Aderir a um cartão de crédito: tudo o que devem saber

Vários cartões de crédito

Antes de assinarem qualquer coisa relacionada com um cartão de crédito, leiam, mas leiam realmente todas as grandes e pequenas letras com atenção. Se não têm tempo nesse momento, então levem a papelada para casa e leiam-na posteriormente, pois de outra forma poderão estar a assinar algo que não será propriamente vantajoso. Tomem atenção especialmente às taxas de juro usualmente escritas em letras bem pequenas.

Os cartões de crédito também podem ser usados em vantagem, não são só algo de negativo, no entanto devem saber o máximo sobre este assunto para conseguirem tirar benefícios de um cartão de crédito, e claro está, para também se protegerem dos problemas que um cartão de crédito pode trazer se não for bem utilizado.

Diversidade de cartões de crédito

O contrato (apólice) de um cartão de crédito é sempre diferente um do outro, por isso é importante conhecerem o que o mercado tem para vos oferecer, para decidirem o que melhor se adequará à vossa vida.

Existe uma diversidade de cartões de crédito, os mais básicos são os cartões de modalidade básica (pois são os mais comuns), depois destes existe uma variedade que vai até aos de platina e acima destes existem os negros que são os mais exclusivos, que apenas algumas pessoas no mundo os detêm. No entanto, quanto mais barato for um cartão de crédito mais restrita será a sua utilização, e mais elevado será o custo anual.

Os cartões da gama Gold, Premier, Platinum têm um limite de crédito superior e seguros associados (por exemplo, responsabilidade civil familiar ou assistência em viagem), mas a anuidade também é mais elevada. Verifiquem se este tipo de cartão compensa, atendendo à utilização que farão do cartão.

Cartões de crédito mais básicos e seus contratos

Tal como em qualquer negócio onde existe um contrato escrito, os cartões de crédito são similares: têm um contrato por base. Esse contrato, chamado de apólice, descreve todos os detalhes incluindo as obrigações e vantagens previstas na adesão e utilização do cartão. Assim sendo é importantíssimo ler bem o contrato, as letras miudinhas que o acompanham, não basta acreditar no que o vendedor diz, pois por vezes apenas menciona as coisas boas, mas não os deveres e condições que advêm da utilização do cartão de crédito.

Portanto, um contrato básico subjacente a um cartão de crédito inclui: termos de uso, custo da anuidade, taxas de juros, datas de pagamentos, multas e custo dos levantamentos de dinheiro a crédito.

Verifiquem muito bem quais as taxas de juro, incluindo o tempo da sua duração, pois dependendo do contrato e do tipo de cartão de crédito, elas vão aumentando com a sua utilização. Verifiquem também o valor das taxas de juro que serão cobradas se se atrasarem no pagamento da dívida do cartão de crédito.

Levem o contrato para casa, leiam-no bem. Se tiverem dúvidas coloquem-nas à pessoa que está responsável pela vossa conta bancária associada ao cartão de crédito. Esqueçam as coisas boas que essa pessoa menciona acerca do cartão e - nesta fase - perguntem tudo de negativo que pode surgir com a má utilização do cartão de crédito.

Taxas de juro dos cartões de crédito

O maior problema dos cartões de crédito não reside no facto de poderem fazer muitas compras com eles, reside sim no problema de no momento em que a dívida do cartão cair na conta bancária não existir lá dinheiro suficiente para a pagar – chamado crédito revolving. Se não existir dinheiro suficiente na conta, então essa dívida passará a aumentar de acordo com a taxa de juro que está definida no contrato do cartão – podendo chegar aos juros mensais de 30%. Estes juros serão aplicados ao valor em dívida.

Existem cartões de crédito com taxas de juro fixas que implicam que o valor da taxa de juro permanecerá o mesmo durante o prazo do contrato; e existem os cartões de crédito com taxas de juro variáveis que implicam que a taxa de juro poderá variar durante o prazo do contrato de acordo com a conjectura financeira do mercado: usualmente são indexados às taxas de referência dos mercados como a Euribor; ex: se a Euribor aumentar, a taxa de juro do cartão de crédito também aumentará.

Outros pormenores a que devem estar atentos

Os cartões de crédito variam de acordo com a entidade financeira que os emite. Cada entidade financeira tem uma gama de cartões de crédito distinta. Assim sendo, poderão encontrar a mais variada oferta de condições relacionadas com a aquisição de um cartão de crédito. No final, tudo dependerá de adequarem as vossas necessidades ao cartão de crédito que mais os satisfaça. Poderão também adicionar mais opções para além das básicas que o cartão oferece, pagando o custo destas. Devem também ter atenção a pormenores como:

  • Período de “crédito gratuito”. Uma das maiores vantagens do cartão de crédito é o facto de pagarem a compra num determinado momento e esse valor só ser retirado da conta passado X tempo. A este período chama-se período de “crédito gratuito”, normalmente entre 20 e 50 dias. Este período decorre entre a compra do bem ou serviço e a data em que o titular recebe o primeiro extracto seguinte. Durante este período, o titular do cartão beneficia de crédito sem juros. Em Portugal, o período de “crédito gratuito” médio é de 35 dias. Perguntem sempre qual é o tempo do crédito gratuito e em que ocasião do mês vence, para saberem se nessa altura terão dinheiro na conta suficiente para saldar a divida.
  • Transacções no estrangeiro. O custo destas transacções varia muito de acordo com o tipo de cartão de crédito. Por exemplo: na zona Euro, poderá não ser cobrado nada pelos pagamentos com o cartão, mas fora dela, ficarão sujeito a comissões que poderão ser mais ou menos elevadas. Tenham igualmente cuidado com os levantamentos de dinheiro com o cartão de crédito no estrangeiro, pois é sempre cobrada uma comissão usualmente mais elevada do que a cobrada em Portugal.
  • Sistemas de pagamento, Visa ou MasterCard? A MasterCard e a Visa são as marcas mais conhecidas de gestão de cartões de crédito. Estas marcas são sistemas de pagamento e não cartões de crédito, por isso estas marcas confiam em bancos e outras instituições para vender e fabricar cartões de crédito. Contudo, os bancos que distribuem os cartões de crédito são quem determina as taxas de juro, programas de incentivo, taxas e benefícios não sendo estes em caso algum decididos pela Visa ou pela MasterCard. Um cartão de crédito MasterCard poderá não estar presente em países ou estabelecimentos onde um cartão de crédito Visa está e vice-versa. Também um deles dará melhores condições de compra em alguns países, e o outro, noutros. Convém saberem para que tipo de países viajam mais e quais as vantagens de cada um dos sistemas de pagamento nesses países.
  • Taxas de levantamento no multibanco. Cada cartão de crédito determina os custos de um levantamento de dinheiro a crédito numa caixa ATM (Multibanco), não sendo muito aconselhado fazerem isto a não ser numa emergência, pois é considerado um empréstimo chamado de Cash Advance tendo usualmente associado taxas muito elevadas pelo seu uso.
  • Seguros. O cartão pode ter seguros já incluídos ou opcionais que podem ser adquiridos. Por exemplo, alguns cartões já vêm com um seguro de custos de compras na Internet, ou de viagem, caso a viagem seja comprada com esse cartão. No entanto, se o cartão não tiver este tipo de seguros incluídos então eles têm custos, e se não pretenderem este tipo de seguros ou serviços semelhantes convém mencionarem que não os desejam, pois de outra forma o contrato pode assumi-los automaticamente, tendo de os pagar. Algumas empresas de cartões de crédito oferecem um serviço de seguro, que é pago. Esse seguro permite que, se o cartão for roubado e forem feitas compras com ele, o cliente não paga nada por essas compras. Verifiquem outras condições, como a existência de seguro para cobrir situações de perda, roubo ou extravio. É um aspecto a não descurar, já que um cartão de crédito acarreta alguns riscos. No entanto, têm sempre de reportar o sucedido, para que a vossa responsabilidade cesse a partir desse momento.
  • Custo da anuidade: existem cartões isentos do custo da anuidade, outros não. Usualmente a isenção da anuidade implica um valor de transacções mensais acima de um certo valor: por exemplo se fizerem transacções mensais acima de 2.000€, no final do ano não pagarão anuidade. A anuidade de um cartão Classic pode chegar aos 30€. Já os da gama Gold ultrapassam facilmente os 60€. A subscrição de qualquer cartão exige também o pagamento de 5€ de imposto de selo.
  • Débito ou Débito+Crédito: muitos cartões têm a função de débito e de crédito, evitando desta forma o uso de dois cartões. Contudo, as compras em estabelecimentos são sempre consideradas transacções a crédito! Assim, se costumam usar o cartão de débito só para levantar dinheiro e recorrer aos pagamentos de serviços no Multibanco, esta pode ser uma excelente opção.
  • Custos de emissão: se perderem o cartão ou este for roubado, a emissão de um novo cartão terá um custo associado, convém saber qual é esse valor, que pode andar por volta dos 30€.

Atrasos no pagamento do cartão de crédito

Às vezes as compras por impulso lá caem na conta e, na data de pagamento da conta do cartão de crédito que está definida no contrato, não existe saldo suficiente no banco.

Tudo depende do tipo de instituição financeira associada ao cartão mas as implicações de não pagarem a conta do cartão de crédito podem passar pelo pagamento de uma multa por falta de pagamento e irem até ao agravamento da taxa de juro.

Se continuarem a não pagar poderão ver o acesso ao cartão de crédito negado, no entanto, todas estas situações estão previstas no contrato do cartão de crédito.

Devem sempre, mas sempre, pagar as contas dos cartões de crédito pois se não o fizerem, os juros acumularão e cada vez a dívida será mais difícil de pagar, podendo destruir uma situação financeira equilibrada.

Média: 4.4 (10 votos)