Alergias alimentares | A Nossa Vida

Alergias alimentares

Retrato de avgomes
29.07.2011 | 11:44
avgomes:
Membro desde: 14.06.2010

Olá.

Venho aqui expor esta situação com o objectivo de tentar encontrar testemunhos, experiências ou soluções (mesmo alternativas) a um problema que ocorre ao meu marido com alguma frequência.

Desde que há uns 4 anos para cá que tem sofrido alguns incidentes com alergias alimentares. Inicialmente era alguma sensibilidade na garganta quando estava com gatos (veio a descobrir-se que era alérgico a gatos) e a solução era mesmo evitá-los e em SOS um anti-histaminico e uma bomba igual às da asma. Passado algum tempo deu-se um episódio um pouco mais estranho, a juntar à sensibilidade na garganta, urticária, muita muita comichão e inchaço na cara, na lingua e na garganta. Fomos a correr para o S. José era de facto uma reacção alérgica, cortisona e acabou por passar. A partir daqui começámos a ser seguidos por uma alergologista para tentar despistar o que teria causado aquela situação. Começámos por fazer uma listagem do que o meu marido tinha comido nessa noite e com base nisso, análises.

Alguns resultados positivos no gato (que estava presente neste episódio "estranho") e noutros alimentos maioritariamente fruta (que estava numa sangria). A explicação da médica foi que possivelmente foi um a junção de tantos elementos aos quais ele é alérgico (gato, frutas na sangria etc.)

Entretanto com o tempo as reacções intensificaram-se. Acontecem umas 3 ou 4 por ano e com o tempo noto que se tornam cada vez mais rápidas, ou seja desde que ele me diz: "não me estou a sentir bem" até que me pede: "tenho de ir ao hospital" há cada vez menos tempo. Ontem foi uma delas. Disse-me claramente: "estou a começar a sentir-me mal e preciso de ir já ser assistido". Lá fomos a correr, antes de sair dei-lhe um comprimido de cortisona e um anti-histaminico para evitar que se propague mais rápido, colocaram-no a cortisona e achei que desta vez demorou mais tempo a passar. Demoraram algumas horas (muito mais do que o habitual) ao corpo combater aqueles sintomas.

Continuamos com novas análises para ir entregar à alergologista para ver se identificamos o que possa ser (há pouco padrão nas comidas, sinceramente o que vejo sempre igual é legumes ou frutas) e tentar evitar. Até lá tenho meu marido em pânico com medo de comer salada, frutas e sei lá mais o quê. É desesperante, são momentos aflitivos.

Este "testamento" todo para ver se nesta comunidade tão grande há alguém com problemas parecidos, como fez, ou o que faz, ou se for o caso aconselhamento de um especialista na zona de Lisboa.

Obrigada.


Retrato de Nandisa
Sex, 29/07/2011 - 15:11
Nandisa:
Membro desde: 30.10.2006

Eu sou do norte e o meufilho felizmente já nao tem esse problema. Mas dos 18 meses ao 3 anos foi uma loucura.
Era alérgio ao ovo, leite de vaca, frutas vermelhas,peixe, chocolate. E tinha sensibilidade á histamina (carne de porco, broxulos,espinafres... ... ...). e para ajudar alergia aos acaros.

Eu Sou do norte senão recomendava-te a Alerologista do meu filho. Aconselho-o vivamente a fazer o teste de alergias (picadas) para perceberem o que pode ou não comer. Cuidado porque é preciso ler muito muito bem os rotulos dos ingredientes. Verificar a origem de Oleos e afins. Desejo-te muita boa sorte porque é uma "caminhada" muito complicada. Agora posso também dizer-te que depois de saberem a que tem alergias existem lojas preparadas para alergicos são lojas tipo de produtos naturais.

As melhoras

Retrato de t1para3
Sex, 29/07/2011 - 16:13
t1para3:
Membro desde: 22.06.2011

Olha eu sou alérgica a marisco, qualquer tipo, começo a sentir a garganta a arder, dificuldade em respirar, incha-me a lingua... nada que deseje nem á minha pior inimiga. Não como, não me aproximo, não entro em cozinhas que o estejam a cozinhar, não aceito nem beijos de quem o comeu, evito, uso outras coisas, não compro nem tenho em casa. Para passar maus bocados e nem poder falar para explicar o que se estava a passar...txxi nem te conto que até me sinto mal.

Informa-te bem sobre o assunto, com o teu médico claro, geralmente com pessoas que tem o mesmo, falo por experiência, não somos todos iguais e temos reacções diferentes aos alimentos. Para mim o melhor mesmo é não ter, não comprar, não ver nem pensar. Não gosto, e nem sei se é por me fazer mal ou não. Nunca na vida vou voltar a experimentar, que essa teoria do "se levares muito tempo sem comeres passa a alergia", ou a do se "comeres muitas vezes o corpo habitua-se", isso não pega comigo, o médico já me proibiu, eu já o tinha proibido a mim própria.
O conselho que te dou é mesmo ver quais os alimentos que lhe fazem alergia, daqueles que já fizeram antes e elimina-os do teu dia a dia. Fala com o teu medico, diz quais são, e ele irá de certeza encontrar alternativas para que o teu marido continue a ter uma alimentação saudável.

coisasmae.blogspot.pt

Retrato de avgomes
Seg, 01/08/2011 - 09:43
avgomes:
Membro desde: 14.06.2010

Muito obrigado pelos vossos testemunhos. Já percebi também que vai ser uma longa jornada...

Na ultima urgência onde estivemos o médico avisou-nos que 40% das pessoas alérgicas nunca descobrem qual o elemento a que são alérgicas.. Isso é que preocupa o meu marido a pouca esperança em perceber o que raio provoca esta situação. Mas certamente que havemos de descobrir e adaptar a nossa alimentação a essa restrição.

Pelo primeiro episódio que ele teve ainda bem miudo, com um pêssego mal lavado tinha pesticida no pé, desconfiamos que tenha a ver algo com isto. Lavagem desadequada de legumes e/ou frutas talvez possam explicar a situação. Vamos expor esta nossa "desconfiança" à alergologista na próxima consulta porque estão sempre envolvidos legumes e/ou fruta em todos os episódios. No entanto são legumes e/ou frutas que ele come regularmente, só que naquele dia em especifico cria-lhe uma reacção alérgica...

As melhoras para quem sofre do mesmo mal, principalmente do bebé pequenino que a mãe respondeu aqui. Smile

Retrato de Bia31
Seg, 01/08/2011 - 18:05
Bia31:
Membro desde: 23.03.2010

Ola avgomes

Não sei se no caso do marido será útil fazer o teste de intolerancia alimentar - é um exame que pesquisa cerca de 200 alimentos "comuns" e no resultado diz akeles k são proibidos e akeles k se podem comer.
Este exame não é comparticipado pelo SNS e fica um pouco caro (entre 280€ a 500€, depende do laboratório de analises clinicas), talvez pudesse ajudar a determinar as causas da alergia.

Espero k corra tudo bem!

Retrato de avgomes
Ter, 02/08/2011 - 08:32
avgomes:
Membro desde: 14.06.2010

Olá,

O meu marido fez agora há pouco tempo, são os que vamos entregar agora no final do mês à médica, umas análises que realmente a médica disse envolverem 200 alimentos. Deve ser o mesmo que falas.

No entanto já fomos buscar os resultados e aparecem apenas umas 6 alineas com resultados... Fiquei com a sensação de que não foram feitas as análises correctas de acordo com o que estava prescrito, mas só saberei quando for à consulta. Realmente as análises são por volta dessa preço mas temos seguro de saúde e ficou-nos por 17€ e pouco.

Obrigada pela sugestão, vamos lá a ver se estas análises já ajudam a filtrar um pouco os alimentos.

Retrato de avgomes
Qua, 24/08/2011 - 14:06
avgomes:
Membro desde: 14.06.2010

Olá,

Venho apenas fazer um ponto de situação para quem acompanha ou para quem chegar a este tópico à procura da mesma coisa que eu: uma solução.

A consulta com a alergologista, depois de mês e meio à espera, foi à ultima da hora cancelada. Agora só em Outubro. O meu marido marcou mas eu fiquei fula e já tinha arregaçado mangas à procura de outro especialista e encontrei uma clinica especializada em imunoalergologia em Lisboa, na Av. de Berna. Mas estão de férias até esta sexta-feira e por isso ainda não marquei.

No passado mês e meio tivemos duas crises e na ultima fomos assistidos no S. Francisco Xavier. Apanhámos uma médica espetacular que nos aconselhou vivamente a tentar ir ao médico de familia pedir uma guia (não somos da área) para sermos assistidos pelo serviço de imunoalergologia do Hospital Santa Maria visto lá ser um bom serviço. Afirmou que os Hospitais públicos por vezes têm equipas que discutem estes casos que são de investigação (palavras da médica) em grupo e se torna mais fácil chegar a conclusões e diagnósticos. Eu estou um pouco céptica e já me estou a preparar para estar tempos à espera de uma consulta por isso até lá vou tentar na mesma consulta no privado para entregar umas análises (as dos 200 alimentos) que fizemos e ver se começamos a ser assistidos com menos tempo de cada vez.

Segundo a médica, a teoria da alergia às cascas pode ser de facto uma realidade. Isso já é uma luz ao fundo do tunel e "bate" com praticamente tudo o que é comum nos episódios de urgência.

A ver vamos...