Animal de estimação

17 respostas [Última]
estrelinhah
Retrato de estrelinhah
Offline
Desde: 02.09.2009

Boa noite,

Quero dar um animal de estimação à minha filha mas não sei qual.
Cão não porque não tenho disponibilidade de ensinar a ir à rua e é difícil adotar cães ensinados.

Gato também não devido ao fato de ela já ter sido arranhada por um e foi um susto que não quero voltar a passar Triste nem nós conseguíamos pegar nele que só bufava e atirava-se a nós.

Sugestões? Sorriso

P.s.-já temos peixinhos Careta

joanafrancisca
Retrato de joanafrancisca
Offline
Desde: 25.04.2012
...

um chinchila.

Sofy34
Retrato de Sofy34
Offline
Desde: 04.12.2012
....

estrelinhah escreveu:
Boa noite,

Quero dar um animal de estimação à minha filha mas não sei qual.
Cão não porque não tenho disponibilidade de ensinar a ir à rua e é difícil adotar cães ensinados.

Gato também não devido ao fato de ela já ter sido arranhada por um e foi um susto que não quero voltar a passar Triste nem nós conseguíamos pegar nele que só bufava e atirava-se a nós.

Sugestões? Sorriso

P.s.-já temos peixinhos Careta

Eu tenho gatos, cães, chinchilas, peixes, hamsters, papagaios,piriquitos ja tive coelhos e esquilos tbm. Se um cão e um gato não esta nas sua mente, posso sugerir os porquinhos da índia ou coelhos.
São óptimos animais de companhia para as crianças e vivem entre 8 -11 anos ( quase tanto como um cão). Agora há que ter em atenção do espaço que precisam , alimentação e cuidados semanais ( os de limpar a gaiola), falo por experiencia própria que o que no inicio parece ser muito giro depois para algumas pessoas torna-se um peso, e com as crianças o trabalho de limpar a gaiola acaba sempre por ir para a mãe.
Mas aconselho sempre a dar uma espreitadela pelos sites com informações viaveis sobre estes roedore, ou até ir as lojas de animais. Mas são sem dúvidas animais maravilhosos e doceis que fazem tanta companhia como um cão ou gato Piscar o olho

Sofy34
Retrato de Sofy34
Offline
Desde: 04.12.2012
http://porquinhos.no.sapo.pt/

http://porquinhos.no.sapo.pt/

Este site por exemplo está muito completo.
Boa Sorte Piscar o olho

deanna
Retrato de deanna
Offline
Desde: 11.12.2011
Gatos não são sinónimos de

Gatos não são sinónimos de arranhadelas Sorriso se adoptar um mais crescidinho (sem ser mesmo bebé), pode ver como é o comportamento dele e optar por um gato calmo e mimado. Normalmente as gatinhas tartarugas ou os gatinhos pretos têm tendência a ser mais doces (não desfazendo os outros).
Sou tendenciosa porque tenho gatos desde que sou gente, levei a minha conta de arranhadelas (por culpa minha muitas vezes), mas não há bichinhos mais doces.

SK.
Retrato de SK.
Offline
Desde: 14.08.2012
Olá! Os gatos se forem

Olá!

Os gatos se forem educados e habituados a mimos desde pequeninos são animais muito dóceis. Aprendem a não arranhar nem morder. E muito fáceis de cuidar.

Como outras opções tens hamster, porquinhos da índia, coelhos, ou até furões que são animais muito divertidos.

estrelinhah
Retrato de estrelinhah
Offline
Desde: 02.09.2009
-olá Obrigada a todas pelas

-olá

Obrigada a todas pelas respostas Espertalhão

A gatinha que atacou a minha filha tinha 3meses e meio e estava connosco desde que nasceu (era filha da gata da minha sogra) e embora não vivesse com ela, estava habituada a nós todos os dias!

Até a minha sogra que tem felinos desde que se conhece por gente nunca tinha visto tal atitude.

Vou ponderar entre dar uma nova oportunidade aos felinos ou um porquinho da índia Sorriso

sandrad1
Retrato de sandrad1
Offline
Desde: 26.10.2006
ola

nao quer dizer que a gata seja má; pode ter tido ciumes.
mas se criassem um/uma desde pequena; voçes eram os donos...e diferente...

um cão; no vosso caso um cão novo que ja saiba pelo menos a parte de ir a rua

O meu filho alem de uma cadela... que temos ela ainda nao tinha um mes... e agora pesa 20k temos um hamster... muito fofo...

os hamster sao muito fofos... o nosso e muito meigo. e um hamster russo, macho

aleacim89
Retrato de aleacim89
Offline
Desde: 13.04.2011
Depende da idade que a tua

Depende da idade que a tua filha tem. eu dei um gatinho a um casal com um filho e a criança não larga o gato, arrasta-o e faz 30 por uma linha. É bem normal que leve arranhadelas, os animais querem se defender também. Especialmente quando são mais novinhos. A minha irmã também estava sempre a arrastar a minha gata pela cauda! Como a gata já era adulta já não dizia nada, mas a verdade é que os animais também sentem dores.

Por isso depende muito da idade da criança. Se for uma criança muito pequena que ainda não sabe brincar com um animal acho que quer seja cão, gato ou rato lhe vai dar uma trinca.
Acho que nesses casos o melhor sempre é adoptar um animal também pequeno para que possam crescer juntos e habituarem-se um ao outro.

Panther
Retrato de Panther
Offline
Desde: 24.12.2010
Depende muita coisa... Diz

Depende muita coisa...
Diz que não tem disponibilidade para ensinar a ir à rua, mas se também não tiver disponibilidade para ir à rua com o cão, de preferência 3 vezes por dia (e nunca menos que 2 vezes), em que pelo menos uma dessas vezes não pode ser apenas por 10min, então não aconselho a ter um cão mesmo que já esteja ensinado (que existem, a minha veio adulta de uma associação e nunca tive que a ensinar a fazer na rua).
Ah e essas idas à rua têm que existir, estando sol, chuva ou estando a pessoa doente.

O que fez à tal gatinha? Com que idade tinha sido ela separada da mãe? Quanto tempo esteve consigo e o que aconteceu mesmo?

Também questiono qual a idade da sua filha, embora isso pro vezes não queira dizer nada mas também dá para se ter uma ideia no geral.

Em relação a um coelho, eu costumo dizer que é quase um cão em ponto pequeno, pelo que se há falta de disponibilidade e falta de experiência a lidarem com animais, não aconselho. Um coelho precisa de ser solto pela casa, o que implica necessidades espalhadas, embora a maior parte das vezes seja possível educá-los e eles acabem por aprender, mas é preciso haver a tal disponibilidade para o ensinarem. Também precisam de vacinas. Quanto atingem a maturidade podem ficar com um temperamento mais vincado, o que novamente implica saber educá-lo e vontade em tentar controlar a questão.
Também podem existir arranhadelas (mesmo sem querer) e havendo azar, mordidelas.

Mas atenção que quem quer ter um animal, tem que ter consciência que há muita coisa que não é controlável. Arranhadelas, mordidelas e afins fazem parte, dependendo da espécie, da educação, da proveniência podem ser quase inexistentes, mas se vamos à procura de um bicho em que isso nunca venha mesmo a acontecer... mais vale não os termos Sorriso

Ah e como referiu que já tem os peixinhos, pode contar-nos que tipo de peixe são e em que condições estão? Não me leve a mal, é só porque a maior parte das vezes não temos noção de mesmo um simples peixinho precisa de condições muito especificas e antes de ter seja que bicho for, convém ter certeza de que os que já tem têm tudo em ordem Sorriso

Peço desculpa pelo eventual tom das minhas palavras, não quero que me leve a mal, mas prefiro alertar das coisas, porque é preferível que a avançar-se para uma adopção, ela seja mesmo consciente de todas as questões e ter um animal implica muito dinheiro gasto e ter-se disponibilidade. A experiência de se ter um animal pode ser maravilhosa, mas também pode não o ser...

estrelinhah
Retrato de estrelinhah
Offline
Desde: 02.09.2009
..

Panther escreveu:
Depende muita coisa...
Diz que não tem disponibilidade para ensinar a ir à rua, mas se também não tiver disponibilidade para ir à rua com o cão, de preferência 3 vezes por dia (e nunca menos que 2 vezes), em que pelo menos uma dessas vezes não pode ser apenas por 10min, então não aconselho a ter um cão mesmo que já esteja ensinado (que existem, a minha veio adulta de uma associação e nunca tive que a ensinar a fazer na rua).
Ah e essas idas à rua têm que existir, estando sol, chuva ou estando a pessoa doente.

O que fez à tal gatinha? Com que idade tinha sido ela separada da mãe? Quanto tempo esteve consigo e o que aconteceu mesmo?

Também questiono qual a idade da sua filha, embora isso pro vezes não queira dizer nada mas também dá para se ter uma ideia no geral.

Em relação a um coelho, eu costumo dizer que é quase um cão em ponto pequeno, pelo que se há falta de disponibilidade e falta de experiência a lidarem com animais, não aconselho. Um coelho precisa de ser solto pela casa, o que implica necessidades espalhadas, embora a maior parte das vezes seja possível educá-los e eles acabem por aprender, mas é preciso haver a tal disponibilidade para o ensinarem. Também precisam de vacinas. Quanto atingem a maturidade podem ficar com um temperamento mais vincado, o que novamente implica saber educá-lo e vontade em tentar controlar a questão.
Também podem existir arranhadelas (mesmo sem querer) e havendo azar, mordidelas.

Mas atenção que quem quer ter um animal, tem que ter consciência que há muita coisa que não é controlável. Arranhadelas, mordidelas e afins fazem parte, dependendo da espécie, da educação, da proveniência podem ser quase inexistentes, mas se vamos à procura de um bicho em que isso nunca venha mesmo a acontecer... mais vale não os termos Sorriso

Ah e como referiu que já tem os peixinhos, pode contar-nos que tipo de peixe são e em que condições estão? Não me leve a mal, é só porque a maior parte das vezes não temos noção de mesmo um simples peixinho precisa de condições muito especificas e antes de ter seja que bicho for, convém ter certeza de que os que já tem têm tudo em ordem Sorriso

Peço desculpa pelo eventual tom das minhas palavras, não quero que me leve a mal, mas prefiro alertar das coisas, porque é preferível que a avançar-se para uma adopção, ela seja mesmo consciente de todas as questões e ter um animal implica muito dinheiro gasto e ter-se disponibilidade. A experiência de se ter um animal pode ser maravilhosa, mas também pode não o ser...

Olá Sorriso

Claro que não levo a mal.
A gatinha que atacou a minha filha ainda estava com a mãe porque a mãe é dos meus sogros e nós passamos lá todos os dias. A minha filha entrou em casa, foi pegar nela e a gata copmeçou a bufar e a fazer um barulho tipo "rosnar" e com o pêlo todo ao alto e antes de eu conseguir impedir ela atirou-se para a barriga dela arranhando-a toda e com o medo a minha filha até fez xixi nas calças. (a minha filha tem 3anos).

Quando fala em disponibilidade para ensinar refiro-me a ser dificil lidar com xixi e cocó em casa, no chão, tapetes, etc durante semanas até aprender a ir à rua e não na disponibilidade de ir à rua. Sempre tive cães mas vivia numa moradia, era diferente pois só tinha de limpar o que faziam no jardim com uma saca, mangueira e vassoura Piscar o olho

Os peixinhos são 2 pequeninos e estão num aquário pequeno com motor. sao de água fria e estão connosco há 3 meses. mudamos a água (não toda) de 3 em 3 dias.

sandrad1
Retrato de sandrad1
Offline
Desde: 26.10.2006
ola

o meu filho tb tem 3 anos
a veterinaria aconselhou a adotar cadela pois sao mais meigas
a minha é mesmo mto meiga

o pior sao os chichis e cocos; mas ensinámos a nao entrar nos quartos
e sala so qdo estamos

começámos a ensinar a fazer xixi em resguardos no chao
isso ja aprendeu

o coco faz na rua

como tem 6 meses a ver vamos ... mas como ainda nao tinha um mes qdo adotamos( estava ja na loja) ela adora o meu filho, nem sequer tenta subir para cima dele, so brincadeiras e beijinhos...

estao os 2 a crescer juntos

1ª foto qdo adotamos
2ª foto ja maior( agora tem cerca de 20 k)
3ª foto a cumplicidade desde o inicio

Pré-visualizaçãoAnexoTamanho
foto0676.jpg
foto0676.jpg82.43 KB
sdc10319.jpg
sdc10319.jpg70.37 KB
img_3248.jpg
img_3248.jpg72.22 KB
estrelinhah
Retrato de estrelinhah
Offline
Desde: 02.09.2009
sandrad1

É mesmo fofinha a tua cadela Sorriso

O meu maior problema é imaginar xixi e cocó no chão!

Quando a minha filha largou as fraldas também era um "31" quando fazia xixi no chão porque faz-me mesmo confusão, muito mais do que estragar sapatos, sofás ou cortinas Espertalhão

Se já faz cocó na rua e xixi nos resguardos já é um graaaande passo Sorriso

Panther
Retrato de Panther
Offline
Desde: 24.12.2010
.

estrelinhah escreveu:
Panther escreveu:
Depende muita coisa...
Diz que não tem disponibilidade para ensinar a ir à rua, mas se também não tiver disponibilidade para ir à rua com o cão, de preferência 3 vezes por dia (e nunca menos que 2 vezes), em que pelo menos uma dessas vezes não pode ser apenas por 10min, então não aconselho a ter um cão mesmo que já esteja ensinado (que existem, a minha veio adulta de uma associação e nunca tive que a ensinar a fazer na rua).
Ah e essas idas à rua têm que existir, estando sol, chuva ou estando a pessoa doente.

O que fez à tal gatinha? Com que idade tinha sido ela separada da mãe? Quanto tempo esteve consigo e o que aconteceu mesmo?

Também questiono qual a idade da sua filha, embora isso pro vezes não queira dizer nada mas também dá para se ter uma ideia no geral.

Em relação a um coelho, eu costumo dizer que é quase um cão em ponto pequeno, pelo que se há falta de disponibilidade e falta de experiência a lidarem com animais, não aconselho. Um coelho precisa de ser solto pela casa, o que implica necessidades espalhadas, embora a maior parte das vezes seja possível educá-los e eles acabem por aprender, mas é preciso haver a tal disponibilidade para o ensinarem. Também precisam de vacinas. Quanto atingem a maturidade podem ficar com um temperamento mais vincado, o que novamente implica saber educá-lo e vontade em tentar controlar a questão.
Também podem existir arranhadelas (mesmo sem querer) e havendo azar, mordidelas.

Mas atenção que quem quer ter um animal, tem que ter consciência que há muita coisa que não é controlável. Arranhadelas, mordidelas e afins fazem parte, dependendo da espécie, da educação, da proveniência podem ser quase inexistentes, mas se vamos à procura de um bicho em que isso nunca venha mesmo a acontecer... mais vale não os termos Sorriso

Ah e como referiu que já tem os peixinhos, pode contar-nos que tipo de peixe são e em que condições estão? Não me leve a mal, é só porque a maior parte das vezes não temos noção de mesmo um simples peixinho precisa de condições muito especificas e antes de ter seja que bicho for, convém ter certeza de que os que já tem têm tudo em ordem Sorriso

Peço desculpa pelo eventual tom das minhas palavras, não quero que me leve a mal, mas prefiro alertar das coisas, porque é preferível que a avançar-se para uma adopção, ela seja mesmo consciente de todas as questões e ter um animal implica muito dinheiro gasto e ter-se disponibilidade. A experiência de se ter um animal pode ser maravilhosa, mas também pode não o ser...

Olá Sorriso

Claro que não levo a mal.
A gatinha que atacou a minha filha ainda estava com a mãe porque a mãe é dos meus sogros e nós passamos lá todos os dias. A minha filha entrou em casa, foi pegar nela e a gata copmeçou a bufar e a fazer um barulho tipo "rosnar" e com o pêlo todo ao alto e antes de eu conseguir impedir ela atirou-se para a barriga dela arranhando-a toda e com o medo a minha filha até fez xixi nas calças. (a minha filha tem 3anos).

Quando fala em disponibilidade para ensinar refiro-me a ser dificil lidar com xixi e cocó em casa, no chão, tapetes, etc durante semanas até aprender a ir à rua e não na disponibilidade de ir à rua. Sempre tive cães mas vivia numa moradia, era diferente pois só tinha de limpar o que faziam no jardim com uma saca, mangueira e vassoura Piscar o olho

Os peixinhos são 2 pequeninos e estão num aquário pequeno com motor. sao de água fria e estão connosco há 3 meses. mudamos a água (não toda) de 3 em 3 dias.

Se a gatinha foi agarrada e não queria, a defesa que teve foi arranhar e fazer os tais barulhos. É um instinto. Sendo a gatinha bebé, podia ainda não ter aprendido as bases da sociabilização, e até podia ao mesmo tempo já ter um perfil mais vincado.
É normal a sua filha assustar-se, porque não sabe e fica com medo, tem que lhe ir explicando que não se deve agarrar neles, especialmente se não os conhecermos a fundo, eles têm que ter espaço para fugas.
Há mesmo gatos que até podem ser muito meiguinhos, mas que o que não toleram é serem pegados. Há formas de se lidar com isso e há formas de os educarmos de forma a poderem mostrar o desagrado sem nos aleijarem, mas isso é com tempo e não vou estar a dizer que seria o caso dessa gatinha, porque sendo bebé nem sequer a personalidade estava formada.

No entanto, e agora sabendo que a sua filha é tão novinha, não conselho mesmo adquirirem um gatinho "assim", nem sequer um bebé. No vosso caso, seria melhor um gato mais crescido, que já se pudesse conhecer o temperamento, e que já estivesse habituado a lidar com crianças e que portanto não respondesse dessa forma ao ser agarrado. Mas volto a frisar que é sempre educar-se toda a família também a lidar com o animal e não só o animal a lidar com a família. Por acaso seria muito bom conseguirem ter um gato, porque serviria para a sua filha não ficar com uma ideia errada.
Gatos têm personalidade muito próprias, mas também as têm o mais variadas possíveis, havendo gatos para todos os gostos, há uns meiguissimos até dizer chega, de tal forma que as pessoas os consideram chatos.

Voltando aos cães, se a parta chata é mesmo a das necessidades pela casa e tendo em conta que num cachorro tem mesmo que passar por isso, já que até completarem a vacinação não podem andar no chão da rua, eu vou pelo mesmo conselho, um mais crescido, já sabendo fazer as necessidades na rua, com um temperamento adequado e com experiência a lidar com crianças.

Quanto aos peixes, são dos mais usuais, daqueles "dourados/laranjas"? Coloque no google a espécie "Carassius auratus" e veja se eles não pertencem a ela. Se pertencerem, são peixes até mais apropriados para lago, o que quer dizer que precisam de muito espaço. São peixes que se lhes dermos as condições mais indicadas, podem chegar aos 20 anos Sorriso
Esse motor é de oxigénio ou é um filtro?
São peixes que sujam muito, daí também precisam de mais espaço, e, num aquário maior, consegue-se ter os níveis mais equilibrados, acabando por ser muito mais fácil. Até a mudança da água passa a ser feita menos vezes.

Ou seja, só ai com os seus peixes já é capaz de ter alguns pormenores que devem ser revistos Sorriso

estrelinhah
Retrato de estrelinhah
Offline
Desde: 02.09.2009
,,

Panther escreveu:
estrelinhah escreveu:
Panther escreveu:
Depende muita coisa...
Diz que não tem disponibilidade para ensinar a ir à rua, mas se também não tiver disponibilidade para ir à rua com o cão, de preferência 3 vezes por dia (e nunca menos que 2 vezes), em que pelo menos uma dessas vezes não pode ser apenas por 10min, então não aconselho a ter um cão mesmo que já esteja ensinado (que existem, a minha veio adulta de uma associação e nunca tive que a ensinar a fazer na rua).
Ah e essas idas à rua têm que existir, estando sol, chuva ou estando a pessoa doente.

O que fez à tal gatinha? Com que idade tinha sido ela separada da mãe? Quanto tempo esteve consigo e o que aconteceu mesmo?

Também questiono qual a idade da sua filha, embora isso pro vezes não queira dizer nada mas também dá para se ter uma ideia no geral.

Em relação a um coelho, eu costumo dizer que é quase um cão em ponto pequeno, pelo que se há falta de disponibilidade e falta de experiência a lidarem com animais, não aconselho. Um coelho precisa de ser solto pela casa, o que implica necessidades espalhadas, embora a maior parte das vezes seja possível educá-los e eles acabem por aprender, mas é preciso haver a tal disponibilidade para o ensinarem. Também precisam de vacinas. Quanto atingem a maturidade podem ficar com um temperamento mais vincado, o que novamente implica saber educá-lo e vontade em tentar controlar a questão.
Também podem existir arranhadelas (mesmo sem querer) e havendo azar, mordidelas.

Mas atenção que quem quer ter um animal, tem que ter consciência que há muita coisa que não é controlável. Arranhadelas, mordidelas e afins fazem parte, dependendo da espécie, da educação, da proveniência podem ser quase inexistentes, mas se vamos à procura de um bicho em que isso nunca venha mesmo a acontecer... mais vale não os termos Sorriso

Ah e como referiu que já tem os peixinhos, pode contar-nos que tipo de peixe são e em que condições estão? Não me leve a mal, é só porque a maior parte das vezes não temos noção de mesmo um simples peixinho precisa de condições muito especificas e antes de ter seja que bicho for, convém ter certeza de que os que já tem têm tudo em ordem Sorriso

Peço desculpa pelo eventual tom das minhas palavras, não quero que me leve a mal, mas prefiro alertar das coisas, porque é preferível que a avançar-se para uma adopção, ela seja mesmo consciente de todas as questões e ter um animal implica muito dinheiro gasto e ter-se disponibilidade. A experiência de se ter um animal pode ser maravilhosa, mas também pode não o ser...

Olá Sorriso

Claro que não levo a mal.
A gatinha que atacou a minha filha ainda estava com a mãe porque a mãe é dos meus sogros e nós passamos lá todos os dias. A minha filha entrou em casa, foi pegar nela e a gata copmeçou a bufar e a fazer um barulho tipo "rosnar" e com o pêlo todo ao alto e antes de eu conseguir impedir ela atirou-se para a barriga dela arranhando-a toda e com o medo a minha filha até fez xixi nas calças. (a minha filha tem 3anos).

Quando fala em disponibilidade para ensinar refiro-me a ser dificil lidar com xixi e cocó em casa, no chão, tapetes, etc durante semanas até aprender a ir à rua e não na disponibilidade de ir à rua. Sempre tive cães mas vivia numa moradia, era diferente pois só tinha de limpar o que faziam no jardim com uma saca, mangueira e vassoura Piscar o olho

Os peixinhos são 2 pequeninos e estão num aquário pequeno com motor. sao de água fria e estão connosco há 3 meses. mudamos a água (não toda) de 3 em 3 dias.

Se a gatinha foi agarrada e não queria, a defesa que teve foi arranhar e fazer os tais barulhos. É um instinto. Sendo a gatinha bebé, podia ainda não ter aprendido as bases da sociabilização, e até podia ao mesmo tempo já ter um perfil mais vincado.
É normal a sua filha assustar-se, porque não sabe e fica com medo, tem que lhe ir explicando que não se deve agarrar neles, especialmente se não os conhecermos a fundo, eles têm que ter espaço para fugas.
Há mesmo gatos que até podem ser muito meiguinhos, mas que o que não toleram é serem pegados. Há formas de se lidar com isso e há formas de os educarmos de forma a poderem mostrar o desagrado sem nos aleijarem, mas isso é com tempo e não vou estar a dizer que seria o caso dessa gatinha, porque sendo bebé nem sequer a personalidade estava formada.

No entanto, e agora sabendo que a sua filha é tão novinha, não conselho mesmo adquirirem um gatinho "assim", nem sequer um bebé. No vosso caso, seria melhor um gato mais crescido, que já se pudesse conhecer o temperamento, e que já estivesse habituado a lidar com crianças e que portanto não respondesse dessa forma ao ser agarrado. Mas volto a frisar que é sempre educar-se toda a família também a lidar com o animal e não só o animal a lidar com a família. Por acaso seria muito bom conseguirem ter um gato, porque serviria para a sua filha não ficar com uma ideia errada.
Gatos têm personalidade muito próprias, mas também as têm o mais variadas possíveis, havendo gatos para todos os gostos, há uns meiguissimos até dizer chega, de tal forma que as pessoas os consideram chatos.

Voltando aos cães, se a parta chata é mesmo a das necessidades pela casa e tendo em conta que num cachorro tem mesmo que passar por isso, já que até completarem a vacinação não podem andar no chão da rua, eu vou pelo mesmo conselho, um mais crescido, já sabendo fazer as necessidades na rua, com um temperamento adequado e com experiência a lidar com crianças.

Quanto aos peixes, são dos mais usuais, daqueles "dourados/laranjas"? Coloque no google a espécie "Carassius auratus" e veja se eles não pertencem a ela. Se pertencerem, são peixes até mais apropriados para lago, o que quer dizer que precisam de muito espaço. São peixes que se lhes dermos as condições mais indicadas, podem chegar aos 20 anos Sorriso
Esse motor é de oxigénio ou é um filtro?
São peixes que sujam muito, daí também precisam de mais espaço, e, num aquário maior, consegue-se ter os níveis mais equilibrados, acabando por ser muito mais fácil. Até a mudança da água passa a ser feita menos vezes.

Ou seja, só ai com os seus peixes já é capaz de ter alguns pormenores que devem ser revistos Sorriso

Quanto à gata ela nem chegou a pegar-lhe, apenas se aproximou e aconteceu tal coisa. E mesmo depois disso nem nós nos podíamos chegar que ela fazia o mesmo. Só no dia seguinte é que alguém se conseguiu aproximar e de tanto "rosnar" ela até parecia cansada e rouca no dia seguinte.

Adotar um cão já maior é uma das possibilidades, estamos a ponderar adotar um cãozinho de porte pequeno.

Os peixinhos não são esses. São assim pequeninos mas são pretos e têm os olhos grandes Sorriso

Nó fazemos o que nos disseram na loja dos animais. Foram eles que recomendaram o aquário e que nos disseram os cuidados a ter e a fazer e nós seguimo-nos pelo que nos disseram lá Careta

Obrigada pelas dicas Careta

Panther
Retrato de Panther
Offline
Desde: 24.12.2010
.

(...)

estrelinhah escreveu:

Quanto à gata ela nem chegou a pegar-lhe, apenas se aproximou e aconteceu tal coisa. E mesmo depois disso nem nós nos podíamos chegar que ela fazia o mesmo. Só no dia seguinte é que alguém se conseguiu aproximar e de tanto "rosnar" ela até parecia cansada e rouca no dia seguinte.

Adotar um cão já maior é uma das possibilidades, estamos a ponderar adotar um cãozinho de porte pequeno.

Os peixinhos não são esses. São assim pequeninos mas são pretos e têm os olhos grandes Sorriso

Nó fazemos o que nos disseram na loja dos animais. Foram eles que recomendaram o aquário e que nos disseram os cuidados a ter e a fazer e nós seguimo-nos pelo que nos disseram lá Careta

Obrigada pelas dicas Careta

Se não chegou a ser pegada então seria ainda falta de sociabilização ou poderiam também tratar-se de outras questões, mas agora só analisando a questão ao pormenor. Às vezes nem eles próprios sabem bem o que estão a fazer, até porque estamos a referir-nos a uma gatinha bebé.

Independentemente do porte que escolham, convivam com ele antes de o adoptarem definitivamente, podem até ir dar uns passeios com ele, para se começarem a conhecer e verem se realmente a personalidade dele se identifica com a vossa família. Aconselho também a pesquisar eventuais workshop's e semelhantes que abordem questões sobre o treino (e não só), pois são sempre úteis, aprende-se muito Sorriso

Veja se os peixes não são assim:
http://en.wikipedia.org/wiki/File:Carassius_auratu...
http://www.ppaquarium.com/view.asp?page=TX201

Se forem (ou semelhantes), pertencem à mesma espécie. A diferença acaba por ser que ao terem sido modificados geneticamente para terem os olhos esbugalhados, têm uma esperança de vida mais curta, mas mesmo assim ainda podem vir a durar uns aninhos.
Infelizmente, nem sempre aquilo que nos explicam nas lojas é o mais correcto. Eu comecei a minha experiência com peixes da mesma espécie também apenas com informações da loja e só hoje em dia sei como infelizmente não tiveram os melhores cuidados.

E em relação ao motor? É que independentemente da espécie, é sempre preciso haver um filtro (é o "pulmão" do aquário) pois é onde se acumulam as bactérias necessárias para destruir a "sujidade" que eles vão criando. Por esta razão, as matérias filtrantes não podem ser lavadas com água corrente, já que iriam perder as tais bactérias.

estrelinhah
Retrato de estrelinhah
Offline
Desde: 02.09.2009
.

Panther escreveu:
(...)
estrelinhah escreveu:

Quanto à gata ela nem chegou a pegar-lhe, apenas se aproximou e aconteceu tal coisa. E mesmo depois disso nem nós nos podíamos chegar que ela fazia o mesmo. Só no dia seguinte é que alguém se conseguiu aproximar e de tanto "rosnar" ela até parecia cansada e rouca no dia seguinte.

Adotar um cão já maior é uma das possibilidades, estamos a ponderar adotar um cãozinho de porte pequeno.

Os peixinhos não são esses. São assim pequeninos mas são pretos e têm os olhos grandes Sorriso

Nó fazemos o que nos disseram na loja dos animais. Foram eles que recomendaram o aquário e que nos disseram os cuidados a ter e a fazer e nós seguimo-nos pelo que nos disseram lá Careta

Obrigada pelas dicas Careta

Se não chegou a ser pegada então seria ainda falta de sociabilização ou poderiam também tratar-se de outras questões, mas agora só analisando a questão ao pormenor. Às vezes nem eles próprios sabem bem o que estão a fazer, até porque estamos a referir-nos a uma gatinha bebé.

Independentemente do porte que escolham, convivam com ele antes de o adoptarem definitivamente, podem até ir dar uns passeios com ele, para se começarem a conhecer e verem se realmente a personalidade dele se identifica com a vossa família. Aconselho também a pesquisar eventuais workshop's e semelhantes que abordem questões sobre o treino (e não só), pois são sempre úteis, aprende-se muito Sorriso

Veja se os peixes não são assim:
http://en.wikipedia.org/wiki/File:Carassius_auratu...
http://www.ppaquarium.com/view.asp?page=TX201

Se forem (ou semelhantes), pertencem à mesma espécie. A diferença acaba por ser que ao terem sido modificados geneticamente para terem os olhos esbugalhados, têm uma esperança de vida mais curta, mas mesmo assim ainda podem vir a durar uns aninhos.
Infelizmente, nem sempre aquilo que nos explicam nas lojas é o mais correcto. Eu comecei a minha experiência com peixes da mesma espécie também apenas com informações da loja e só hoje em dia sei como infelizmente não tiveram os melhores cuidados.

E em relação ao motor? É que independentemente da espécie, é sempre preciso haver um filtro (é o "pulmão" do aquário) pois é onde se acumulam as bactérias necessárias para destruir a "sujidade" que eles vão criando. Por esta razão, as matérias filtrantes não podem ser lavadas com água corrente, já que iriam perder as tais bactérias.

Sim, são esses os peixinhos.
Quanto ao aquário sei que tem motor e um filtro mas não percebo muito disso (estamos a aprender). A ideia é um dia chegar aos aquários grandes com móvel mas queremos começar por "baixo" e ir aprendendo Careta

Os 1º que tivemos duraram 1 mês, estes já estão a durar mais mas também alteramos algumas coisas, assim como a quantidade de comida que acho que davamos muita (embora dessemos a quantidade que nos disseram).

Panther
Retrato de Panther
Offline
Desde: 24.12.2010
A questão é que estes não são

A questão é que estes não são peixes para se iniciar, nem um aquário pequeno é bom para principiantes Piscar o olho Ao contrário do que se pensa, é muito mais fácil manter-se um aquário maior do que um pequeno.

Não precisa ter um gigante, mas para estes peixes recomenda-se no mínimo 60 litros e normalmente por cada peixe que se acrescenta mais espaço têm que ter, mas se fosse 60 litros para os dois, já não seria nada mau.

Em pouco espaço, é muito fácil haver um desequilíbrio químico.

Da mesma forma, que ao contrário do que se pensa, é mais simples ter-se peixes de agua quente, porque em pouco espaço consegue-se ter mais espécies (e não sujam tanto quanto esses).

Opções de visualização dos comentários

As alterações efectuadas serão aplicadas a todos os tópicos.

Tópicos relacionados

A adoção de um animal de estimação traz consigo muitas responsabilidades, pelo que deverá ser uma decisão bem ponderada e em família. O novo animal...
Boa tarde, Tenho 1 cão e 1 gata gostaria de saber qual a melhor ração para eles?
Procuro um caozinho de 3 meses no máximo alguém que tenha para dar ou saiba quem deia contacte-me
Olá a todos, sei que existem já alguns posts acerca deste tema mas não tenho conseguido encontrar exactamente o que procuro. Eu e o meu namorado...
Ola a todos, gostaria de adoptar um animal de estimação de preferencia um cãozinho de porte pequeno tenho as condições necessarias e foi uma situação...
...