrato de CorpseBride
Qua, 06/01/2010 - 09:45
CorpseBride:
Membro desde: 02.10.2008
flowerlune wrote:

Se abordares algum rapaz e, mal o estejas a conhecer, lhe digas que querias alguém para casar e ter filhos, vais espantar a "caça".

Por outro lado, se é mesmo esse o objectivo dela, é melhor que lhes diga logo, a bem da honestidade... Não vá o rapaz pensar que está 'a salvo'. Tongue

Falaste bem quando disseste que o nosso tempo sozinhas pode ser aproveitado para nos valorizarmos. Smile Há muitas coisas das quais eu e o meu óme certamente abdicámos para podermos estar um com o outro, tanto a nível pessoal como profissional. Opções.

E lembrem-se sempre, todas: antes só do que mal acompanhada!! (alguém que me ponha isto a cheio, por favor, para que chame bem a atenção! Tongue )

There are no flowers on your grave, there are no chains
There I keep chanting for the forgotten name

Retrato de andreia1980
Qua, 06/01/2010 - 11:14
andreia1980:
Membro desde: 05.01.2010

Meninas:

O meu obrigada pelas vossas respostas.

Relativamente à minha relação e ao seu fracasso essa situação está superada... Passaram 3 anos, nem quero pensar nesse assunto. Dediquei 7 anos da minha vida a uma pessoa que não soube dar o valor, e isso para mim chegou.

Quando me refiro ao príncipe encantado não me refiro à figura de "lindo de morrer" entre outros atribuitos.

Falo sim , de pessoa simples, genuína, sincera, e que se assemelhe um pouco á minha forma de ser e estar perante a vida.

Sabemos que em LARGA percentagem - homens e mulheres nos dias de hoje, procuram apenas amizades coloridas, divertimentos, e pouca seriedade nas relações. - Claro que existem excepções.

Quando conheço alguém obviamente que não parto com a ideia - Olha lá oh tu - ficas a saber que quero casar e ter filhos - Nem faz sentido...

Falo sim... da dificuldade em encontrar pessoas disponíveis para se darem a conhecer, onde a sinceridade e simplicidade seja uma constante... foi isso tudo que não encontrei em 3 anos.

Não quer dizer que aceite namorar, com o 1º que me apareça, pois não me apaixono facilmente, mas às vezes, em dias assim mais cabisbaixos - também eu, sinto falta de alguém especial.

Andreia

Retrato de dca
Qua, 06/01/2010 - 11:21
dca:
Membro desde: 31.10.2007

Andreia é perfeitamente legítimo pensares assim.
A família é a base da sociedade e está cada vez mais em vias de extinção. O casamento é um dom e através dele pretendemos crescer no amor e constituir família. Eu acho que deves lutar por isso e só tens de saber esperar porque a altura de aparecer o príncipe encantado chegará certamente. Não deves forçar nada. Hoje entrou-se num mundo em que se procura o prazer momentaneo, daí que algumas pessoas se afastem quando se fala em casamento, em filhos, em responsabilidades. O homem actual não quer essas coisas porque so pensa no imediato. No entanto e no fundo eu penso que toda a gente pretende costituir familia num futuro proximo. Quem se imagina a chegar ao fim da vida sem família, sem mulher, sem marido? Acho que ninguém.
É a minha opinião

Retrato de CorpseBride
Qua, 06/01/2010 - 11:34
CorpseBride:
Membro desde: 02.10.2008
dca wrote:

Quem se imagina a chegar ao fim da vida sem família, sem mulher, sem marido? Acho que ninguém.

Acho que mais gente do que imaginas. Wink As mentalidades estão a mudar e já muita gente valoriza a sua existência por si só, sem precisar de outra pessoa para dar sentido a si própria.

There are no flowers on your grave, there are no chains
There I keep chanting for the forgotten name

Retrato de andreia1980
Qua, 06/01/2010 - 11:40
andreia1980:
Membro desde: 05.01.2010

Mas se pensarmos seriamente na questão "a frio" é triste.
Vamos pensar na nossa vida 10, 20 anos à frente ... sozinhas?
Chegar a casa e ter 4 paredes à espera (como me acontece);
Não ter com quem falar do dia a dia;

E filhos.. é justo ser mãe sozinha? - Ou melhor, será justo não dar a oportunidade a uma criança de ter um pai? Não é essa a base essencial para um crescimento saudável...

Só digo uma coisa, aqueles que encontrarão a felicidade, que prezem por ela... porque nada é eterno, nem ninguém é de ninguém...

Smile