Como sobreviver a uma traição

Casal

Um casamento pode sobreviver a uma traição. A infidelidade pode surgir no meio de uma relação, e por vezes “quase” silenciosamente. Recuperar deste tipo de acontecimento pode ser um processo doloroso emocionalmente e muito trabalhoso. Contudo, para recuperar da traição, é necessário que ambos estejam no mesmo caminho: busca da confiança e a reconciliação da relação.

Para recuperar o casamento da traição é necessário, antes de mais, que a pessoa que mantém uma relação extraconjugal a acabe, e também que esteja determinada a lutar pela relação, estando disposta a responder às questões da outra pessoa de forma totalmente honesta. A pessoa traída deverá ser capaz de conseguir pôr de lado a raiva, o sofrimento e a sensação de insegurança, e iniciar um processo de perdão. Ambos deverão tentar perceber o que levou à existência de uma infidelidade dentro do casamento, e tentarem acima de tudo, sarar a relação. Para começarem este processo, terão de voltar a cultivar laços de confiança, e isso envolve um processo que pode ser moroso, mas jamais impossível.

É extremamente importante que antes de mais façam um esforço real para comunicarem, ouvindo e exprimindo os sentimentos começando sempre as frases com “Eu senti…” “Eu sinto…”, este tipo de abordagem é fulcral para conseguirem um canal de comunicação aberto, visionando um futuro promissor. De outra forma, prolongar o ressentimento ou pensar em vingança em vez de pensarem no futuro a dois, e em como lá chegar incluindo os passos necessários para o fazerem, não é um caminho que conduza ao êxito da relação. Devem sim, estar dispostos a sarar a ferida aberta pela infidelidade.

Para a pessoa que traiu

Será difícil, terá de saber lidar com os sentimentos e questões da outra pessoa. Terá de decidir se pretende de facto continuar com a relação e se está na disposição de dar tempo da relação sarar e da outra pessoa perdoar, pois este processo poderá demorar anos…

Deve terminar o caso, ontem!

Se ainda não o fez, deverá de terminar o caso amoroso já! Deve fazer um compromisso que implique eliminar qualquer contacto com a pessoa com a qual teve o caso extraconjugal. Se trabalhar com essa pessoa, considere mudar de emprego.

Responda sempre a “quase” todas as questões

A pessoa que foi traída vai querer saber tudo: como aconteceu, porque aconteceu, onde aconteceu, como o conseguiu fazer,… Responda a tudo, seja uma pessoa sincera e seja um livro aberto acerca da sua vida; e saiba que de agora em diante terá de responder a tudo acerca da sua vida, esta é uma consequência natural, e poderá durar anos – contudo se pretende que a pessoa traída volte a confiar em si esta é a melhor forma de o fazer. A única coisa à qual não é aconselhável responder são questões acerca de pormenores sexuais íntimos, pois esse tipo de respostas em nada contribui para o sarar da relação.

Mostre empatia à pessoa que traiu

Como pessoa que traiu deve provar que de facto está arrependida. Para tal deverá demonstrar empatia e compreensão para com a pessoa traída, pois a pessoa traída irá certamente sofrer com a traição e irá demonstrar essa dor. A pessoa traída irá chorar, gritar, sentir-se culpada, frustrada e irá exteriorizar esses sentimentos; esses sentimentos devem ser aceites e compreendidos por si: para isso coloque-se no lugar da outra pessoa e tente imaginar o que sentiria. Nunca julgue a pessoa ou seja condescendente para com os seus sentimentos, se não tem nada de bom a dizer então não diga nada, oiça apenas. Mantenha a linha de comunicação aberta, ouça e converse, não importa o tempo que isso levará.

Dê tempo ao tempo

Não espere o perdão hoje. Não é possível confessar uma traição e esperar que a outra pessoa rapidamente lide com isso e cure as feridas abertas por esse acontecimento. É necessário respeitar o tempo inevitável para que a pessoa se sinta curada, e não adianta querer que este processo de recuperação seja mais rápido, ou sequer negar o tempo necessário para que ambos consigam ultrapassar o problema. Mesmo meses depois da pessoa traída ter sabido da traição, certas questões e sentimentos devem ser esperados, por vezes anos depois, deverá estar sempre pronto(a) para responder às questões colocadas pela pessoa traída (independentemente de há quanto tempo aconteceu), e deverá estar sempre disposto(a) a ouvir e a presenciar as suas reações mesmo que já pareçam não ter sentido.

Responsabilize-se com sinceridade

Pedir desculpas é sempre básico e nunca deve ser evitado, afinal quando se trai magoa-se alguém, e o mínimo que se pode fazer é pedir desculpas pelo sucedido. Culpar a pessoa que foi traída, pela sua infidelidade, não é solução, pois a culpa nunca será algo que leve a relação a bom porto. Como pessoa que traiu deverá mostrar arrependimento sincero e remorsos, para que a outra pessoa perceba a genuinidade dos seus sentimentos. A pessoa que traiu deverá renovar de vez em quando o compromisso de não trair, para que a outra pessoa sinta que existe realmente um empenho em preservar uma relação especial.

Para a pessoa traída

A desilusão, a raiva, a surpresa, estes sentimentos são muito comuns, contudo, tudo depende da sua personalidade. Se o que verdadeiramente interessa é sarar a relação e seguir a vida a dois, é importante acabar com as mentiras. E focalizar-se nesta ideia é a melhor forma de ultrapassar esta fase.

Se quer saber pergunte

Quer saber detalhes, factos, …, então pergunte à outra pessoa; se ela estiver verdadeiramente interessada em reparar a relação, ela irá contar. Contudo, certos detalhes como os pormenores sexuais, devem ser evitados e não fique ressentido(a) se não os souber, pois em nada contribuirão para sarar a relação, podendo ser por vezes devastadores. Contudo, saber quantas vezes se encontraram, onde o faziam, quanto tempo durou, como tudo começou, que dinheiro foi gasto, são tudo questões às quais poderá querer saber as respostas, e se a outra pessoa estiver empenhada em reconstruir a relação, deverá ser sincera nas respostas. As respostas a estas questões também poderão ajudar a desculpar a outra pessoa pelo acontecido, e a ajudarem a compreender que na realidade a relação tinha problemas, senão isto não teria acontecido.

Não exagere na raiva enquanto está a fazer as questões

Querer gritar, ficar furioso(a), chorar desalmadamente, são grandes reações que a longo prazo podem não ajudar a chegar ao pretendido: reparar a relação. No entanto, no momento em que se descobre é comum estas reações surgirem espontaneamente, mas quando se passa à parte de tentar perceber o porquê, estas emoções já não ajudam muito. Porém, a pessoa que traiu deve aceitar e compreender estas emoções e nunca deixar que elas se sobreponham ao mais importante: passar esta fase e reiniciar uma nova. Se algum de vocês estiver muito perturbado para seguir a conversa então o ideal é interrompê-la e passarem-na para o próximo dia, onde estarão mais calmos e mais racionais.

Restrinja o tempo da conversa

Depois do dia da descoberta da infidelidade, limite o tempo da conversa e das questões acerca da traição a cerca de 20, 30 minutos por dia. Este assunto não deve tornar-se na obsessão da sua vida, e embora deva ser conversado, o seu tempo deve passar a ser limitado. Contudo para que não existam ressentimentos, vá sempre conversando, dia-a-dia, mas não deixe que isso se torne obsessivo.

Prepare-se para as recaídas

Por mais que as coisas pareçam determinadas a correr bem na relação, por vezes surgem momentos em que por um pormenor qualquer tudo volta à cabeça, e o ressentimento para com a pessoa que traiu ressurge; neste caso deve manter-se focalizado(a) na reconciliação e no presente com vista a um futuro promissor.

Converse sobre os seus sentimentos

Converse sobre as suas inseguranças, acerca do futuro da relação, sobre a sua tristeza, sobre a sua frustração… não se iniba de dizer o que sente. Comece sempre as frases com “Eu sinto que…”, é uma ótima forma de conseguir expor os seus sentimentos genuinamente, de curar a ferida que a relação sofreu e também a sua própria ferida provocada pela traição. Não perdoe hoje. Dê tempo ao tempo, perdoar já, pode não ser a melhor solução, resolva os seus sentimentos e dê tempo a si mesmo(a) para se curar.

Peça ajuda

Nem sempre se consegue resolver uma traição dentro do seio do casal. Por vezes pode ser de grande ajuda fazer terapia de casal para compreender o porquê de ter surgido a traição, e para ajudar ambos a ultrapassar este momento. Pessoalmente, deve também fazer terapia para ajudar a ultrapassar esta fase na sua vida, e para que ela não deixe mazelas, que mais tarde serão difíceis de resolver.

Distraia-se

Saia com amigos, faça coisas que lhe dêem prazer, seja uma pessoa ativa e recuse-se a ter pena de si mesmo(a). Aproveite para ter momentos que lhe proporcionem bem-estar e autoestima.

Perdoe, quando sentir que perdoou

Esquecer é diferente de perdoar, certamente nunca irá esquecer a traição, mas perdoar poderá fazê-lo; todavia só o deve fazer apenas o deve fazer quando sentir que esse sentimento é legítimo. Quando assim suceder, diga-o em voz alta: “Eu perdoo-te a traição!”. Quer seja à pessoa que traiu, quer seja a si mesmo(a), diga-o sempre em voz alta, contudo apenas quando sentir que está preparado (a) para o fazer.

Se realmente se comprometerem em lutar pelo casamento, a relação terá uma grande hipótese de sobrevivência e até de se tornar ainda mais coesa.

Média: 4.6 (396 votos)