Os custos que envolvem a compra de uma casa

Comprar casa é um grande passo e, por isso, deve ser muito bem planeado. Com efeito, antes de se atirar de cabeça para o seu novo lar, é importante informar-se sobre os custos que estão associados à compra de um imóvel. Os notários, impostos, comissões e outras despesas andam entre os 3500 e os 5000 euros. Conheça, dessa forma, os custos que envolvem a compra de uma casa e esteja o mais preparado possível.

1. Taxa de juro

A taxa de juro é quanto lhe custa o empréstimo que vai contrair com uma entidade bancária e que é composta pelo indexante e spread (raramente inferior a 2%). A taxa pode ser fixa, e permanecer inalterada durante o prazo acordado, ou variável, com o valor a oscilar de acordo com a evolução da Euribor. A taxa fixa pressupõe menos risco (paga sempre o mesmo), já a taxa variável é normalmente mais baixa que a taxa fixa, mas há probabilidade de sofrer alterações inesperadas.

2. Seguros obrigatórios

Ao contrair um empréstimo, os seguros de vida e de recheio são inevitáveis. O seguro de vida garante que o banco é ressarcido da sua dívida via seguradora caso fique inválido ou morra. Já o seguro de recheio visa proteger a sua habitação em caso de cheias, incêndios ou sismos. Estes seguros não têm de ser feitos no mesmo banco onde faz o empréstimo, mas é lógico que acumular todos os serviços na mesma instituição traz reduções de spread e outros benefícios.

3. Conservatórias

Para confirmar a escritura da nova casa necessita de registos provisórios de transmissão e hipoteca para salvaguardar os interesses de quem compra a casa (uma espécie de reserva) e de quem vende (tem o negócio feito). Estes registos valem por 6 meses e serão depois convertidos em registos permanentes. São documentos que vão custar-lhe sempre algum dinheiro.

4. Comissões

Ao longo do processo terá também de pagar comissões para análise do crédito (comissão de dossier), avaliação do imóvel (comissão de avaliação), para se quiser amortizar no futuro (comissão de amortização) ou relativamente ao processo de prestações (comissão de gestão). As comissões são sempre muitas e é difícil evitá-las.

5. Impostos

Os impostos encabeçam a lista das despesas chatas, mas que têm de ser obrigatoriamente cumpridas. O IMT diz respeito a mudanças de propriedade de imóveis com contrapartidas financeiras, algo que acontece sempre numa compra de casa. O valor deste imposto depende da localização, da finalidade e do tipo de imóvel, estando relacionado com o valor patrimonial da casa e o valor presente na escritura de compra. O imposto do selo sobre a transação e sobre o empréstimo é outra das despesas de compra de casa. Por fim, o IMI é uma verba anual que varia de acordo com o valor patrimonial dos imóveis.

6. Advogado

Por uma questão de segurança, muitas pessoas requerem os serviços de um advogado para tratar de todo o processo de compra de casa. Essa ajuda (que facilita imenso o processo) pode resultar num custo de até 1% no valor total da operação de compra.

7. Depois da compra

Feita a compra da casa, há despesas que continuarão a estar presentes durante muito tempo ou até eternamente. A prestação do empréstimo é paga mensalmente e, por norma, é uma despesa significativa no orçamento mensal. Os seguros de vida e recheio têm de ser pagos para continuarem válidos. Os impostos e taxas como o IMI têm de ser regularizados todos os anos. Por fim, a existência de uma casa traz sempre despesas domésticas como luz, água ou saneamento e que são fixas.