Recém-casados e lindos: como não descurar o visual depois do casamento | A Nossa Vida

Recém-casados e lindos: como não descurar o visual depois do casamento

Findo o grande dia, arrumado o vestido e o fato do casamento, desaparecido o bronze da lua-de-mel paradisíaca, um dos erros mais comuns que os recém-casados cometem é descurar o estilo. Está mais que comprovado que, uma vez dado o nó, a aparência física fica muitas vezes em segundo plano, sendo substituída por quilos a mais, zelo a menos e o que um dia era um jovem e deslumbrante casal, passa a ser duas figuras de fato de treino, um com a barba por fazer, a outra com o cabelo por arranjar. A bem do vosso casamento, não façam parte do clube dos recém-casados desleixados e desinteressantes.

Uma questão de peso

Depois das semanas intensas vividas antes do casamento, onde o stress e a ansiedade encarregaram-se de acelerar o vosso metabolismo e eliminar ainda mais alguns quilos, é natural que, no rescaldo do mesmo, se instale a descontracção. A felicidade da união, juntamente com uma lua-de-mel muito esperada, deixam-vos relaxados e descontraídos. Atenção, não há nada de errado neste cenário, porém, sem vocês se aperceberem, começam a acumular o famoso “peso pós-casamento” logo nos primeiros dias da vida a dois. O que importa reter aqui é que, uma vez em casa, os quilos continuam a acumular.

Porquê? Enquanto até aqui não se importavam de ir três vezes por semana para o ginásio porque tinham um objectivo – estarem deslumbrantes no dia do casamento – agora, falta a motivação. Continuamos a estar bem. Não vamos passar fome. Quem é que vai reparar? Não temos tempo. São estas as desculpas mais habituais – ou porque estão demasiado dedicados à casa e passam as noites a jantarem fast-food, ou porque continuam a jantar na casa dos pais porque ainda não conseguiram organizar o vosso quotidiano a dois, ou porque passam os serões a fazer grandes manjares, seguidos de ceias gulosas no sofá. Aqui a excepção não pode ser a regra.

O que fazer? O exercício físico e uma alimentação saudável são fundamentais para uma vida salutar e, se estão bem convosco próprio, estarão bem um com o outro. É importante apoiarem-se mutuamente no que toca a manter o peso ideal ou, pelo menos, respeitar o regime que o outro faz questão de seguir. Elaborem juntos os menus da semana, façam caminhadas, inscrevam-se no mesmo ginásio, andem de bicicleta ou ainda – a forma mais divertida de queimar calorias – muitas sessões de sexo escaldante. A não ser que se queiram habilitar a ouvir críticas pouco construtivas (do seu parceiro, familiares e amigos) ou deixar de receber aqueles elogios que tanto gostavam, atenção à balança.

A aparência física

O aspecto físico é muito mais do que alguns quilinhos extra, que até podem ser inocentes quando comparado com uma barba de quatro dias ou uma depilação que já deveria ter sido marcada há mais de duas semanas! Embora nos possamos continuar a arranjar para ir trabalhar ou jantar com os amigos(as), quando for para estar com ele ou ela, de repente, qualquer coisa serve, até aquelas sapatilhas velhas. Vestido novo? Camisa engomada? Maquilhagem? Perfume? Lingerie sexy? Para quê?

Porquê? A razão mais dada pelos recém-casados para o gradual descuido da aparência física é: já não preciso de a/o conquistar, já é minha/meu! Vamos desde já esclarecer duas coisas – primeiro, não deve existir desculpa mais esfarrapada; e segundo, conquistamos as pessoas até um dia. Aliás, um casamento é uma conquista diária que, quer queiramos quer não, tem muito a ver com a beleza exterior. A ideia de já sou comprometido(a), não tenho de impressionar ninguém, não “cola” aqui – se sempre impressionou o seu marido/mulher durante todo o tempo que namoraram, planeando cuidadosamente cada visual, vestindo aquela saia ou aquela camisola, porque não continuar a fazê-lo? O seu casamento agradece!

O que fazer? Sabemos que a rotina também impede que estejamos sempre no nosso melhor – quem não gosta de tomar um banho no final do dia e vestir algo mais confortável (diga-se, fato de treino!)? Claro que se corre o risco de a sua cara-metade o/a ver exclusivamente nesses trajes durante vários dias seguidos! Por isso mesmo, invista em lounge wear, simultaneamente confortável e sexy… o mesmo vai para os pijamas! Vocês sabem do que estamos a falar – há que inovar nessa parte do guarda-roupa também! Todas as semanas marquem um jantar romântico e, independentemente de ser fora ou em casa, implementem (e respeitem!) um dress code à altura. Como nos bons velhos tempos, só que agora, ainda melhor!

O estilo: pessoal & intransmissível

Agora que estão casados, não tentem mudar o estilo de vestir do vosso parceiro – afinal, o objectivo é a união, não a separação. Se acham que está na hora de proibir as mini-saias à sua esposa e exigir que o seu marido não saia de casa sem fato e gravata, estão muito enganados. O casamento não significa a fusão de duas personalidades, pode ser a fusão de um enorme amor, de duas famílias, de duas casas, mas fiquemos por aí. É muito bonito dizerem que são apenas “um”, mas a verdade é que continuam a ser “um mais um”, o que significa “dois”. Cada um com a sua própria individualidade, maneira de ser e estilo… quem tiver do seu lado terá de respeitar isso.

Porquê? A vida a dois pode ser levada ao extremo, com um dos elementos do casal a querer “comandar as tropas” em todos os sentidos – mesmo no aspecto físico do seu parceiro. Se não for travada a tempo, uma missão deste género pode chegar ao ponto de um obrigar ao outro a vestir sempre isto ou a usar apenas aquilo, comprando toda a sua roupa, acessórios e sapatos sem o consultar, marcando dia e hora no cabeleireiro e por aí fora. Este tipo de comportamento pode rapidamente tornar-se num ciclo vicioso que ninguém vai gostar. O seu parceiro sentir-se-á triste e magoado ao ver que quer mudá-lo a todo o custo. Afinal, não se amavam precisamente por serem quem eram?

O que fazer? No que toca ao estilo e personalidade da sua cara-metade, elas são, de facto, pessoais e intransmissíveis. As críticas construtivas e as sugestões amorosas são os vossos melhores aliados em situações deste género: “acho que esta cor favorece-te mais do que aquela” ou “adorava ver-te de saltos de vez em quando”. Acima de tudo, olhem primeiro para vocês e só depois para o outro… e façam questão de estar sempre no vosso melhor. A bem do casamento.

Leia também...